domingo, 27 de julho de 2014

'RN não precisa de um sobrevivente'

O candidato Henrique Eduardo Aes, que tenta chegar ao Governo do Estado, mandou seu recado para o seu principal adversário, Robinson Faria (PSD) ao falar com a imprensa e convidados na casa da ex-prefeita Fafá Rosado na noite deste sábado último. "Quem tem coisas boas para falar de si não precisa falar mal dos outros", afirmou.

Ele deixou claro que a frase se direciona a Robinson. E citou caso de entrevista concedida pelo seu adversário à uma emissora de rádio de Natal, onde Robinson passou meia hora discorrendo sobre "candidatura por WO, acordão e chapão". Henrique disse que a campanha não precisa ser radical. Que a campanha não precisa de guerra.

"Eleição não é uma guerra, porque quem sobrevive à guerra não é vencedor. É um mutilado. O Rio Grande do Norte não precisa de um sobrevivente. Precisa de um líder", disse o candidato peemedebista, acrescentando: "não quero olhar para traz. Quero olhar para a frente, para o futuro. Estou preparado para fazer um bom governo." 

Henrique:'sei das pressões e propostas'

O candidato da coligação "União pela Mudança" ao Governo do Estado, deputado federal Henrique Eduardo Alves (PMDB), afirmou - quando esteve na casa da ex-prefeita Fafá Rosado (PMDB) - candidata à Câmara Federal - e do deputado estadual Leonardo Nogueira (DEM) que estava ali para ouvir as palavras do presidente da Câmara Municipal de Mossoró, Francisco Carlos (PV). "Imagino o arrocho que você levou", disse Henrique.

É que dos três vereadores que fazem parte da bancada do PV no Legislativo mossoroense, apenas Francisco Carlos está apoiando Henrique. O PV, a nível de Estado, segue na coligação do peemedebista e existe a orientação do presidente estadual da legenda, senador Paulo Davim, para que a aliança siga nos municípios. A aliança, contudo, foge à regra em Mossoró, onde o Partido Verde teria fechado apoio à postulação de Robinson Faria (PSD) ao Governo do Estado.

"Eu quero ouvir Francisco Carlos. Quero ouvir o que ele tem a dizer. Minha vinda aqui, a princípio, era saber a posição de Francisco Carlos, se ele vinha ou não", disse Henrique.

E Francisco Carlos falou. Disse que não podia deixar de seguir o seu partido e, por coerência, estava acompanhando o casal Fafá Rosado/Leonardo Nogueira. E Henrique aproveitou para discorrer sobre a sua experiência na Câmara Federal: "valem a coerência e lealdade. A Casa me conhece e sabe honro minhas palavras", disse Henrique, acrescentando: "só tenho ouvido elogios. Meu compromisso com Fafá não é de agora. Sei da pressão e das propostas, mas Fafá está comigo", disse.

Henrique também elogiou a postura do senador José Agripino: "O senador José Agripino tem sido parceiro correto. Agradeço ao DEM, aos que estão e aos que virão".


Restaurante popular na UERN

“Nunca pensei em receber tanto carinho dos mossoroenses. Em todos os lugares as pessoas me cumprimentam e dizem que eu preciso voltar para a Assembleia para cuidar das pessoas carentes. É isso que me dá gás para enfrentar essa caminhada”. Esse é o depoimento emocionado do candidato a deputado estadual Francisco José.

Toda a sua vida foi marcada pela caridade, pelo serviço gratuito à população. Esse trabalho o conduziu a dois mandatos como vereador de Mossoró e a três mandatos de deputado estadual. Em seus mandatos eletivos, Francisco José sempre olhou pela população mais carente. Uma dessas ações beneficia todos os dias milhares de mossoroenses. É de Francisco José o projeto que levou para Mossoró o antigo Restaurante Barriga Cheia, hoje Restaurante Popular, que oferece comida de qualidade à população ao preço simbólico de um real.

O candidato quer continuar esse trabalho, defendendo a instalação de uma unidade do Restaurante Popular na Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Ele lembra que a UERN, mais que qualquer outra instituição, tem um perfil diferenciado, uma vez que através do sistema de cotas sociais, garante vagas no ensino superior para a população carente, de forma que 70% dos estudantes são oriundos de escola pública.

“Esses estudantes precisam se alimentar. A maioria precisa passar o dia na Universidade, estudando, fazendo pesquisas, e como não têm renda, é preciso que esse benefício chegue até eles. Sem falar, que tem os alunos de outras cidades que moram nas residências universitárias. Há quase dez anos, quando era deputado, já se discutia na Assembleia a instalação de um restaurante universitário, e até hoje, nunca foi concretizado. Mossoró precisa de mais uma voz na Assembleia para defender a nossa população. Já consegui trazer o programa para Mossoró. Minha meta agora é trazer o restaurante dos alunos da UERN”, afirmou Francisco José.

