terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Déjá vu: a estratégia do DEM

Uma boa estratégia, sem dúvida, proporciona um empurrão a mais à vitória de uma campanha eleitoral. No caso específico de Mossoró, o atual momento da política local já foi visto em outras eras. Precisamente em 2004, quando a então pré-candidata Fafá Rosado (DEM) foi às ruas para vencer uma espécie de prévia travada com a também pré-candidata Cláudia Regina (DEM). Fafá obteve melhores resultados e venceu o pleito daquele ano com apoio da então prefeita Rosalba Ciarlini (DEM).

Agora tudo se repete. Duas mulheres também estão em busca da viabilidade política para ir ao embate eleitoral com apoio da prefeita Fafá Rosado e da governadora Rosalba Ciarlini. A diferença é que agora uma é irmã de Rosalba - a vice-prefeita Ruth Ciarlini - e a outra, vereadora e ex-vice-prefeita Cláudia Regina, vem se mantendo na liderança, segundo pesquisas, para ser indicada pelo seu partido.

Ocorre que a estratégia em vigor é bem clara: o DEM não quer definir agora o nome e empurra a decisão para o próximo ano. Abre-se, com isso, um leque infindável de especulações e que remete a uma provável renúncia da prefeita Fafá Rosado para beneficiar Ruth Ciarlini.

Embora os números não apontem para um bom momento eleitoral pró-Ruth Ciarlini, a estratégia em prática tem um claro objetivo: deixar Ruth e Cláudia na boca do povo para, mais na frente, se ter o anúncio de que uma ou outra será a candidata. Claro e óbvio. Ou então as duas em uma mesma chapa. Tudo pode acontecer.

A situação, contudo, chega a ser delicada para a prefeita Fafá Rosado que, embora tenha afirmado e reafirmado que não pensa em renúncia e que o assunto sequer foi discutido, tem que expor uma opinião firme e forte sobre os rumos da sua sucessão. Ela, como prefeita, pode e deve participar ativamente desse processo.

O blog já comentou neste espaço que uma candidatura de Ruth Ciarlini ao Executivo seria mais interessante para a oposição. E essa afirmação é de fácil leitura: a governadora Rosalba Ciarlini, em tese, teria que se preocupar com a eleição em outros municípios potiguares e deveria centrar sua atuação na região da Grande Natal. Ruth ficaria sem a força maior da política de Mossoró em prol de sua postulação.

A prefeita Fafá Rosado, caso Ruth seja a candidata, terá que renunciar e, com isso, ficaria em situação vexatória diante do eleitor. E mais: iria para uma campanha já na condição de ex-prefeita. Embora a administração Fafá Rosado esteja em patamar considerável, ela perderia - em tese - boa parte dessa boa maré para fazer a campanha de Ruth.

O blog continua achando que o presidente local do Democratas, ex-deputado estadual Carlos Augusto Rosado, já definiu o nome que sucederá Fafá Rosado e que essa história de fomentar a "briga" entre Cláudia Regina e Ruth Ciarlini faz parte de uma estratégia para evitar que uma ou outra engrosse o 'cangote', como se diz por estas bandas.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Prefeituras recebem FPM extra

A Secretaria do Tesouro Nacional depositará hoje à noite nas contas específicas das prefeituras os valores referentes ao repasse extra de 1% do Fundo de Participação dos Municípios. Conquistado em 2007, o 1% a mais de FPM é repassado anualmente, de uma só vez, aos municípios, em dezembro. O objetivo é assegurar recursos para que as prefeituras possam arcar com o pagamento de salários e décimo-terceiro dos servidores.

Projeto de Lei que cria o Fundo Estadual de Cultura é entregue na AL

Um pleito antigo da classe artística e cultural foi atendido pela atual gestão do Governo do Estado: a entrega para apreciação junto à Assembleia Legislativa do Fundo Estadual de Cultura (FEC), uma promessa de campanha da governadora Rosalba Ciarlini. O Projeto de Lei (PL) foi entregue no final da manhã desta quinta-feira (08) ao presidente da ALRN, Ricardo Motta, pela secretária Extraordinária de Cultura do RN, Isaura Rosado, e o secretário-chefe do Gabinete Civil, Anselmo Carvalho.

Uma vez o texto na Assembleia, o próximo passo será sua apresentação ao Colégio de Líderes e depois votação em sessão plenária. Isso deverá ocorrer até a próxima semana, antes da votação do orçamento 2012. Na ocasião da entrega, a secretária Extraordinária de Cultura, Isaura Rosado, explicou que o texto do PL segue padrões já estabelecidos por outros fundos de cultura do Brasil, bem como das diretrizes lançadas pelo Governo Federal acerca da criação dos Planos Estaduais de Cultura.

O (FEC) terá, aproximadamente, R$ 15 milhões de reais, ou 0.5% do Orçamento, para serem investidos em diversos segmentos de cultura no RN. Isaura Rosado, inclusive, deixou claro o seu desejo de que já em 2012 o Fundo possa estar em pleno funcionamento. "Esse percentual é o que está sugerido pela Constituição Federal. Estamos aguardando a indicação federal que aumenta esse percentual para até 1,5% para a cultura. Quando isso ocorrer, a governadora Rosalba Ciarlini já nos apontou disposição para trabalhar em consonância com essa indicação", disse a secretária.
  
O presidente do Conselho Estadual de Cultura, Iaperi Araújo, que esteve na AL, fez questão de enaltecer a iniciativa do Governo do RN de criar o Fundo Estadual de Cultura, sobretudo no que concerne à divisão de recursos para a Grande Natal e os demais municípios do Estado. O presidente da ALRN informou que uma vez o texto estando naquela Casa, os líderes se reunirão para discuti-lo e só depois disso é que será encaminhado à votação no Plenário.

Acompanharam também a secretária Isaura Rosado na Assembleia Legislativa o jornalista e membro do Conselho Estadual de Cultura, Vicente Serejo, e o deputado estadual Fernando Mineiro.

PROJETO DE LEI
A mensagem da governadora Rosalba Ciarlini, entregue nesta quinta-feira (08) na Assembleia Legislativa, mostra detalhes do Projeto de Lei que “Institui o Fundo Estadual de Cultura (FEC) e dá outras providências”. O FEC será vinculado à Fundação José Augusto e tem como objetivo “financiar ações como o incentivo à pesquisa, ao estudo, à edição de obras e à produção das atividades artísticas; e a aquisição, manutenção, ampliação, conservação e restauração do patrimônio cultural material do Rio Grande do Norte”.

O Fundo Estadual de Cultura, criado pelo PL, será administrado por uma Comissão Gestora e financiado, entre outros recursos, com 0,5% da receita tributária líquida do Estado. O Projeto também institui a “Comissão de Controle, que vai analisar e decidir quanto à homologação da prestação de contas da utilização dos recursos do FEC” e define penalidades para os casos de não execução de projeto beneficiado pelo Fundo, no prazo estipulado, ou pela utilização dos recursos de forma irregular.

Os termos do Fundo Estadual de Cultura estão assim resumidos no Projeto de Lei: 50% dos recursos serão disponibilizados para a região metropolitana e 50% para os demais municípios potiguares. A distribuição fatiada será a seguinte: 15% para o patrimônio arquitetônico tombado; 0,5% para o Sistema Estadual de Bandas de Música; 0,5% para o Sistema Estadual de Bibliotecas; 0,5% para o Sistema Estadual de Museus; 40% será disponibilizado para o atendimento a ações de interesse do estado e dos municípios e 30% para atendimento, através de editais, aos vários segmentos culturais e artísticos.

Com a criação do FEC serão beneficiados tanto o artista, que obterá recursos para a execução de projetos, sem necessitar recorrer à intervenção de empresários ou intermediários, quanto o Estado, que poderá promover a cultura de uma forma direta e clara, valorizando ainda mais o desenvolvimento sociocultural, e atendendo antiga reivindicação do movimento cultural potiguar.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Isabel Montenegro quer ser candidata a vice-prefeita

A postura adotada pela deputada federal Sandra Rosado (PSB), de querer impor ao PT mossoroense um caminho diferente do que o partido quer, lembra um pouco o que fez a ex-vereadora Isabel Montenegro, presidente do PMDB local, dias passados.

