terça-feira, 31 de maio de 2011

Atacantes esperam ‘passe de bola’ para fazer gol

O meio de campo da sucessão mossoroense está embolado. Tem-se quatro atacantes em posição de destaque e um quinto pode ser convocado a qualquer momento. Os vereadores Cláudia Regina (DEM) e Chico da Prefeitura (DEM) são os mais próximos da pequena área. Os secretários Francisco Carlos (PV) e Alex Moacir (PMDB) estão na grande área. A vice-prefeita Ruth Ciarlini (DEM), até aqui, está na reserva e pode entrar a qualquer momento em campo.

O certo é que todos esperam o passe da bola pelo presidente local do Democratas, ex-deputado estadual Carlos Augusto Rosado. Ele, contudo, tem se mostrado indiferente às especulações e, ao que parece, estaria disposto a apostar no gol contra, e propenso a apoiar uma candidatura adversária, da deputada estadual Larissa Rosado (PSB).

A mudança na tática do jogo poderia causar estremecimento na base governista local e estadual: de um lado estaria Rosalba, Carlos Augusto, a deputada federal Sandra Rosado e Larissa Rosado. No campo adversário, a prefeita Fafá Rosado, que teria, obrigatoriamente, de sair com um candidato.

Resta saber se essa pretensão especulativa de Carlos Augusto de concretizará ou se faz parte da tática adotada pelo técnico. Sim, porque quem dita as regras do jogo sucessório mossoroense, no campo governista, é ele. Caso passe para o outro lado, Fafá teria que buscar o gol próprio, ao que parece, apostando na liderança da vereadora Cláudia Regina.

Contudo, tudo ainda é especulação e o amistoso que se joga agora pode ser somente para despistar. Afinal, a quem interessaria o apoio do Governo á candidatura de Larissa? Seria a concretização da reunificação política da família Rosado?

O blog, sinceramente, não crê nessa possibilidade. Resta somente esperar para que o jogo realmente comece para saber quem fará o gol da vitória.

Cláudia afirma que não sairá do DEM

A vereadora Cláudia Regina (DEM) buscará a viabilidade de seu nome no Democratas para disputar a Prefeitura de Mossoró no próximo ano. “Acredito na viabilidade”, disse, acrescentando que o Democratas tem bons nomes à sucessão da prefeita Fafá Rosado (DEM). Ela se referiu ao vereador Chico da Prefeitura, à vice-prefeita Ruth Ciarlini e a si própria. Ao que parece, a parlamentar tem a expectativa de que o DEM de Mossoró apresente chapa puro sangue em 2012, a exemplo do que ocorreu nas eleições anteriores.

Cláudia Regina também fez questão de minimizar as especulações de que estaria propensa a sair do DEM, caso não seja escolhida para a cabeça da chapa governista. “Não vou sair do DEM. Não tenho essa intenção e acredito no consenso”, afirmou.

A vereadora fez questão de ressaltar que acompanha o mesmo grupo há mais de 20 anos e que não será agora que mudará de legenda. “Não está em meus planos e não vou deixar o DEM”, reafirmou.

Faltando um ano e poucos dias para as convenções partidárias que homologarão os candidatos às eleições de 2012, Cláudia Regina focaliza suas ações na disputa majoritária. Ela deixa entender que chegou sua hora de disputar a Prefeitura de Mossoró. Em entrevistas anteriores, a vereadora disse que não está em seus planos disputar as eleições na condição de candidata à vice-prefeita. “Já dei minha contribuição como vice”, tem afirmado.

Embora a atual vice-prefeita Ruth Ciarlini esteja na lista de possíveis nomes à disputa pela Prefeitura de Mossoró, dois obstáculos surgem no meio do processo: a renúncia da prefeita Fafá Rosado e o fato de ser irmã da governadora Rosalba Ciarlini (DEM). É que, para sair na cabeça da chapa governista, Ruth teria que assumir a Prefeitura e partir para a reeleição. Para isso, a prefeita teria que renunciar. Além disso, a barreira também aparece no campo jurídico, já que o direito adquirido com a ascensão de Rosalba ao Governo do Estado seria o de disputar a reeleição como vice-prefeita.