A UERN possui hoje aproximadamente 12 mil alunos regularmente matriculados em 83 cursos instalados em 17 municípios do Rio Grande do Norte. 


Fonte: Assessoria de Imprensa

Henrique cumpre agenda em Mossoró

O candidato a governador pelo PMDB, Henrique Alves, participou na noite deste sábado (26), em Mossoró, do lançamento da campanha à reeleição da deputada federal Sandra Rosado e da deputada estadual Larissa Rosado, ambas do PSB. O evento teve grande movimentação de militantes da coligação União Pela Mudança

No lançamento, estavam presentes a candidata ao Senado, Wilma de Faria (PSB), o ministro da Previdência, Garibaldi Filho, o prefeito de Assu, Ivan Júnior (PROS), entre outras lideranças e políticos de Grossos, Caraúbas, Almino Alfonso e outros municípios.

Durante o evento, o principal tema foi o difícil momento pelo qual passa o Rio Grande do Norte, com várias áreas essenciais da administração pública sem conseguir resolver os problemas que afetam o cotidiano dos potiguares. Segurança, saúde, educação, o desmantelamento do Programa do Leite, das centrais do cidadão e a falta de investimentos no Estado foram alguns dos problemas citados.

O candidato Henrique Alves falou que o Rio Grande do Norte precisa de um novo rumo, mas que ninguém hoje pode fazer promessas mirabolantes, por conta das dificuldades financeiras do Estado. “O RN não pode continuar como está, com uma segurança que na verdade é insegurança, com a saúde que tem um déficit mensal de R$ 23 milhões no orçamento. Mas ninguém venha dizer ou prometer que vai mudar isso sozinho, porque não vai. Quem disser isso está mentindo. O RN precisa de parcerias, principalmente junto ao Governo Federal, para fazer as obras necessárias”, garantiu.

“O povo de Mossoró sabe que precisamos reestruturar o Rio Grande do Norte, porque o nosso Estado vem passando por muitas dificuldades. Precisamos melhorar a segurança, o diálogo com o servidor. Henrique é importante porque ele agrega, porque ele vai fazer um grande governo no nosso Estado”, disse Larissa Rosado.

Para a deputada, Mossoró precisa de alguém que lute pela retomada do crescimento do setor de serviços. “Mossoró é uma cidade com o perfil econômico do setor de serviços e nós não podemos admitir a diminuição do número de empregos do setor de petróleo, da Petrobras”, acrescentou, afirmando que Henrique é o político com maior capacidade de articulação para lutar pela retomada do crescimento do setor de petróleo em Mossoró.

Sandra Rosado também defendeu o voto em Henrique Alves como uma possibilidade de mudança e de recomeçar o processo de crescimento econômico e melhorias sociais iniciado na década de 90 e paralisado nos últimos quatro anos. “Henrique significa a mudança e a melhoria de vida do nosso povo. Quando alguém perguntar porque você vota em Henrique diga que é pela trajetória, pela capacidade e para tirar o nosso Estado do caos em que se encontra atualmente”, apontou.

A candidata ao Senado, Wilma de Faria, e o ministro da Previdência, Garibaldi Filho, lembraram de programas iniciados e ampliados em seus governos, mas que não tiveram continuidade nos últimos quatro anos. “Eu iniciei as centrais do cidadão e Wilma deu continuidade a esse programa. Hoje, as centrais do cidadão não funcionam, estão sucateadas”, disse Garibaldi. Wilma falou sobre o Programa do Leite. “Na nossa época, Garibaldi, o Governo distribuía leite todos os dias para as pessoas que precisavam, além de incentivar a nossa bacia leiteira, o nosso produtor rural. Hoje, o Governo distribui apenas duas vezes por semana”, disse.

Ainda em Mossoró, Henrique se reuniu com lideranças na casa da ex-prefeita e candidata a deputada federal, Fafá Rosado (PMDB), e do seu marido, o deputado estadual Leonardo Nogueira (DEM). O deputado estadual Gustavo Fernandes (PMDB) também participou do encontro.

A falta de investimentos em infraestrutura e na região do Oeste foi um dos pontos abordados na reunião, principalmente no que diz respeito ao novo aeroporto a ser construído em Mossoró. “Mossoró e a região do Oeste tem problemas semelhantes aos do resto do Estado, como em saúde e segurança, mas também algumas particularidades. Investimentos em infraestrutura, como o novo aeroporto, são fundamentais”, disse Leonardo Nogueira. Fafá Rosado afirmou que o eleitor que comparar bem todos os candidatos irá decidir pelo nome de Henrique Alves;

Henrique disse ter conversado recentemente com o ministro da Aviação Civil, Moreira Franco, sobre o novo aeroporto. A construção tem data para começar: janeiro de 2015. O aeroporto em Mossoró foi incluído na pauta do Governo Federal, que irá construir e reformar aeroportos regionais em todo o Brasil, a partir da articulação de Henrique na Câmara Federal.