Ora, é sabido que os líderes estaduais do PMDB trabalham para indicar o candidato a vice-prefeito na chapa majoritária governista em Mossoró. Também é público que o nome mais cotado entre os peemedebista é o secretário de Serviços Públicos Alex Moacir. E é notório que a prefeita Fafá Rosado (DEM) e a governadora Rosalba Ciarlini (DEM) aceitarão a aliança na majoritária com o PMDB.

O que não se entende é a ânsia voraz de Isabel em afirmar e reafirmar que o PMDB não servirá de escada para o DEM. Ela, que é auxiliar do governo democrata mossoroense, deveria ter medido as palavras. Fosse em outro município ou se a Prefeitura de Mossoró não estivesse sob o comando de uma prefeita pacificadora, Isabel certamente teria sido exonerada da Fundação Municipal de Geração de Emprego e Renda (Funger).

A presidente local do PMDB precisa entender que uma aliança majoritária é construída pelo diálogo e nunca por murros em birôs ou frases desaforadas. Assim, Isabel afasta a possibilidade do seu partido indicar o vice-prefeito. Cargo esse que, diga-se de passagem, é formalizado por meio de convite. Não por imposição.

O que se evidencia, pelo comportamento de Isabel, é que ela quer ser o nome do PMDB para a chapa majoritária. Ela deixa entender que quer ser a candidata a vice-prefeita.

Pelos arroubos publicados na imprensa local dias passados, dificilmente o DEM aceitaria um candidato a vice com um temperamento tão complicado. A presidente do PMDB precisa entender que o diálogo é a peça mais importante na construção de uma aliança e que a imposição sempre afasta toda e qualquer possibilidade de entendimento.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Funcionário público utiliza literatura popular para concientizar sobre o câncer de próstata

A literatura de cordel e a solidariedade humana se unem em favor de uma grande causa: a prevenção ao câncer. Em razão do transcurso do Novembro Azul, mês dedicado à prevenção do câncer da próstata, o servidor público Erialdo Rebouças exercitou a sua veia poética e escreveu o cordel “Um toque na consciência”.

Erialdo é funcionário do Estado, lotado no Setor Humanização da 2ª Unidade Regional de Saúde Pública (URSAP), e conhece bem o sofrimento das pessoas acometidas por patologias graves, como o câncer. ‘Daí, a ideia de contribuir com essa causa, conscientizando as pessoas, através da poesia”, diz.

Para escrever o cordel “Um toque de consciência”, Erialdo Rebouças conta ter se inspirado na campanha Novembro Azul, realizada pela Liga Mossoroense de Estudos e Combate ao Câncer (LMECC) em conjunto com o Centro de Oncologia e Hematologia (COHM). “É por uma causa justa, não é!”, exclama.

Depois de participar de atividades internas na Ursap, dirigidas aos homens que trabalham da Unidade de Saúde, Erialdo Rebouças comenta que buscou a inspiração para fazer o trabalho. “Numa madrugada, escrevi o cordel”, diz ele, declarando-se apaixonado pela música e pela poesia nordestinas.

Voltando ao tema do cordel, dirigido ao público masculino, reticente ao toque retal no exame de prevenção do câncer da próstata, Erialdo Rebouças que a linguagem popular, utilizada na literatura de cordel, alcança chega mais facilmente às pessoas.  “Uma linguagem simples, de abordagem séria”, avalia o autor.

Obra – “Um toque de consciência” é um dos doze cordéis escritos por Erialdo Rebouças, a maioria deles abordando temas de saúde pública, tais como DST/AIDS, prevenção às drogas, prevenção ao câncer de mama nas mulheres, entre outros. Ele também se arrisca a escrever sobre temas políticos e de humor.

Em “Um toque de Consciência”, Erialdo alerta: “falo do câncer de próstata, doença que se espalha, tirando a vida dos homens, como lâmina de navalha; E o que tem no preconceito, o tecido da mortalha”. E continua: “o homem tem que entender/que precisa se cuidar/E a atitude correta/é o médico procurar/E num toque de cuidado/o exame realizar...”.

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Sandra está disposta a minar o PT

2012 está bem pertinho. Sabedora de que é preciso minar espaços na própria oposição para que a deputada estadual Larissa Rosado (PSB) continue em alta, a deputada federal Sandra Rosado (PSB) não perdeu a oportunidade de arrancar umas palavrinhas da presidente Dilma Rousseff (PT), que esteve hoje pela manhã no Rio Grande do Norte, que podem comprometer, à primeira vista, o projeto do PT de Mossoró, que trabalha com a pré-candidatura do reitor da Ufersam, Josivan Barbosa de Menezes, à Prefeitura de Mossoró.

Via Twitter, Sandra Rosado afirmou que Dilma Rousseff havia garantido que estaria em Mossoró em 2012 para fazer campanha pró-Larissa Rosado.

Algo que realmente escanteia o projeto petista local.

Claro que a presidente Dilma não sabe que o PT tem um pré-candidato a prefeito e Sandra Rosado fez valer sua experiência política. Ela sabe que qualquer palavra pode minar os espaços do PT, especificamente o projeto de Josivan Barbosa.

Agora o PT de Mossoró tem que correr atrás do prejuízo. O reitor da Ufersa, que tem afirmado que os assuntos relacionados às eleições em Mossoró - para o âmbito nacional - devem ser tratados pela deputada federal Fátima Bezerra, deve cair em campo para minimizar os prejuízos que a declaração da presidente DIlma Rousseff possam causar futuramente.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Uern, pela 1ª vez, receberá emenda do OGU

Pela primeira vez, ao longo de seus 43 anos, a Universidade do Estado do Rio Grande do Norte será beneficiada com emenda da bancada federal do Estado. O reitor da Uern, professor Milton Marques de Medeiros, informou que a emenda será de pouco mais de R$ 14 milhões, que se destinam à conclusão de obras dos campi de Natal, Caicó e Mossoró, além das unidades de Assu, Pau dos Ferros e Patu. “Realmente é a primeira vez que a UERN entra na cota das emendas, pois surgiu uma nova conta (no Governo Federal), que é de apoio às Universidades públicas não-federais”, disse o reitor.

Segundo o reitor, a verba da emenda possibilitará a conclusão das obras de ampliação no Campus Central, onde se iniciou a construção de um bloco vertical para a Faculdade de Ciências Exatas e Naturais (FANAT) e voltado para cursos de Mestrado e posteriormente, de Doutorado.

Além da construção do Campus de Natal e do Campus de Caicó, cujas estruturas foram iniciadas. “(A verba) também será usada em obras nos demais Campi”, disse.

O reitor informou que a reivindicação da UERN foi bem aceita pelos oito deputados federais e pelos três senadores. “Já estive em Brasília fazendo uma exposição para a bancada federal e retornarei no próximo dia 29 para uma reunião com o ministro (da Educação, Fernando Haddad), para ver se podemos dar celeridade. Para nós, esses recursos são importantes. Estamos satisfeitos e hoje (ontem) a governadora Rosalba Ciarlini me ligou pedindo informações técnicas”, informou Milton Marques.

A bancada também priorizou recursos para estradas vicinais, além das BR’s-304 (Reta Tabajara), 406 (Trevo de Igapó) e 110 (Mossoró/Campo Grande); divulgação e infraestrutura de turismo,  saúde (Hospital Geral de Natal), transporte escolar, desassoreamento do rio Mossoró e agricultura.

A governadora Rosalba Ciarlini pediu prioridade e foi atendida com recursos específicos para as obras da adutora do Alto Oeste, do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) e aquisição de equipamentos hospitalares.

No Plano Plurianual, até 2015, foram assegurados recursos de emendas coletivas para o VLT, duplicação da BR-304, novo terminal portuário, ZPE’s e ferrovia entre Natal e Mossoró. 

Para Betinho, sucessão é assunto para ser tratado por Rosalba e Fafá

“A política, em partes, se alimenta da especulação.” A frase, do deputado federal Betinho Rosado (DEM), se aplica à possibilidade de renúncia da prefeita Fafá Rosado (DEM), cujo assunto vem pautando reuniões e conversas sobre as eleições de 2012.