Diante desse quadro, e como a própria governadora Rosalba Ciarlini tem afirmado, bem como o presidente municipal do Democratas, ex-deputado estadual Carlos Augusto Rosado, de que o partido terá candidato próprio, sobrariam Cláudia Regina e Chico da Prefeitura.

Cláudia aposta suas fichas no fato de possuir experiência no Executivo, uma vez que foi a vice da prefeita Fafá Rosado no primeiro mandato (2000 a 2004), além de ter coordenado o Meios em Mossoró. Aliado a esses fatores, a vereadora teria o incentivo do presidente nacional do DEM, senador José Agripino Maia, bem como provável apoio da governadora, caso seja escolhida para ir ao embate eleitoral de 2012.

Contra a indicação de Cláudia existe o fato de não ter apoiado a reeleição do deputado federal Betinho Rosado (DEM) nas últimas duas eleições. Ela trabalhou para o também deputado federal Felipe Maia (DEM), filho de José Agripino.

Contudo, são detalhes que o grupo governista terá que avaliar já a partir de agora, pois o mês de setembro tende a ser de definições políticas para os que querem disputar as eleições do próximo ano. Embora afirme que não deixará o DEM, Cláudia pode ter que tomar decisões contrárias, caso o quadro aponte para outro nome que não seja o seu.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

PMDB tem mais chance de compor com o DEM

Setembro também será o marco para outros nomes, como os secretários Francisco Carlos (da Cidadania) e Alex Moacir (Serviços Públicos). Filiados ao PV e PMDB, respectivamente, eles podem migrar para o DEM. É uma possibilidade.

No caso de Francisco Carlos, pesa contra o seu projeto o fato de ser do PV. É que o Partido Verde é um neoaliado do DEM, particularmente em Natal, onde houve apoio formal do Democratas ao PV nas eleições de 2008, quando a jornalista Micarla de Sousa se elegeu prefeita da capital.

No ano passado, DEM e PV seguiram separados, embora Micarla apoiasse a então candidata Rosalba Ciarlini ao Governo do Estado. Pensar em uma aliança às eleições de 2012 fica complicado, até pelo fator negativo que vem da administração de Micarla em Natal.

Com esse cenário, uma das alternativas para Francisco Carlos seria migrar para o Democratas. Contudo, pelas declarações recentes do secretário, o fortalecimento do PV é a meta, a qual se concentra em lançar uma chapa proporcional forte para contar com representantes na Câmara Municipal.

Especula-se que, caso Francisco Carlos não consiga se projetar na chapa majoritária, seja na condição de candidato a prefeito ou a vice-prefeito, o plano “B” seria tentar uma vaga no Legislativo.

Com relação a Alex Moacir, a diferença entre ele e Francisco Carlos é que o seu partido, o PMDB, tem histórico de aliança com o DEM, o que o coloca como nome à chapa majoritária. O PMDB trabalha com a hipótese de estar na majoritária e não tem projetado o nome de Alex à Câmara Municipal. Mas também é uma alternativa que pode se configurar mais na frente.

Setembro será o mês das definições

Setembro será o mês decisivo para quem pleiteia disputar algum cargo eletivo em 2012, especificamente à Prefeitura Municipal. É que setembro se constitui no limite de data aprazado pela Justiça Eleitoral com relação à filiação partidária. No caso dos que pleiteiam extraoficialmente o Executivo, será o mês das definições. Essa particularidade afetará apenas os nomes que despontam no grupo governista, dependendo da posição da prefeita Fafá Rosado (DEM), da governadora Rosalba Ciarlini (DEM) e do presidente municipal do Democratas, ex-deputado estadual Carlos Augusto Rosado.

A leitura que se faz é que, levando-se em consideração a afirmação feita por Carlos Augusto de que o DEM terá candidato próprio, o nome que for preterido pode migrar para outra legenda. Uma das alternativas seria o PSD, que será comandado pelo presidente da Câmara Municipal de Mossoró, Francisco José da Silveira Júnior. Silveira até já convidou um vereador democrata para a nova sigla.