Antes de participar do lançamento da candidatura de Larissa e Sandra Rosado, Henrique Alves estevem em Santana do Matos para participar da tradicional Procissão de Nossa Senhora de Santana. Henrique foi recebido pela prefeita Lardjane (DEM), pelo deputado estadual Nelter Queiroz, candidato à reeleição, e pelo advogado e ex-deputado estadual Paulo de Tarso Fernandes. Paulo de Tarso anunciou na ocasião o apoio à candidatura de Henrique. “Henrique reúne as condições para melhorar o RN. O Estado chegou a um ponto onde é preciso união política e união de propósitos em favor do avanço em todos os setores”, disse Paulo de Tarso.

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Fafá recebe Henrique Alves neste sábado

A ex-prefeita Fafá Rosado (PMDB), que é candidata à Câmara Federal, receberá neste sábado, ás 19h, o candidato ao Governo do Estado da coligação "União pela Mudança", deputado federal Henrique Eduardo Alves (PMDB).

Henrique vem a Mossoró participar de evento político que acontecerá, também neste sábado, no Kiko's Buffet, quando ocorrerá o lançamento das candidaturas de Sandra Rosado (PSB) e Larissa Rosado (PSB).

Segundo material divulgado pela assessoria de imprensa de Fafá, o candidato Henrique Eduardo Alves receberá a imprensa.

Até quando se terá 'clima de paz' pública?

O clima de "paz pública" tende a chegar ao fim. É que os candidatos ao Governo, ao Senado, à Câmara Federal e à Assembleia Legislativa já estão definidos. As campanhas, contudo, ainda não estão nas ruas e evidencia que a coisa não está tão animada. Mas não é bem assim. A troca de farpas ainda é tímida e tende a ser mais intensa com o passar dos dias. Até porque são só três meses de campanha. Até agora, tanto Henrique Eduardo Alves (PMDB) quanto Robinson Faria (PSD) estão "calmos". Mas essa clamaria tem prazo para acabar.

E começou, indiretamente. Henrique tem avançado, conquistado apoios. Robinson busca se manter em evidência. Mas tem enfrentado problemas. A começar por anúncio de apoios. Dia desses sua assessoria de imprensa divulgou que ele teria recebido o respaldo político do prefeito de Angicos, que é do DEM. E dias depois a assessoria de Henrique mandou a mesma notícia. Ou seja, Robinson não está conseguindo manter. E perde.

E esse fator é o que culminará com a chamada "paz pública". Lideranças que divergem sobre candidatos e que são adversários em alguma cidade vão, certamente, abrir fogo contra seus adversários. De lado a lado. Acontecerá isso em Mossoró, Pau dos Ferros, Grossos, Areia Branca e tantos outros. Até parece que é regra: campanha que é campanha tem que ter "clima quente". Uns pensam assim.

Mas a "boca quente" envolve mesmo a disputa proporcional. Candidatos que se sentem ameaçados por outros estão partindo para denúncias ou ameaças. Em Governador Dix-sept Rosado, por exemplo, a deputada federal Sandra Rosado (PSB) não gostou nadica de nada de ver o PMDB de lá apoiando a candidatura de Walter Alves (PMDB) à Câmara Federal. E foi bem sincera: se o PMDB insistisse na ideia de beneficiar Walter a coisa iria feder: ela romperia com Henrique.

Mais recente veio o deputado estadual Getúlio Rego (DEM) dizer que o candidato Francisco José (PROS) estava invadindo suas bases no Alto Oeste.

São capítulos de um enredo que tende a esquentar o clima morno da atual campanha eleitoral no Rio Grande do Norte.

Quem se apresenta como "bonzinho" vai se queimar. Ou ser queimado. Quem surge como "lobo" vai se transformar em cordeiro. E por aí vai. É esperar os discursos e o programa eleitoral gratuito.

Prefeito de São Fernando irá apoiar Henrique para o Governo

O candidato do PMDB ao Governo do Estado, Henrique Alves, recebeu nesta sexta-feira o apoio do prefeito de São Fernando, Genilson Maia (PSB), e de seu grupo político.

Além do prefeito, a vice Teresinha Maia (PR), os vereadores Fernanda (PSB), Da Guia (PSB), Rubinaldo (PSB), Francisco Pedro Filho (PSB), Mizael (SDD) e o ex-vice José Nivan (PR) irão apoiar o projeto de Henrique para o Governo do Estado.