Betinho afirmou que o tema não foi posto ao diálogo e que, por ser de foro íntimo da prefeita, cabe exclusivamente a Fafá Rosado decidir ou comentar acerca da alternativa que vem sendo difundida para que a vice-prefeita Ruth Ciarlini (DEM) assuma o comando do Executivo e possa disputar a Prefeitura de Mossoró no próximo ano. “A prefeita tem um mandato dado pelo povo e cabe a ela decidir. Essa possibilidade não está posta na mesa, mas pode ser discutida”, comentou.

Betinho Rosado analisa que a definição do candidato governista será feita pelas maiores eleitoras de Mossoró: a governadora Rosalba Ciarlini e a prefeita Fafá Rosado. “São elas que devem se entender. O candidato apoiado (por elas) deverá ser o favorito”, disse o deputado federal. Betinho disse que a sua análise parte da premissa de que a oposição municipal não está bem. “O desempenho dos candidatos de oposição, segundo as pesquisas, tem sido pequeno”, afirmou.

Segundo o parlamentar democrata, as sondagens de opinião pública mostram que a deputada estadual Larissa Rosado – pré-candidata ao Palácio da Resistência pelo PSB – apesar de estar liderando, aparece na casa dos 30%.

Além disso, Betinho disse que o pré-candidato do PT, Josivan Barbosa de Menezes (reitor da Universidade Federal Rural do Semiárido – UFERSA) não chegou aos 10%. “PT e PSB também não vão se aliar e isso mostra que a oposição está em posição desconfortável”, analisou.

Ainda segundo Betinho Rosado, quando a oposição almeja ganhar uma eleição,m tem que partir para o pleito eleitoral com um bom patamar. Diante disso, ele comentou que o candidato governista ainda a ser definido sairá com uma boa vantagem sobre a oposição. “Se a oposição está com 30%, isso é complicado”, disse.

Câmara Federal
Betinho Rosado informou que sua exoneração da Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e da Pesca (SEAPE) para reassumir a vaga na Câmara Federal estava acertada com o Rogério Marinho (PSDB e primeiro suplente) desde o início do ano. Ele disse que reassumirá a SEAPE na próxima sexta-feira.

“Tenho compromisso com as lideranças que me apoiaram no exercício do mandato e o Orçamento Geral da União (OGU) é o instrumento que permite a construção de ginásios, escolas, postos de saúde e outros benefícios e reassumi o mandato para colocar emendas nesse sentido”, disse Betinho, acrescentando que nos últimos anos destinou três emendas para Mossoró, das quais duas foram liberadas e que somam mais de R$ 40 milhões.

Bancada
Ontem houve mais uma reunião da bancada federal para definir as emendas coletivas e individuais que beneficiarão o Rio Grande do Norte. Betinho Rosado informou que cada um dos deputados federais e senadores tem direito.

Segundo ele, das 11 emendas ao OGU, três já estariam praticamente definidas e beneficiam três Instituições de Ensino Superior (IES) do Estado: Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA) e Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN).

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Chefe de Gabinete confirma reunião

O chefe de Gabinete da Prefeitura de Mossoró, Gustavo Rosado, confirmou que a bancada governista solicitou reunião com a prefeita Fafá Rosado para discutir 2012. O encontro, segundo ele, foi rápido e que uma nova reunião será realizada ao longo da semana. Disse que o novo encontro será para o grupo discutir as eleições do próximo ano, incluindo a possibilidade de renúncia da prefeita.

Movimento 'fica Fafá' é iniciado

O blog foi informado sobre uma reunião que acontece agora na casa da prefeita Fafá Rosado (DEM). O encontro teria sido solicitado pelos nove vereadores que compõem a bancada governista na Câmara Municipal.

Embora sem confirmar a informação, tendo em vista que a fonte passou os dados nesse exato momento, o blog adianta que o assunto envolverá as eleições de 2012.

Especificamente sobre Fafá e a vice-prefeita Ruth Ciarlini. A bancada teria se reunido para pedir a prefeita para não renunciar.

O blog está postando a informação por acreditar nessa possibilidade, já que é do conhecimento público que a renúncia de Fafá não está totalmente descartada. A prefeita tem afirmado e reiterado que continuará no cargo, mas em se tratando de política, tudo pode acontecer.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Ivanildo Vila Nova no Restaurante Bocado`s

Dois grandes nomes da cantoria de viola se encontrarão nesta sexta-feira (11) no Bocado´s Restaurante, localizado ao lado da Praça do Conjunto Vingt Rosado (Mossoró), a partir das 19h. Será um espetáculo da cultura popular nordestina. Promete ser um dos maiores que Mossoró já teve com a participação da dupla Ivanildo Vila Nova e Valdir Teles. Além da dupla de violeiros, também se apresentarão os emboladores de coco José Ribamar e Concriz, o poeta Antônio Francisco e o cantor e compositor Genildo Costa. Haverá ainda a apresentação de declamadores e exposições de cordéis e CDs.


www.blogdocarlossantos.com.br

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

‘As minhas grandes vitórias foram na oposição’

A ex-governadora Wilma de Faria, apesar de ter o nome definido pelo seu partido, PSB, para disputar a Prefeitura de Natal nas eleições municipais do próximo ano, não confirma nem nega tal projeto. Nesta entrevista, Wilma afirmou que o projeto da sua legenda é se fortalecer para o pleito de 2014.

Perguntada sobre essa particularidade, ela frisou que não teria a resposta, a qual dependeria dos resultados de 2012. A única ressalva feita pela ex-governadora, dando sinais de que 2012 valerá como espelho para 2014, foi quando disse que sempre se saiu melhor quando era da oposição.

“No caso do PSB, nós vamos fazer uma construção política para que as vitórias conquistadas em 2012 se projetem para 2014. Não tenho medo de ser oposição. Historicamente, as pessoas se acomodam junto ao governo, mas as minhas grandes vitórias foram na oposição.”

Wilma de Faria, que foi prefeita da capital três vezes, criticou a administração Micarla de Sousa (PV), ao dizer: “A prefeita Micarla de Sousa tem desagradado à população de Natal e isso está evidenciado pelas pesquisas de opinião pública divulgadas. Uma realidade contundente.”

Sobre a especulação de que sua pré-candidatura não teria base sólida e que estaria encobrindo aliança com o PDT, indicando o candidato a vice-prefeito, a ex-governadora tratou de negar e afirmou que não teve nenhuma conversa nesse sentido com a cúpula pedetista, liderada pelo ex-prefeito Carlos Eduardo Alves. Wilma, que já teve apoio dos Alves e Maia no passado, não escondeu que poderia conversar com as lideranças que hoje apoiam a governadora Rosalba Ciarlini (DEM) com relação ao pleito eleitoral de 2012.

“Alves e Maia foram inimigos durante anos e nesse jogo se alternaram no poder durante três décadas. Hoje se uniram, estão juntos e participam do Governo do Estado. E nós somos oposição. O PSB aceita conversar principalmente sobre projetos de desenvolvimento para o Rio Grande do Norte e para Natal e que tragam bem-estar à população”, disse.


No congresso estadual do PSB realizado no sábado passado, 29, ficou evidenciado que o nome da senhora já está definido para disputar a Prefeitura de Natal, bem como o da deputada estadual Larissa Rosado em Mossoró. Além dessas duas cidades, o PSB tem projeto para quantos municípios do Estado?
WILMA DE FARIA - No Congresso do PSB, nós reunimos o partido, que está presente em todas as regiões do Estado, para uma eleição de chapa única, sem disputa, quando fui reconduzida à presidência do diretório estadual. Foi formada uma nova comissão executiva estadual e também um novo diretório. Evidente que os prefeitos candidatos à reeleição e outros candidatos a prefeito estavam presentes. Então, foi realçada a possibilidade de o PSB ganhar a eleição em Natal, Mossoró, enfim, em dezenas de municípios do Estado, além de compor chapa com vários partidos em outros municípios do Rio Grande do Norte. O partido também pode ganhar a eleição indicando vice em muitas cidades e indicando prefeito em mais de 60 municípios.

LOGICAMENTE que a meta de todo partido político é eleger o maior número de prefeitos e vereadores. No caso do PSB, 2012 estaria ligado a 2014. A senhora trabalha com essa projeção?
NO CASO do PSB, nós vamos fazer uma construção política para que as vitórias conquistadas em 2012 se projetem para 2014. Não tenho medo de ser oposição. Historicamente, as pessoas se acomodam junto ao governo, mas as minhas grandes vitórias foram na oposição.