Caso as especulações se concretizem, tomando como base a possibilidade levantada pelo deputado estadual Leonardo Nogueira (DEM), de a vice-prefeita Ruth Ciarlini (DEM) ser alçada à condição de prefeita com a renúncia de Fafá Rosado, teria-se aqui um quadro que poderia confirmar o que já se discute nos bastidores.

A vereadora Cláudia Regina (DEM) ou o vereador Chico da Prefeitura (DEM), nomes do grupo governista para a sucessão eleitoral de 2012, poderiam partir para outra legenda. O convite já foi feito a Chico da Prefeitura. Cláudia, nesse caso, seria a dúvida: permaneceria no DEM ou procuraria outro partido para concretizar o projeto de chegar à Prefeitura de Mossoró? Pergunta que fica, até agora, sem resposta, mas que tende a ser esclarecida em setembro.

Recentemente, Chico da Prefeitura afirmou, quando da visita da governadora Rosalba Ciarlini a Mossoró, por ocasião do aniversário dos 25 anos do Hospital Regional Tarcísio Maia (HRTM), que tende a ficar no DEM. Afirmou ter recebido o convite para ir para o PSD. “Vou tentar consolidar a candidatura a prefeito pelo meu partido”, afirmou o vereador. Disse que sabia que estava liderando as sondagens de avaliação interna do DEM e que, por isso, buscaria a unidade em torno de seu nome. Rosalba chegou a ouvir as palavras do vereador, mas ficou em silêncio.

Outro detalhe que chama a atenção diz respeito à composição de um novo grupo na Câmara Municipal. Seis vereadores resolveram se unir para, talvez, ter poder maior de voz às definições políticas de 2012. É só mais uma especulação, até porque nenhum se pronunciou a respeito. Contudo, é bom observar que se o “G-3” culminou com a vitória de Silveira à presidência da Câmara Municipal, o “G-6” teria, em tese, maior poder de articulação dentro da própria Câmara. Essa união pode ser vista também como um aviso ao Palácio da Resistência e, até, ao Governo do Estado.

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Samu Metropolitano do Oeste será implantado em Mossoró

Dentro da programação de comemoração dos 25 anos do Hospital Regional Tarcísio Maia (HRTM) em Mossoró, nesta sexta-feira (20), a governadora Rosalba Ciarlini efetivará a implantação do Samu Metropolitano do Oeste. O serviço vai dispor inicialmente de sete ambulâncias e duas motolâncias que irão ficar sediadas nos municípios pólo de Mossoró, Pau dos Ferros, Assu, Areia Branca, Grossos, Tibau, Apodi, São Miguel e Caraúbas.

A instalação do Samu Metropolitano do Oeste cumpre o Plano Estadual de Urgência e Emergência, definido pelo Conselho Estadual de Saúde e pelo Ministério da Saúde como principal ferramenta de interiorização da saúde.

As ambulâncias foram entregues ao Governo do Estado pelo Governo Federal em junho de 2010 e estavam paradas desde então. Mais três ambulâncias deverão ser entregues ainda este mês, totalizando 10 veículos para a região Oeste.

As motolâncias são pioneiras no Brasil. Através de uma parceria com o Corpo de Bombeiros elas irão funcionar com um socorrista bombeiro e um técnico em enfermagem socorrista do SAMU.

A programação dos 25 anos do hospital Tarcísio Maia inicia às 9h e se estende durante todo o dia. Na ocasião também será entregue o novo pronto-socorro do hospital, totalmente reformado e ampliado, que recebeu investimento de cerca de 130 mil reais.