De acordo com o prefeito Genilson Maia, a capacidade de articulação do atual presidente da Câmara dos Deputados em Brasília é uma virtude necessária para o Rio Grande do Norte.

“É importante pela influência nacional. Ele terá mais condição de conseguir recursos para desenvolver o Estado e o município de São Fernando”, explicou.


Fonte: Assessoria de Imprensa

E onde fica o 'voto casado'?

"O olho do dono engorda a boiada", já diz o ditado popular. Assim sendo, e aplicando tal metáfora à campanha eleitoral em voga no Rio Grande do Norte, o vice-governador Robinson Faria (PSD), que quer ser governador, precisa atentar para um detalhe que vem acontecendo em muitas cidades do Médio e Alto Oeste potiguar: estão fechando apoio sem incluir candidatos à Câmara Federal, Senado e Governo do Estado.

E alguém pode perguntar: "como é que este blog sabe disso?" E a resposta é óbvia: o titular deste espaço escreveu, durante cinco anos, para o caderno Cidades do jornal Gazeta do Oeste. Escreveu mais alguns anos para o suplemento Estado do Jornal de Fato. Essas experiências fizeram com que o titular do blog acumulasse contatos em diferentes municípios do Rio Grande do Norte. E grande parte das fontes continuam passando informações.

O que se constata em cidades como Messias Targino, Campo Grande, Rafael Fernandes, Almino Afonso e várias outras é o que o blog disse: Robinson Faria está sendo escanteado pelo próprio agrupamento político. O blog até concorda que o termo "escanteado" pode ser forte e o reformula: Robinson Faria está sendo deixado em plano secundário.

Quando a campanha engrenar, o candidato do PSD ao Governo do Estado enfrentará sérias dificuldades para "juntar" gente em suas movimentações.

Tudo devido ao fator de que não se tem ligação, não se tenta "apoios casados", com candidatos das chapas proporcionais e da majoritária. Uma falha gigantesca. Proposital ou não, o certo é que os projetos individuais nunca estiveram em alta.

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Henrique lança candidatura em Mossoró no sábado

O candidato ao Governo do Estado da coligação "União pela Mudança", deputado federal Henrique Eduardo Alves, lançará sua candidatura em Mossoró neste sábado, 26. O evento político ocorrerá no Kiko's Buffett a partir das 19h. Henrique vem com seu candidato a vice, João Maia (PR), e da candidata ao Senado, Wilma de faria (PSB).

Ele será o segundo postulante ao Governo do Estado a vir por estas bandas. O primeiro foi Robinson Faria (PSD). Como os dois são os candidatos com maior projeção política, e Robinson já se mostrou, se poderá fazer uma análise do comportamento das militâncias e de suas bases.

Robinson, quando veio, deixou a desejar no quesito visual. É aguardar, agora, como será a vez de Henrique.

De oito vagas e muitos candidatos

O deputado federal Paulo Wagner (PV) não tentará mais a reeleição. Alegou problemas de saúde. Além disso, ele sabia que a "boca estava quente", com adversários fortes. Se bem que três estavam fora: Henrique Eduardo Alves (PMDB), João Maia (PR) e Fátima Bezerra (PT), que vão buscar outros cargos. Contudo, não deixava de ser um a mais na disputa. Melhor para quem continua em campanha.

São oito vagas que estão sendo disputadas. Cinco estariam "garantidas" para Walter Alves (PMDB), Zenaide Maia (PR), Felipe Maia (DEM), Rafael Motta (PROS) e Fábio Faria (PSD). Pelo menos é o que se diz em reuniões fechadas. Destes, quem tem o "dever" de ser o mais votado é Walter Alves. O pai dele, ministro Garibaldi Alves Filho (PMDB), vivia se jactando de ter sido o "senador de um milhão de votos". Caso seu filho não encabece a lista dos eleitos, será vexame.

Outro que tem a obrigação de ser bem votado é Felipe Maia. Afinal, o pai dele, senador José Agripino Maia (DEM), fez o que achou necessário e conveniente para garantir a chapa proporcional em evidência. Fábio Faria, idem. O pai dele, vice-governador Robinson Faria (PSD), é candidato ao Governo e tem, obrigatoriamente, de levantar o nome do filho. Seria "questão de honra".

E, assim, sobrariam três vagas. Estariam em evidência política, e na campanha, a ex-prefeita Fafá Rosado (PMDB), o deputado federal Betinho Rosado (PP), a deputada federal Sandra Rosado (PSB) e o ex-deputado federal Rogério Marinho (PSDB).