FOI especulado que a senhora não disputaria a Prefeitura de Natal e estaria costurando entendimento para fechar chapa com o PDT, na qual o PSB indicaria o candidato a vice-prefeito. Existe essa possibilidade?
ESSE assunto nunca foi discutido. Não está em discussão essa proposta.

A SENHORA tem feito críticas contundentes à prefeita Micarla de Sousa. O que, efetivamente, deixou de ser feito pela prefeita?
A PREFEITA Micarla de Sousa tem desagradado à população de Natal, e isso está evidenciado pelas pesquisas de opinião pública divulgadas. Uma realidade contundente.

COM a experiência de quem foi prefeita três vezes da capital e duas vezes governadora, o que falta para a senhora fazer por Natal?
DEIXEI a Prefeitura de Natal há quase 10 anos, portanto, a realidade era outra. O que vejo hoje é que a cidade precisa ser reorganizada com relação ao trânsito, ao transporte coletivo. Precisa de acertos com relação ao básico, que é a limpeza urbana, o destino final do lixo, que faz parte de um programa de saneamento. Os projetos de mobilidade urbana necessitam de urgência até para viabilizar a Copa de 2014, do ponto de vista operacional. Além disso, tem a Saúde, que é um dos maiores problemas hoje da capital, com postos de saúde fechados. Os hospitais estaduais estão sem ASG porque as empresas terceirizadas estão sem receber pagamento, há perigo de infecção generalizada nos hospitais, faltam medicamentos, falta manutenção e as unidades de saúde e os hospitais estão desabastecidos. Sem falar no sistema viário de Natal que está destruído, com ruas e avenidas esburacadas. Faltam vias expressas para ônibus e o projeto do VLT (veículo leve sobre trilhos) nem sequer foi debatido pela Prefeitura.

A BASE da presidenta Dilma segue dividida no RN. PSB, PT e PDT surgem com candidatos. É possível unir esses partidos ainda no primeiro turno?
DO MESMO jeito que os partidos da base da presidenta Dilma surgem com vários candidatos, a mesma coisa acontece com os partidos de oposição, cujo discurso é um e a realidade é outra. Então, por isso é possível que em 2012 haja muitos candidatos para se unirem só no segundo turno.

A SENHORA tem dito que o PSD, do vice-governador Robinson Faria, pode somar na oposição. O PSB estaria interessado em compor com Robinson?
O VICE-GOVERNADOR Robinson Faria deixou claro para o Rio Grande do Norte que ficaria na oposição ao governo. Na verdade, segundo a imprensa e as palavras do ex-secretário Paulo de Tarso, ele foi afastado do governo pelo marido da governadora. E tanto o nosso PSB quanto o Partido dos Trabalhadores convidaram Robinson para somar e fortalecer a oposição ao Governo do Estado e à Prefeitura.

PARA 2014, alguns nomes estão sendo postos para a única vaga do Senado: Henrique Eduardo Alves, Fátima Bezerra e Robinson Faria. A senhora também pode ser inserida nessa discussão?
NÃO posso responder porque 2014 só será definido quando as articulações de 2012 estiverem encaminhadas.

A SENHORA já teve apoio dos Alves e Maia. É possível conciliar um projeto que reúna as maiores forças políticas do Rio Grande do Norte novamente?
ALVES e Maia foram inimigos durante anos e nesse jogo se alternaram no poder durante três décadas. Hoje se uniram, estão juntos e participam do Governo do Estado. E nós somos oposição. O PSB aceita conversar principalmente sobre projetos de desenvolvimento para o Rio Grande do Norte e para Natal e que tragam bem-estar à população.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Com atraso, Robinson anuncia rompimento com Rosalba

O rompimento político com a governadora Rosalba Ciarlini (DEM), anunciado á tarde pelo vice-governador Robinson Faria (PSD), já era esperado. Aliás, desde a terça-feira, 18, que se teve essa confirmação. É que no dia seguinte à chegada de Rosalba dos Estados Unidos, o normal seria a publicação de portaria com a renomeação de Robinson à Secretaria Estadual dos Recursos Hídricos. O que não ocorreu, obviamente.

O que está por trás do jogo de palavras que permeia essa cena é mais complexo do que se imagina. Há quem fale em interferência externa nas emendas feitas pela Comissão de Justiça da Assembleia no projeto do Governo, relacionado ao pedido de empréstimo de US$ 540 milhões ao BIRD. Se existe essa conversa, sinal de que algo precisa ser explicado.

O ex-prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves (PDT), chegou a fazer uma afirmação certeira certa vez: "vice é vice". Robinson Faria quis ser muito mais do que um vice: ele pleiteava ser maior até que o próprio governo.

As tentativas de emparedamento do governo Rosalba Ciarlini mostraram claramente isso. Primeiro, ele tentou robustecer o seu PSD na Assembleia Legislativa. Queria uma bancada maior que a do governo. Não conseguiu, logicamente, porque a governadora reagiu na hora certa e impediu. Depois, tentou modificar o projeto do empréstimo para fortalecer, financeiramente, a própria secretaria. Mais uma vez a governadora entrou em cena e impediu.

Robinson, na verdade, se queimou. Ele queria, no popular, abraçar o mundo com as pernas. Dar um passo maior, mas faltou-lhe elasticidade e robustez política. Talvez ele tenha pensado que ainda era o todo-poderoso da Assembleia Legislativa. Coisa essa que o atual presidente, Ricardo Motta (PMN), tratou de esclarecer quem é que dá as ordens agora na Casa.

A alegação feita pelo vice-governador, de que estava saindo do governo para se manter leal à governadora Rosalba Ciarlini, na verdade, se trata de pura fantasia política. Ele sai pelo simples fato de ter tido as asas aparadas antes que viesse a se tornar bem maior do que realmente é.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Planejamento autoriza publicação do edital de concurso para o INSS

A ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão, Miriam Belchior, assinou a autorização para a publicação do edital do concurso que selecionará 1500 técnicos do seguro social para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). A autorização para a realização do processo seletivo deverá ser publicada na edição desta quarta-feira (19) do Diário Oficial da União.

As vagas, oferecidas para candidatos de nível médio, são para trabalhar nas Agências de Previdência Social (APS) em todo o país. A maior parte dos novos contratados deverá ficar lotada nas novas agências previstas no Plano de Expansão da Rede de Atendimento (PEX). A expectativa é que nos próximos dias o Ministério do Planejamento também autorize oficialmente o concurso para peritos médicos.

Quando recebeu a notícia da assinatura da autorização para o concurso – por meio de telefonema da própria ministra Miriam Belchior - o ministro da Previdência, Garibaldi Alves Filho estava reunido com a bancada federal de Pernambuco, na Câmara dos Deputados. O assunto foi a construção das agências do Plano de Expansão da Rede de Atendimento (PEX) da Previdência Social previstas para o estado.

O ministro Garibaldi Alves Filho tem se reunido com as bancadas de diversos estados para viabilizar a construção das agências do PEX. O Orçamento da União para o próximo ano - que está sob apreciação do Congresso Nacional - reservou R$ 100 milhões para a construção das obras do PEX. Deste valor, R$ 25 milhões serão investidos na conclusão de obras já iniciadas.

O Plano de Expansão, iniciado em 2009, prevê a implantação de 720 novas APS. Desse total, 86 já foram inauguradas. Até o final de 2014, as 634 unidades restantes deverão ser entregues à população. A proposta do ministro Garibaldi Alves é que os deputados reservem parte de suas emendas individuais ao Orçamento para alocar recursos visando acelerar a construção das novas agências da Previdência.

Nesta terça-feira (18) o ministro reuniu-se com as bancadas federais de Santa Catarina, Pernambuco, Pará e São Paulo. Ele participou das reuniões acompanhado pelo secretário-executivo do Ministério, Carlos Eduardo Gabas; e pelo presidente do INSS, Mauro Luciano Hauschild.

sábado, 15 de outubro de 2011

‘Poderei contribuir ainda mais em outras funções’

O secretário municipal de Serviços Públicos, Alex Moacir, nome do PMDB cotado para compor a chapa majoritária com o DEM, não desconversa sobre esse projeto e reafirma interesse no tema, embora diga que existem outros nomes no partido que podem ser indicados. Alex afirma ter orgulho de participar do governo Fafá Rosado (DEM) e de estar contribuindo com o desenvolvimento de Mossoró, e afirmou que poderia contribuir mais e melhor em outras funções. Sobre a decisão relacionada à sucessão da prefeita Fafá Rosado, o secretário afirmou que o processo será conduzido pela governadora Rosalba Ciarlini (DEM) e pela própria prefeita.