Por ter sido prefeita de Mossoró em dois mandatos, Fafá Rosado sabe das carências e dos problemas que os municípios enfrentam. Caso seja eleita, certamente entrará na chamada lista de "deputados municipalistas". Seria uma espécie de porta-voz a mais no Congresso Nacional.

O blog não tem como comentar sobre outros candidatos. Até porque não recebe informações sobre suas candidaturas e, por consequência, não tem como fazer projeções relacionadas à futura atuação parlamentar. O jeito é esperar que cheguem os jornais informativos deles.

A coisa vai esquentar pro lado de Getúlio Rego

Disputa proporcional (para vagas na Assembleia Legislativa e Câmara Federal) são acirradas. E essa constatação não é de hoje. São candidatos aos borbotões. E todos com o mesmo projeto: a eleição. Daí que os que possuem bases e mandatos devem trabalhar em dobro para mantê-los. O deputado estadual Getúlio rego (DEM) parece desconhecer essa regra e partiu para o ataque.

Ele acusou invasões em "seus territórios". Especificamente em vereadores de sua base. Ora, se Getúlio não tem como segurar seus "cabos eleitorais" a lógica mostra que outro vem e assume o lugar. É assim em todo canto.

Getúlio sabe perfeitamente que é preciso cuidar do seu campo. Palavras já não são suficientes para manter ninguém atrelado politicamente a alguém. Até porque o filho dele foi prefeito de Pau dos Ferros, e por dois mandatos, e ampliou as bases do pai. Ou terá sido à toa que Leonardo Rego apoiou candidato em diversas cidades do Alto Oeste? A troco de nada? Certamente trabalhou em nome do pai. Para aumentar a força política do seu agrupamento político. E ele agiu errado? Obviamente que não.

Se o prefeito de Mossoró, Francisco José Júnior (PSD), está trabalhando para projetar a candidatura do pai, ex-deputado estadual Francisco José (PROS), conforme disse o deputado Getúlio Rego, o blog não vê nada de errado ou equivocado. Todo mundo fazia o mesmo. Agora dizer que existe a história e mensalão, isso pode implicar para Getúlio.

E ontem o blog foi informado pela Secretaria Municipal de Comunicação, via contato telefônico com a secretária Mirella Ciarlini, que a assessoria jurídica do prefeito Francisco José Júnior adotará as medidas jurídicas cabíveis.

Pelo visto a coisa vai esquentar pro lado de Getúlio Rego, que fez tal afirmação quando de sua participação no programa "Repórter 98", transmitido pela FM 98, de Natal.

Abrigo Amantino Câmara receberá doação de fraldas geriátricas

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), subseccional Mossoró, fará mais uma entrega de fraldas para os idosos do Abrigo Amantino Câmara. A ação faz parte do Projeto Fralda Solidária, criado pelos membros da Comissão OAB em Ação. A entrega das fraldas geriátricas arrecadas pela OAB será realizada na sexta-feira (25), às 14h.

A última doação foi realizada no dia 16 de maio deste ano, quando os membros da Comissão OAB em Ação arrecadaram 102 pacotes de fraldas geriátricas. Desde quando o projeto foi iniciado, a Ordem dos Advogados do Brasil já realizou cinco doações, totalizando mais de cinco mil fraldas geriátricas arrecadas e entregues.


O Amantino Câmara é uma casa que cuida de idosos. São cerca de 50 moradores que dependem de ações voluntárias como essa que é realizada pela OAB. Além de fraldas, eles precisam de produtos de limpeza, higiene pessoal, cestas básicas, etc.. Quem quiser saber como ajudar, pode ligar no (84) 3321 – 4653.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Começa debandada de ex-comissionados

A debandada de ex-comissionados já começou. É que quem esperava ter o nome "fichado" no Jornal Oficial do Município (JOM) e ainda não "riu à toa", já está com a "certeza certa" de que não será contemplado. E, por mais que tenham procurado vereadores ou pessoas ligadas ao prefeito Francisco José Júnior (PSD), nenhuma resposta foi dada. Só pedidos de cautela. De calma. Para esperar.

Mas o tempo, para os ex-comissionados, está passando. O tempo, para eles, urge. E com certa razão. "Órfãos", sem padrinhos nem quem dê uma "palavrinha amiga", eles estão retornando às suas origens. Não possuem mais o elo com o Palácio da Resistência.

E eles não deixam de ter razão. Afinal, é preciso pagar contas, honrar compromissos anteriormente assumidos. Eles, em tese, estariam garantidos em suas funções para os próximos dois anos e meio. Mas veio a reforma administrativa que reformulou o quadro funcional da Prefeitura de Mossoró. E foi preciso o prefeito, consequentemente, exonerar todos.

A nomeação está sendo aos poucos. Mas vá explicar isso a quem precisa. É difícil. E muitos já não têm mais esperança de retornar. Daí a debandada.

Primeira prestação de contas poderá ser enviada a partir de segunda

A partir desta segunda-feira, 28 de julho, os partidos políticos, comitês financeiros e os candidatos poderão enviar à Justiça Eleitoral o primeiro relatório discriminado dos recursos em dinheiro ou estimáveis em dinheiro que tenham recebido financiamento da campanha eleitoral e dos gastos que realizarem, para cumprimento do que determina o artigo 28, parágrafo 4º., da Lei 9.504/97.

Esta primeira prestação de contas pode ser enviada até o dia 2 de agosto, por meio eletrônico, utilizando o sistema SPCE Cadastro. Dentro deste mesmo prazo, os órgãos de direção municipal de partidos políticos (diretórios/comissões provisórias) que eventualmente tenham aplicado recursos na campanha deverão prestar informações à Justiça Eleitoral, utilizando-se de módulo específico do sistema SPCE_Cadastro.

O mencionado software encontra-se disponível para download e instalação em http://www.tse.jus.br/eleicoes/eleicoes-2014/ ou http://www.tre-rn.jus.br/eleicoes/eleicoes-2014/, acessando o link “Prestação de Contas”. O manual contendo instruções de sua operacionalização pode ser acessado a partir do botão de Ajuda (“?”), disponível na tela inicial do sistema.

Além desse sistema, será necessário que o usuário faça uso de outros, disponíveis no mesmo endereço eletrônico, onde também podem ser acessados seus respectivos manuais de utilização, a saber: Sistema de Requerimento de Abertura de Contas Eleitorais (SRACE) e Sistema de Recibos Eleitorais Eleitorais (SRE).


A Justiça Eleitoral elaborou material didático (manuais e cartilha), acessíveis no mesmo endereço eletrônico, inclusive curso na modalidade à distância (EAD), todos voltados a prestar orientações quanto às regras pertinentes à matéria, bem como aos procedimentos e operacionalização dos sistemas necessários à elaboração das prestações de contas.

Fonte: TRE/RN

Sete prefeitos levam apoio a Henrique

Prefeitos dos municípios de Canguaretama, Riacho de Santana, Goianinha, Tenente Laurentino Cruz, Baraúna, Angicos, Almino Afonso e Rafael Godeiro levaram apoio aos candidatos ao governo, Henrique Alves, e ao Senado, Wilma de Faria (PSB), nesta quarta-feira (23), durante reuniões realizadas no Comitê Casa 15, escritório de campanha da coligação Unidos para Mudar.

A deputada estadual Gesane Marinho e sua mãe, a prefeita de Canguaretama, Fátima marinho, ambas do PSD, reuniram seu grupo político, composto por nove vereadores do município, para reafirmar o apoio à chapa. Acompanharam a comitiva o vice-prefeito de Vila Flor, Hilton (DEM), o vereador da cidade, Felipe (PSDB), além do vereador de Nova Cruz, Dinho, do PMDB.

“Henrique sempre lutou para trazer melhorias para o Rio Grande do Norte. A cidade de Canguaretama está muito otimista com sua eleição e ansiosa para ir às ruas pedir o voto”, afirmou a prefeita Fátima Marinho. A deputada Gesane reforçou ao grupo os motivos do voto em Henrique. “É o mais preparado, que tem mais competência e experiência. Deixou de tentar a reeleição de presidente da Câmara para salvar o Estado.”

Confirmaram o apoio os vereadores João Paulo (PSD), Dadá (PMDB), Dominguinhos (PV), João Batista (SDD), José Augusto (PSD), Elvis (SDD), Romilson PR), Bosco (SDD) e Doutor (PSD). O vereador Bertone Marinho, do PMDB, também foi prestigiar os candidatos da coligação Unidos para Mudar.

O prefeito de Ricaho de Santana, Jessé Freitas (PSB), que foi acompanhado do ex-prefeito Raimundinho (PSB), também destacou a capacidade do candidato do PMDB de poder trabalhar pelo desenvolvimento do Rio Grande do Norte. “Henrique hoje é o terceiro homem mais forte do país. Tem influência e capacidade para melhorar o estado.”

Outro apoio importante veio do município de Baraúna. Acompanhado dos deputados estaduais e candidatos à reeleição Ricardo Motta (PROS) e Raimundo Fernandes (PMN), o prefeito Tertúlio Alves (PMN) fez questão de declarar o voto casado em Henrique e Wilma. Estiveram presentes os vereadores José Carlos Cândido (PROS), Raimundo (PMN), Fátima Quirino (PROS), João Jorge (PMDB), Devyd Clay (PDT) e o suplente Daniel Cunha Lima.