O PMDB se mantém disposto a reivindicar espaço na chapa majoritária governista?
O PMDB é aliado ao DEM tanto a nível local como a nível estadual, participa da administração da prefeita Fafá Rosado e como aliado é natural que almeje participar da chapa majoritária nas eleições de 2012. O nosso projeto está atrelado ao projeto da prefeita Fafá e da Governadora Rosalba.

Os recentes fatos políticos mostram que o senhor seria o nome do PMDB para compor com o DEM. O senhor aceitaria ser o candidato a vice-prefeito?
Eu tenho muito orgulho de participar do Governo da prefeita Fafá e poder servir e contribuir com o desenvolvimento da minha cidade.  Poderei sim contribuir ainda mais em outras funções. No momento, o nosso partido almeja participar da chapa majoritária sem discutir nomes, temos bons quadros no nosso partido, não só Alex Moacir.

Aparentemente existe uma divisão no grupo governista. Uns defendem o nome da vereadora Cláudia Regina como candidata à sucessão da prefeita Fafá Rosado e outros apostam na vice-prefeita Ruth Ciarlini. Como o senhor acha que essa questão será resolvida?
O Processo sucessório no nosso grupo será conduzido pela governadora Rosalba e pela prefeita Fafá, que juntas saberão definir o melhor nome, aquele que agregue todos os demais pré-candidatos. Vale salientar que entre os pré-candidatos governistas, existe um relacionamento harmonioso.

Acompanhando a prefeita Fafá Rosado em várias ocasiões, inclusive de eleições bem anteriores, como o senhor vê essas especulações relacionadas à renúncia da prefeita? Ela tem conversado sobre essa possibilidade?
Nunca conversei com a prefeita sobre esse assunto. O que posso falar é que li uma entrevista sua para um jornal local que fala do desejo de concluir o seu mandato.

Como integrante da executiva local do PMDB, qual a meta do partido com relação à chapa proporcional?
Tanto eu como a presidente Isabel ficamos muito felizes com o número de pré-candidatos a vereador que conseguimos filiar. Posso afirmar que temos um grupo muito forte e que teremos uma das maiores bancadas na Câmara Municipal a partir de 2013.

Como o senhor vê a peleja entre o PMDB e o PSD, já que os dois partidos têm interesse em comum para 2014? Será possível uní-los em Mossoró nas eleições de 2012?
O PSD e o PMDB participam do governo Rosalba Ciarlini. Espero que possamos marchar juntos no pleito de 2012.

terça-feira, 11 de outubro de 2011

PSD de Mossoró: governo ou oposição?

O PSD na Câmara Municipal de Mossoró emitiu, na sessão desta terça-feira, 11, sinais evidentes de que já escolheu seu caminho: seguirá a oposição ao Palácio da Resistência. A leitura que se faz do debate ocorrido hoje indica essa decisão. Caso contrário, quais os motivos que levaram o vereador Jório Nogueira (PSD) a afirmar que quatro vereadores oposicionistas tinham assinado documento, no qual pediam que a prefeita Fafá Rosado (DEM) pagasse o FGTS dos servidores?

Outra pergunta: quem são os quatro vereadores? Resposta simples e direta: ele (Jório), Genivan Vale (PR), Lairinho Rosado (PSB) e o presidente da Casa, Francisco José da Silveira Júnior (PSD). Daí, entende-se que o discurso que vem sendo passado ao público, de que existe a possibilidade do novo partido seguir com o Democratas mossoroense, é pura balela.

Até porque Silveira sabe que terá maior espaço se seguir a oposição. Matemáticamente provado e comprovado. Ele tem perfeita noção de que, se abraçar o projeto governista ficará em situação delicada e pode colocar a sua reeleição em risco.

Além disso, é público e notório que Silveira tem maior aproximação política com as deputadas Sandra Rosado (PSB) e Larissa Rosado (PSB). 

Diante desse quadro, especula-se que o PSD indicaria o candidato a vice-prefeito na chapa a ser encabeçada por Larissa Rosado. No caso, o nome em questão seria o ex-deputado estadual Francisco José, pai de Silveira.

A questão é: será que Silveira Júnior vai mesmo tomar essa posição política? Ao que se sabe, o ex-deputado Francisco José e a sua esposa (cujo nome o blog não lembra agora) ocupam cargos comissionados. Ele na Assembleia Legislativa e ela, no Governo do Estado.

Diante disso, e sabendo que o presidente da Assembleia, deputado estadual Ricardo Motta, está mais rosalbista do que a própria governadora Rosalba Ciarlini (DEM), qualquer sinal de afronta ao projeto do Democrata em Mossoró é tiro no pé. Isso por parte de Silveira Júnior e o PSD mossoroense.


Base governista passa na 'prova de fogo' na AL

A base governista na Assembleia Legislativa derrubou o substitutivo ao projeto enviado pelo Governo do Estado, relacionado ao empréstimo de US$ 540 milhões ao Banco Internacional para a Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD). O que está em votação, e consequentemente será aprovado, é a proposta original.

Os deputados estaduais ligados à governadora Rosalba Ciarlini (DEM), com o ato, passaram na prova de fogo.

Com a aprovação do empréstimo, a governadora Rosalba Ciarlini tem o aval para discutir o assunto com o BIRD, que acontece ainda hoje.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

COLUNA

O cenário político mossoroense continua embolado. Principalmente com relação ao grupo governista. A peleja sobre a renúncia da prefeita Fafá Rosado (DEM) é a principal arma utilizada pela oposição, que se vale do artifício da incerteza para dar robustez à pré-candidatura da deputada estadual Larissa Rosado (PSB) à Prefeitura de Mossoró.

É sabido que o governismo desponta com dois nomes em evidência e um terceiro a ser posto na labuta política a qualquer momento. A vereadora Cláudia Regina (DEM) e a vice-prefeita Ruth Ciarlini (DEM) aguardam a decisão do presidente local do Democratas, ex-deputado estadual Carlos Augusto Rosado. A segunda precisa de uma operação minuciosa e bem arquitetada e a qual depende da renúncia de Fafá Rosado, que tem afirmado, continuamente, que cumprirá seu mandato até o dia 31 de dezembro de 2012. A primeira tem se projetado e continuado a pavimentação do alicerce rumo ao Palácio da Resistência. Para as duas, um só problema: a decisão de Carlos Augusto.

Fafá Rosado e o deputado estadual Leonardo Nogueira (DEM) afirmam que a decisão sobre o nome caberá a governadora Rosalba Ciarlini (DEM). Rosalba já emitiu sinais claros que deseja a irmã, Ruth Ciarlini, como candidata. Mas não depende apenas da sua vontade. É preciso arregimentar apoios e deixar a vice-prefeita mais robusta politicamente. Esse é o desafio. Cláudia, por sua vez, estaria mais forte do que Ruth, mas precisa de mais. Especificamente, da simpatia e do aval da governadora.

Larissa Rosado tem compreendido essa configuração do cenário político governista e usa as armas que tem: projeta-se como um nome que poderia ter o aval de Rosalba e de Carlos Augusto, dando sinais de que a união da família Rosado seria possível. Faz parte de uma estratégia que pode ganhar corpo.

Na outra rabeira da oposição, o reitor da Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA), professor Josivan Barbosa de Menezes (PT), também usa as armas que dispõe: o discurso de bom gestor tem sido propagada aos quatro cantos de Mossoró. Contudo, o discurso antirrosadista é velho. Esse marketing não colou em eleições passadas.

 A bancada governista na Assembleia Legislativa tem que mostrar serviço nesta terça-feira, 11. É que o projeto enviado pela governadora Rosalba Ciarlini sobre pedido de empréstimo de US$ 540 milhões ao Banco Internacional para a Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD), finalmente, vai ser apreciado pelo plenário da Casa. É a chamada "prova de fogo" para os deputados que dão sustentação ao governo democrata. Rosalba aguarda a decisão da AL nos Estados Unidos. A Assembleia decidirá o projeto no mesmo dia em que a governadora tem agendada reunião com a diretoria do BIRD.

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

`A última coisa que ela fará é sair do seu partido`

O presidente nacional do Democratas, senador José Agripino Maia, e mentor político da vereadora Cláudia Regina (DEM), tratou de colocar fim nas especulações de que ela sairia do DEM para outro partido a fim de consolidar o projeto de disputar a Prefeitura de Mossoró em 2012. Para Agripino, Cláudia terá apoio do partido para qualquer cargo que queira se submeter à avaliação das urnas. “Para ser candidata a qualquer coisa ela contará com o partido dela. A última coisa que ela fará é sair do seu partido”, afirmou. O senador também falou que não existe nenhuma conversa relacionada à sucessão da prefeita Fafá Rosado e disse que o tema será tratado pela governadora Rosalba Ciarlini, ex-deputado Carlos Augusto e pela própria prefeita.

Tem se especulado que a vereadora Cláudia Regina teria quer sair do DEM para se candidatar à Prefeitura de Mossoró. O senhor autorizará a saída dela?
JOSÉ AGRIPINO - Pergunta mais sem futuro. Cláudia Regina é um quadro do DEM, disciplinada e que nos orgulha muito. A última coisa que passaria pela cabeça dela era sair do Democratas para sair candidata. Para ser candidata a qualquer coisa, ela contará com o partido dela. A última coisa que ela fará é sair do seu partido.

QUAL a situação atual do DEM com relação à sucessão?
DE EXPECTATIVA, de ouvir a governadora Rosalba Ciarlini, que é grande líder em Mossoró, de ouvir o presidente do DEM Carlos Augusto, que é um homem hábil, competente e paciente, de ouvir os pleiteantes da função. Falta um ano, e por que iremos decidir o candidato agora? Não tem fundamento nem precisão disso. E não há razão para isso.

NÃO se tem nada conversado sobre a sucessão da prefeita Fafá Rosado?
NÃO. O que existem são naturais anseios e especulações. Mas não tem nada definido.

O DEM terá candidato a prefeito em todos os municípios?
CANDIDATO próprio ou candidato com aliança. O DEM sairá dessa eleição municipal maior do que é hoje. E no Brasil, bem maior do que está.

COMO o DEM fica com relação ao PSD?
ESSE é um assunto encerrado. Mantemos todos os nossos questionamentos e nossas dúvidas, mas se o TSE decidiu, está decidido.

É POSSÍVEL uma aliança com o PSD?
SERÁ decidido pela executiva nacional como uma postura no Brasil inteiro e será levado aos diretórios estaduais na composição das chapas nos municípios. É uma coisa a ser decidida mais na frente e em caráter nacional. O que será feito no Amapá será feito no Rio Grande do Norte. O que será feito no Rio Grande do Norte será feito no Rio Grande do Sul.

E COM relação à aliança com o PMDB? A parceria está fechada?
NÃO há nenhum questionamento a ser levado à executiva nacional com relação ao PMDB. Está fechada e consolidada.

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Robinson é colocado no seu 'quadrado'

Não é novidade e nem segredo para ninguém: o vice-governador Robinson Faria (PSD) quis ser maior que a governadora Rosalba Ciarlini (DEM). Precisou ser lembrado daquela musiquinha, que diz "... cada um no seu quadrado." Robinson achou que continuaria na velha política de dar as cartas no governo. Pensou, apenas.

Certamente ele não imaginou que Rosalba e o ex-deputado estadual Carlos Augusto iriam aceitar a continuação de algo que não deu certo antes. Sim, porque o que Robinson queria era se manter no topo das decisões, de ser procurado pelo governo como era no tempo de Wilma de Faria.

Outro erro do vice-governador foi achar que ele estaria acima da própria governadora. Ora, difícil imaginar que um um vice poderia pensar ter mais poder do que o titular.

Não foi à toa que Rosalba chegou ao Governo do Estado. E também não foi à toa a derrota de Robinson na Assembleia Legislativa. O marido da governadora, ex-deputado Carlos Augusto, sabe perfeitamente os "caminhos das pedras" do Legislativo estadual. Afinal, ele foi presidente da Casa. Robinson chegou a imaginar que somente ele conhecia os meandros da AL. E foi esse o erro fatal.

O desentendimento político entre Robinson e o governo é evidente. Tanto que o presidente da AL, Ricardo Motta, fez essa afirmação em entrevista à imprensa natalense: "é do conhecimento de todos do estremecimento de Robinson com o Governo." E notório, o blog acrescenta.


terça-feira, 4 de outubro de 2011

Especulação pós-passagem de Rosalba em Mossoró

A passagem da governadora Rosalba Ciarlini em Mossoró, semana passada, deu sinais claros acerca do nome que disputará a Prefeitura de Mossoró em 2012. Não foi à toa que o Governo do Estado se instalou na Vice-Prefeitura. Tampouco o holofote que surgiu sobre a secretária de Infraestrutura do Estado, Kátia Pinto.

Na lista do "não foi à toa", o ex-deputado estadual Carlos Augusto Rosado ciceroneou o presidente nacional do Democratas, senador José Agripino Maia na quinta e sexta-feira passadas. Sinais dos tempos? Evidentemente que não. Os sinais são outros.

Sabe-se que no sábado houve uma reunião em determinado hotel da cidade e da qual José Agripino participou. O blog se reserva no direito de não nominar os demais presentes, mas adianta que o assunto foi o de sempre: a sucessão da prefeita Fafá Rosado (DEM).

Claro que a governadora Rosalba Ciarlini tem interesse em fazer da vice-prefeita Ruth Ciarlini a candidata natural à reeleição, mas esbarra na renúncia da prefeita Fafá Rosado. O que também é natural que não aconteça. E se vier, também não será algo inesperado.

O que se pode dizer é que todos os pré-candidatos governistas continuam no páreo. Mais chances para a vereadora Cláudia Regina (DEM). Ruth também não deve ser menosprezada ou escanteada. Tem igual percentual de Cláudia de vir a ser a escolhida.

Tudo depende, agora, de como os nomes postos vão se comportar até o veraneio, que é quando tudo se decide.

Em uma emissora de rádio local, José Agripino pôs panos frios na suposta ida de Cláudia Regina para o PSD. Ele afirmou que a vereadora terá apoio do Democratas para disputar "qualquer coisa" e que sair do DEM era a última coisa que passava pela cabeça de Cláudia.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

'Estarei ao lado do meu grupo', diz Cláudia Regina

O blog publica Entrevista com a vereadora Cláudia Regina (DEM), que discorre sobre temas interessantes na política mossoroense. Embora seja um dos melhores quadros do Democratas para a sucessão da prefeita Fafá Rosado, Cláudia não tem a garantia de que ela será a escolhida. Nesta conversa, a vereadora responde sobre as possibilidades e descarta a existência de um “plano B”.

As últimas movimentações do presidente municipal do DEM indicam que o nome governista à sucessão da prefeita Fafá Rosado pode não sair do círculo hoje formado e no qual a senhora pertence. Diante dessa especulação, a senhora acredita que o candidato democrata poderá ser uma novidade?
Eu desconheço completamente estas declarações de Carlos Augusto. Disse a quem? Quem ouviu? Pelo contrário, tenho ouvido declarações de Carlos Augusto em defesa do DEM, de incentivo aos que estão e querem fortalecer o partido. É preciso ter bastante cuidado em buscar estas fontes que estão informando isso, porque muitas vezes saem de pessoas interessadas em dividir, em enfraquecer e não é isso que o presidente do nosso partido anda dizendo. Você me pergunta sobre quem será o candidato ou a candidata democrata, acredito naquilo que vem sendo dito por José Agripino, por Carlos Augusto, por Rosalba, por Fafá e por Leonardo. Que será um nome que tenha condições de levar o nosso partido a mais uma grande vitória

Hoje o grupo governista conta com cinco nomes à disposição. Dois estariam, em tese, fora da disputa eleitoral por não integrarem o DEM. Sobram a senhora, Chico da Prefeitura e Ruth Ciarlini. Como projetar uma definição?
Estamos ainda a quase um ano do processo eleitoral. Existem nomes que estão sendo colocados pela imprensa e por isso passam por avaliações constantes por parte dos observadores políticos. Entre estes nomes, o meu está incluído. Acredito que a esta altura ninguém pode fazer uma projeção em caráter definitivo, mesmo porque se trata de um processo bastante dinâmico e com bastante tempo ainda pela frente. O fato é que as nossas lideranças têm dito que o nome será do DEM e como sou integrante deste partido me coloco dentro destes critérios estabelecidos.