O prefeito de Almino Afonso, Laurence Amorim (PMDB) levou o importante apoio do prefeito de Rafael Godeiro, Abel Filho (PSB) para a chapa Henrique e Wilma. Quem também contribuiu para aumentar a aliança em prol da coligação Força da União foi o prefeito de Angicos, Júnior Teixeira (DEM), que já havia anunciado o apoio na semana passada. Ele foi acompanhado do ex-prefeito Ronaldo Teixeira (PSB) e dos vereadores Grimaldi (DEM) e Jalmir Dantas (PP).


Do PMDB, reforçaram apoio os prefeitos de Goianinha, Júnior Rocha e de Tenente Laurentino. O primeiro levou os vereadores Ademar (PROS), Odilon (PMDB), Jean (PROS) e Cláudio (PSD). O segundo garantiu apoio dos vereadores Del e Inácio, ambos do PMDB. Quem também se reuniu com Henrique e Wilma foi o deputado estadual Hermano Morais, que levou apoio dos vereadores de Bento Fernandes Júnior Marques (PMDB), Marcos Câmara (PR) e César (PR).

Fonte: Assessoria de Imprensa

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Assembleia 'come' mais de R$ 10 milhões

Ou os deputados estaduais estão comendo muito. Ou estão comendo muito. A informação que consta do Portal da Transparência da Assembleia Legislativa elevada quantia paga pela Casa ao que se chama de "auxílio alimentação".

De janeiro para cá, conforme os números, a Assembleia "comeu" R$ 10.916.267,80. Sim, isso mesmo: dez milhões, novecentos e dezesseis mil, duzentos e sessenta e sete reais e oitenta centavos.

A descrição que está no Portal da Transparência da AL é, no mínimo, esquisita. Caso não seja, implica dizer que os 24 deputados estaduais estão "comendo as lavouras".

MP deveria investigar 'lista negra' da Educação

O Ministério Público deveria entrar nessa história envolvendo servidores da educação do Estado que aparecem na chamada lista negra de demissões por estarem longe de seus locais de trabalho. É preciso saber onde está o erro e quem o cometeu. Não só porque dois vereadores de Mossoró estão na tal lista e seus nomes aparecem no Portal da Transparência, na pesquisa feita acerca da remuneração de servidores. Não são só Tomaz Neto (PDT e Ricardo de Dodoca (PTB) que precisam se explicar à Secretaria Estadual de Educação. São 550 servidores.

Não faz muito tempo o blog publicou material veiculado no Jornal de Fato veja aqui), dando conta de que o vereador Tomaz Neto estaria acumulando salário de três instituições públicas: Governo do Estado, Prefeitura de Mossoró e Câmara Municipal de Mossoró. Por lei, ele só pode ter dois salários. Teria que optar por dois. Ele até disse que teria pedido licença e que estaria perto de se aposentar do Estado. O blog não sabe se ele fez o que disse, mas seu nome continua aparecendo no Portal da Transparência e recebendo o salário normalmente. Como o último mês pago foi de junho, lá no portal informa que ele continua na ativa. Não se sabe se está em sala de aula. O mesmo acontece no sistema de informação pública da Prefeitura de Mossoró.

Não se trata aqui de acusação contra "A" ou "B". Apenas para enfatizar algo que precisa ser investigado. Se Tomaz Neto deu entrada na licença ou pediu para que seu salário do Estado não fosse pago, é preciso saber por quais motivos tal solicitação não foi acatada. E quem tem a prerrogativa de ir atrás de tudo é o Ministério Público. Afinal, as informações que se tem é que ele continua recebendo salário de três instituições públicas, algo que não é permitido.

Além disso, Tomaz Neto e Ricardo de Dodoca são vereadores. Devem dar exemplos à sociedade. O blog não está dizendo, com isso, que eles são culpados ou que estariam infringindo algum preceito constitucional. Longe disso. Apenas dizendo que se não houver investigação para saber quem errou e de onde partiu tal erro, obviamente que os dois vão aparecer como responsáveis por tais manobras. 

Daí a necessidade do Ministério Público entrar na história para averiguar a situação e pleitear as medidas necessárias, a fim de que a ética e a moralidade com a coisa pública sejam resgatadas. Ao menos parcialmente.

terça-feira, 22 de julho de 2014

Ação eleitoral em segredo de Justiça

O blog do jornalista Carlos Skarlack traz uma notícia que poucos sabiam. Ou melhor: uma informação fornecida pelo juiz da 33ª zona eleitoral de Mossoró, Patrício Jorge Lobo Vieira: a existência de uma ação eleitoral que tramita em segredo de Justiça. E isso relacionado às eleições suplementares ocorridas em 4 de maio último.