Apesar da prefeita Fafá Rosado ter afirmado que não renunciará ao mandato para beneficiar a vice-prefeita Ruth Ciarlini, essa possibilidade não foi totalmente descartada. Como a senhora analisa uma provável renúncia da prefeita?
Esta hipótese da renúncia vem sendo tratada apenas na mídia, pelo que sei nunca houve sequer uma conversa nesse sentido. Perguntei a prefeita Fafá Rosado sobre isso e ela me respondeu que isso nunca foi tratado com ninguém, nunca ninguém lhe fez este tipo de proposta e que não passa pela sua cabeça esta decisão. De qualquer forma não sou eu que tenho que dar uma resposta a esta pergunta. É a própria prefeita que pelo que tenho visto já deu varias declarações a respeito. Portanto, acredito que se trata de assunto encerrado.

Em recente reunião com o presidente do DEM mossoroense, Carlos Augusto Rosado, ele falou aos vereadores que o candidato a prefeito do grupo seria o que mais agregasse ao projeto governista. Como chegar a esse nome?
Essa declaração de Carlos Augusto ratifica o que disse sobre o desejo dele de valorização e fortalecimento do nosso partido, o DEM. Concordo com ele plenamente. Nosso candidato tem que ser aquele nome que mais agrega, aquele nome que mais reúna qualidades para uma disputa eleitoral. Será um nome que tenha esta visão política, que pense no fortalecimento do trabalho que a nossa governadora Rosalba começou a realizar no nosso Estado e que corresponde aos planos do DEM que vem trabalhando nesta cidade há tempo, continuado na gestão de Fafá que fez a cidade avançar cada vez mais no seu desenvolvimento.

Algumas análises feitas por jornalistas políticos apontam que a senhora será candidata à reeleição. Caso não consiga viabilizar seu nome à disputa majoritária, esse poderia ser o chamado plano B?
Não serei hipócrita de desconsiderar a citação do meu nome para a disputa da Prefeitura, de agir como se isto não estivesse acontecendo ou me fazer de desentendida. É algo que me deixa honrada. Pelas funções públicas que ocupei, de secretária municipal, de vice-prefeita e de vereadora, me sinto preparada para um desafio deste porte. Acredito que tenho a contribuir com o processo de desenvolvimento da cidade. E quando seu nome é citado dentro de um processo como o meu está sendo, se digo que me sinto preparada para contribuir com uma missão dessas, o mais honesto a fazer é buscar ouvir as pessoas, considerar as alternativas e trabalhar para que haja a viabilização. Então, para responder de forma bem sincera sua pergunta, lhe digo que estou sim levando em consideração a possibilidade de vir a disputar a Prefeitura de Mossoró. E quando você admite uma possibilidade tem que se focar nela. Estabelecer plano A, plano B ou plano C, seria falta de foco da minha parte.

Outra possibilidade já especulada diz respeito ao seu nome compondo a chapa majoritária na condição de candidata a vice-prefeita. A senhora está pensando, também, nessa direção?
A direção do meu pensamento eu já respondi bem claramente na resposta a pergunta anterior que me foi feita. Muito me honrou ter exercido o cargo de vice-prefeita da minha cidade. Colaborei da forma que pude com a administração que fiz parte. Acredito que esta contribuição já foi dada.

Voltando à questão Ruth Ciarlini: o fato da atual vice-prefeita ser irmã da governadora Rosalba Ciarlini é visto como algo que poderia ser facilitador para Ruth ser alçada à condição de prefeita e, naturalmente, ir para a reeleição. Caso essa possibilidade se concretize, não causaria problemas ao grupo? A senhora acha que a prefeita Fafá Rosado teria como participar ativamente da campanha?
Não posso avaliar uma situação hipotética deste porte, considerando que não existe de nenhuma das partes, seja da governadora ou da prefeita, qualquer articulação que leve a algo assim. Como disse antes isso nunca foi tratado e a prefeita já anunciou sua posição para a hipótese que está sendo especulada. O que posso avaliar, e acho que é o que você está me perguntando, é a importância da governadora Rosalba Ciarlini na sucessão municipal e a influência que ela terá junto ao eleitor. Rosalba tem uma história com Mossoró, a cidade reconhece suas três gestões que foram importantíssimas para que a Mossoró tão sonhada por todos fosse se tornando uma realidade. Ela é a maior eleitora de Mossoró, é a nossa líder e seu apoio será primordial para uma campanha vitoriosa. Sobre a participação ativa e legitima de Fafá Rosado na campanha, acredito nisso sim. Porque tenho certeza que Rosalba e Fafá estarão juntas, lado a lado, defendendo um nome que seja o melhor para Mossoró.

A administração municipal passa por um bom momento, com obras de grande porte para serem inauguradas, e a prefeita Fafá Rosado aparece,  consequentemente, em situação política confortável para as eleições de 2012...
A prefeita Fafá Rosado é uma pessoa séria, honesta, comprometida com a cidade. Sua administração foi alvo de uma duríssima campanha de mídia, atacada diariamente, sempre por pessoas que apostavam no quanto pior, melhor (para elas). A prefeita teve a coragem de tomar decisões difíceis quando a crise se abateu sobre os municípios, os Estados e o País. E foi pela sua coragem que a cidade saiu da crise em maiores problemas. As obras estão ai, as contas da Prefeitura estão organizadas, a cidade cresce e o povo tem orgulho disso tudo. Eu tenho certeza que Fafá terá uma participação ativa na sua sucessão, vai estar nas ruas defendendo um projeto político que represente mais desenvolvimento e mais crescimento. Como ela sempre fez, com coerência, equilíbrio, sensibilidade, ética sem atacar ninguém, sempre com um sorriso e um abraço aberto para todos.

Percebe-se que a senhora vem aparecendo mais em eventos da Prefeitura e mais ao lado do secretário Alex Moacir, do PMDB. Seria a divulgação prévia da chapa ideal para a senhora?
Considerando que não existe nenhuma definição e que não se pode falar que A ou B será candidato ou candidata, imagine eu ter a pretensão de falar agora em chapa ideal ou chapa de meu gosto. O secretário Alex Moacir é um amigo que tenho e que pelo seu trabalho teve seu nome posto no processo sucessório para disputar na chapa majoritária. Assim como outros nomes estão colocados. Como tenho acompanhado a agenda da prefeita e em alguns momentos tem coincidindo de estarmos juntos. A formação de chapa é uma tarefa das nossas lideranças e como liderada que sou confio que eles saberão fazer as melhores escolhas.

Caso a senhora não seja indicada pelo DEM à chapa majoritária, como será a sua participação no pleito eleitoral do próximo ano?
Eu compreendo que o jornalista político tem necessidade de reunir opiniões sobre os diversos cenários. Por isso compreendo esta sua pergunta que aborda a hipótese de um cenário. Mas não há nenhuma dificuldade em responder a isso não. Tenho me colocado neste processo como integrante de um grupo político cuja missão é ajudar a manter vitorioso um projeto que vem ajudando esta cidade a se desenvolver. Sou um soldado. Tenho sentimento de colaboração. Quem pensa assim está disposto a participar de um debate maior, com bons argumentos e com visão de futuro. Portanto, estarei ao lado do meu grupo como sempre estive, defendendo as idéias que prevalecerem neste debate democrático.

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Casa de Saúde Dix-sept Rosado à beira da falência

“A Apamim (órgão que gerencia a Casa de Saúde Dix-sept Rosado) está quebrada e tem um déficit de R$ 5 milhões a R$ 10 milhões e não tem condições de funcionar. Tenho documentos suficientes para pedir a interdição, mas quem perderia era a população”. A afirmação foi feita hoje pela promotora da Saúde Ana Ximenes, durante reunião no Palácio da Resistência com a prefeita Fafá Rosado, deputado estadual Leonardo Nogueira, secretário Francisco Carlos e o gerente Benjamim Bento, além dos auditores do Conselho Municipal de Saúde.

A promotora foi mais além e disse dispor de toda a documentação que mostra a decadência financeira da instituição. Segundo ela, uma das saídas para a crise por qual passa a Casa de Saúde controlada pelo ex-deputado federal Lahyre Rosado (PSB) seria o Governo do Estado e a Prefeitura de Mossoró assumirem a responsabilidade da instituição.

Ana Ximenes afirmou ainda que Lahyre Rosado teria externado interesse em passar o "abacaxi" para o Governo do Estado. 

A discussão toda foi originada pelo relatório feito por auditores do Conselho Municipal de Saúde, cujo documento aponta falhas para o não-credenciamento de novos três leitos de UTI Neonatal na Casa de Saúde Dix-sept Rosado.

Diante do que foi exposto na reunião de hoje, dificilmente o Governo do Estado assumirá o comando da Casa de Saúde Dix-sept Rosado. O passivo financeiro da instituição surge como principal entrave para esse entendimento.

O certo é que, se Lahyre Rosado está disposto a se livrar do problema, fica evidente que o jogo político que vem sendo feito, de tentar colocar a opinião pública contra o Executivo municipal não passa de falácia. É que a diretoria do complexo da Apamim tem tentado, sistematicamente, culpar a Prefeitura pelo caos vivenciado na Casa de Saúde Dix-sept Rosado.

Na reunião de hoje, a promotora Ana Ximenes afirmou ainda que o ex-deputado estaria depressivo. "Ele sofreu algumas condenações e isso foi desagradável para ele", disse.

Além do caos financeiro e da ameaça de interdição por parte do Ministério Público, a Casa de Saúde Dix-sept Rosado enfrenta mais outro problema: pedido de intervenção pelo Ministério do Trabalho.



sexta-feira, 2 de setembro de 2011

'Haverá consenso na escolha do nome'


O deputado estadual Leonardo Nogueira (DEM0 mantém a afirmação de que a prefeita Fafá Rosado (DEM) não renunciará ao cargo. Apesar dessa afirmação, deixou no ar a possibilidade ao dizer que em política tudo pode acontecer, especificamente quando perguntado sobre um acordo, que está sendo especulado, para que Fafá possa ocupar uma vaga no Tribunal de Contas do Estado (TCE) como conselheira. Seria essa uma das saídas para a renúncia da prefeita de Mossoró, cujo ato beneficiaria a vice-prefeita Ruth Ciarlini (DEM). Ruth é irmã da governadora Rosalba Ciarlini (DEM) e somente poderá sair candidata à prefeita com a saída de Fafá do cargo. Ela seria nome natural à reeleição e sem impedimentos jurídicos. “Como você mesmo disse, em política tudo é possível. Hoje, o que posso lhe responder é que, quando a prefeita Fafá conversa com a população de Mossoró, sempre recebe pedidos para que conclua sua gestão”, disse o deputado. Leonardo Nogueira também não vê problemas com a composição partidária DEM/PMDB, como se cogita devido às conversas à aliança envolvendo os dois partidos, mas também não descarta a chapa DEM/DEM. “É possível o DEM disputar as eleições 2012 com uma chapa puro-sangue, desde que haja acomodação, com entendimento, e um projeto de parceria político-administrativa, pensando no melhor para Mossoró.” Confira a entrevista:


O SENHOR mantém a afirmação de que a prefeita Fafá Rosado não renunciará ao mandato?
ESSA, no momento, é a afirmação da própria prefeita, e o entendimento que nós temos de que a população deseja que ela conclua o mandato que o povo lhe confiou até 31 de dezembro de 2012.

O QUE levaria a prefeita Fafá Rosado a renunciar ao mandato?
A PREFEITA não pensa nessa possibilidade. Estamos ouvindo falar nesta suposta renúncia através da imprensa, mas, dentro do nosso grupo político, nunca houve nenhuma conversa sobre esse assunto.

FALA-SE em acordo para que, com a renúncia, Fafá seja indicada para uma vaga de conselheira no Tribunal de Contas do Estado. O senhor acha que essa poderia ser uma alternativa?
ISSO nunca foi pensado e nem conversado entre nós. Penso ser uma suposição natural deste momento de estudo de possibilidades com relação à escolha do nome do nosso grupo à sucessão da prefeita Fafá.

EMBORA o senhor tenha negado a renúncia da prefeita, em política tudo é possível. Nesse caso específico, se Fafá renunciasse não ficaria em situação delicada perante o eleitor? Isso não poderia ser utilizado pela oposição como um ‘estelionato eleitoral’?
COMO você mesmo disse, em política tudo é possível. Hoje, o que posso lhe responder é que, quando a prefeita Fafá conversa com a população de Mossoró, sempre recebe pedidos para que conclua sua gestão.

SE AS eleições fossem hoje, entende-se que o nome escolhido seria o da vereadora Cláudia Regina. Existe algum impedimento relacionado ao nome da vereadora ou a algum dos que estão pleiteando encabeçar a chapa governista?
NÃO existe impedimento em relação ao nome da vereadora Cláudia Regina como não há também em relação a nenhum dos outros nomes cogitados como pré-candidatos do nosso grupo.

O PMDB de Mossoró trabalha com a possibilidade de indicar o candidato a vice-prefeito, e o nome pré-escolhido seria o do secretário de Serviços Públicos Alex Moacir. Como o senhor analisa essa definição?
É POSSÍVEL. Tenho ouvido, reiteradas vezes, de nossas lideranças estaduais (Rosalba, Carlos Augusto, Betinho Rosado, José Agripino, Garibaldi Alves Filho e Henrique Alves) de que existe essa alternativa. Ou seja, nós tanto poderemos ter uma chapa “puro sangue”, como formar uma chapa DEM/PMDB.

APESAR do PMDB estar trabalhando por espaço na majoritária, o DEM pode sair com chapa puro-sangue. Seria uma alternativa viável ou criaria alguma fissura com o PMDB?
FISSURA não. É possível o DEM disputar as eleições 2012 com uma chapa puro-sangue, desde que haja acomodação, com entendimento, e um projeto de parceria político-administrativa, pensando no melhor para Mossoró. 

COMO filiado ao DEM, o senhor vai apoiar a chapa acordada por seu grupo político, mas quais são seus critérios pessoais para a escolha do candidato à sucessão de Fafá?
GOSTARIA que o nosso candidato fosse aquele que estivesse mais preparado para fazer Mossoró avançar para o futuro, dando continuidade à grande obra de Rosalba e Fafá. Mossoró não pode retroceder... Não pode dar um passo para trás. E estou certo de que o único candidato que tem essas qualidades está em nosso grupo, porque todos os nomes que estão sendo lembrados são pessoas que acompanharam as administrações dessas duas gestoras, conhecem a base do trabalho e sabem o que ainda precisa ser feito.

O SENHOR tem dito que a soma dos percentuais dos candidatos do grupo governista supera o índice de aceitação da deputada estadual Larissa Rosado. O bloco da situação acredita nesse somatório? O percentual dos demais nomes governistas não se volta apenas para uma candidatura a prefeito e individual?
EM todas as pesquisas que eu tive acesso, a soma dos nossos pré-candidatos sempre ultrapassou os 50% do eleitorado mossoroense. Essas mesmas pesquisas todos os agrupamentos políticos estão fazendo e podem comprovar o mesmo. E o somatório dos nomes dos nossos pré-candidatos irá dar base à candidatura que será posta, porque o grupo está unido e haverá consenso na escolha do nome que encabeçará nossa chapa.

O PRESIDENTE do DEM de Mossoró, ex-deputado Carlos Augusto Rosado, afirmou que o partido possui indicativos que mostram que 60% dos mossoroenses votariam em um nome apoiado por Rosalba. Os outros 40% ficariam como? Onde aparece o índice de transferência de votos da prefeita Fafá Rosado?
É VERDADE que a governadora Rosalba é a maior eleitora de Mossoró e tem essa capacidade de transferir votos. Temos números e dados que dizem que a prefeita Fafá Rosado, depois da governadora, é a que mais transfere votos em Mossoró.