Quem são os envolvidos em tal processo? O que consta dele? O que se pede? O que motivou?

São perguntas, cujas respostas estão longe de se ter. O processo, conforme disse o juiz, tramita em segredo de Justiça e impede, por si, toda e qualquer informação sobre ele.

Estranho. Até porque se pensava que todas as ações judiciais eleitorais haviam entrado no registro do Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Mas é comum. Segredo é segredo. Não é para qualquer um saber. Só o juiz, as partes envolvidas e seus respectivos advogados.

Pedágio, corrupção e 20%

O atraso do Brasil é a corrupção. Isso não é nenhuma novidade. O tema, aliás, é recorrente na imprensa em geral. O Fantástico, não faz muito tempo, mostrou material investigativo que apontou para a continuidade de uma prática danosa ao desenvolvimento de toda e qualquer cidade. O blog se refere aqui ao percentual cobrado, geralmente em torno de 20%, sobre todo e qualquer contrato ou obra executada ou a ser. O chamado pedágio.

Pois bem: quando algum pesquisador, quando algum acadêmico tiver interesse no assunto certamente terá dificuldades para encontrar um ou outro exemplo. Obviamente que quem sabe de tais artimanhas não vai falar. No passado isso ocorria muito em cidades pequenas. Voltando 50 anos, ou mais, no tempo. E por aqui mesmo, no Rio Grande do Norte.

Escândalos e mais escândalos já pipocaram sobre o tema. Investigações já aconteceram. E a Grécia é sempre o tema de tais investigações: "Hígia", "Via Ápia" e por aí vai. São tantas denominações e articulações que causam nojo ao cidadão que refletir sobre como poderíamos ser e como estamos hoje.

Cidades que poderiam estar em outros patamares amargam ostracismo cruel. Fruto de algo danoso cometido no passado e que ainda tolhe o futuro.

Isso no tempo em que não existiam celulares, gravadores ou as chamadas "canetas espiãs", que gravam vídeo de boa qualidade de tudo o que se desejar. O Fantástico mesmo já utilizou tais mecanismos. Hoje tudo pode ser um flash. Tudo é notícia e tudo pode ser noticiado. Não com acusações infundadas. Mas com provas. Conversas telefônicas podem ser gravadas. Imagens podem ser feitas. Tudo.

Mas, por incrível que possa parecer, o blog não soube de nenhuma negociata envolvendo pedágio de 20% por estas bandas. Aliás, faz tempo que não se diz nada sobre o assunto. E se existem, são escondidinhos. Até porque se existissem alguém certamente já teria colocado a boca no trombone. Ou será que tem alguém que espera receber, por exemplo, R$ 100 mil e aceitaria pagar pedágio de 20%? O blog crê que não.

Momento de se manifestar vai chegar

A boca tá quente para a chapa proporcional. É bem verdade que a campanha, de nenhum lado, engrenou. Também é verdade que o que menos se fala nas calçadas é sobre política. Mas não é por isso que a coisa está fria. Pelo contrário. É chapa bem quente mesmo. E o negócio vai esquentar ainda mais a partir de agosto, quando tudo vai funcionar. Leia-se agenda de candidatos, caminhadas, passeatas e carreatas. Também ficará bom quando o programa eleitoral gratuito começar.

No caso de Mossoró, não se sabe ainda quem está com quem. O blog fala, obviamente, de vereadores e alguns secretários municipais que são filiados a partidos políticos. O PV, por exemplo, está apoiando a candidatura do peemedebista Henrique Eduardo Alves ao Governo do Estado. Por aqui, tende a seguir com a postulação de Robinson Faria (PSD). Até por uma questão de coerência municipal, já que a legenda ocupa cargos na administração do prefeito Francisco José Júnior (PSD).

O PTB, que também está com Henrique, ficará com Robinson. O presidente local da legenda, vereador Ricardo de Dodoca, afirmou - em evento político que lançou a candidatura do ex-deputado estadual Francisco José (PROS) à Assembleia Legislativa - que seguirá o prefeito. E avisou que já sabe que perderá o comando da legenda.

O PDT também tem cargos na administração municipal: o presidente de honra, empresário Rútilo Coelho, é secretário de Turismo. Mas o vereador Tomaz Neto (PDT) foi alçado à condição de presidente local da sigla. E está em palanque diferente.

Vereadores do outros partidos e que fazem parte do grupo governista, estão em silêncio. Já teriam comunicado que estariam com o prefeito, mas não se manifestaram publicamente. Não foram a nenhum evento político recente. Apenas Flávio Tácito (DEM). Os outros aguardam repercussão de alguma coisa.