Fonte: Assecom

segunda-feira, 9 de maio de 2011

‘A Apamim é filantrópica e não existe dono’

Aprefeita Fafá Rosado (DEM) descartou a possibilidade de renunciar ao mandato para atender uma especificidade política, o que beneficiaria a vice-prefeita Ruth Ciarlini (DEM). Fafá afirmou que vai cumprir seu mandato até o último dia. “Foi o povo quem me concedeu esse mandato e pretendo concluí-lo, trabalhando até o último dia. Ruth (Ciarlini) é uma excelente companheira, trabalha de mãos dadas comigo, como vice-prefeita, e vamos juntas até o fim”, afirmou a prefeita, acrescentando que é natural que especulação do tipo seja feita. Ela também disse que o fato de o grupo governista estar com quatro nomes à sua sucessão – vereadores Cláudia Regina e Chico da Prefeitura e os secretários Alex Moacir e Francisco Carlos – não quer dizer que haja esfacelamento do sistema. “Demonstra que o grupo tem bons nomes e que estamos trabalhando com pessoas competentes e que conhecem realmente o município. Para mim, é uma satisfação todos esses nomes, que têm ligação direta com a nossa administração, estarem sendo lembrados para suceder o nosso mandato”, disse. Confira a entrevista:


Qual a possibilidade de haver uma renúncia de sua parte?

FAFÁ ROSADO - Quando somos escolhidos pelo povo, temos que corresponder. Foi o povo quem me concedeu esse mandato e pretendo concluí-lo, trabalhando até o último dia. Ruth (Ciarlini) é uma excelente companheira, trabalha de mãos dadas comigo, como vice-prefeita, e vamos juntas até o fim.

A QUE a senhora atribui essa especulação de que poderia haver uma renúncia para beneficiar a vice-prefeita Ruth Ciarlini?

ACHO que é normal que as pessoas fiquem especulando. Até pela afinidade que temos, eu e Ruth, bem como eu e a governadora Rosalba Ciarlini. Sei que isso não é o desejo delas, que querem que a gente conclua o nosso mandato e, consequentemente, outros mandatos virão para Ruth, ou se for o caso, de contribuir com outros mandatos... Ou sem mandato mesmo. Sei que o nosso desejo é servir ao Rio Grande do Norte e a Mossoró.

O GRUPO ao qual a senhora pertence está com quatro nomes à sua sucessão. Esse número não chega a incomodar, já que suscita especulações de renúncia, de escolhas?

ACHO que quanto mais opções, melhor. São nomes que surgiram e que contribuem com a administração e isso é salutar. Demonstra que o grupo tem bons nomes e que estamos trabalhando com pessoas competentes e que conhecem realmente o município. Para mim, é uma satisfação todos esses nomes, que têm ligação direta com a nossa administração, estarem sendo lembrados para suceder o nosso mandato.


O DEM terá candidato próprio, como afirmaram a governadora Rosalba Ciarlini, o ex-deputado Carlos Augusto e a senhora...

ACREDITO que o nosso partido terá candidato próprio, como a governadora Rosalba falou e Carlos Augusto disse. Vamos ter um consenso com responsabilidade, com união, para marcharmos juntos e ganharmos o pleito para dar continuidade ao nosso trabalho a favor de Mossoró.


A PREFEITURA vem sendo acusada de tentar fechar as portas da Apamim...

ISSO de que o Município tenta fechar é totalmente improcedente, por hipótese alguma. Ao contrário. A Prefeitura de Mossoró ajuda bastante aos órgãos, tanto a Apamim quanto a outras instituições. A Apamim não é particular; é uma instituição filantrópica. A (Maternidade) Santa Luzia era particular e dependia de seus sócios. Se fechou, foi em comum acordo com os sócios. Agora, a Apamim é filantrópica e não existe dono. Se fecharam algumas unidades de saúde, outras abriram. A saúde do Brasil está muito mais para clínicas menores do que para hospitais grandes, e isso não é só em Mossoró; ocorre em capitais. Várias clínicas estão surgindo e as grandes estão desaparecendo. Em relação à Apamim, queremos contribuir e ajudar, como sempre fizemos com essa instituição filantrópica.

A SENHORA instituiu uma comissão para visitar algumas maternidades, tendo em vista o projeto de construção do hospital materno-infantil em Mossoró. Como está o trabalho dessa comissão?

É UM sonho nosso, pois Mossoró tem a necessidade desse hospital materno-infantil. Constituímos essa comissão, juntamente com a Universidade (Uern), já que se trata também de um hospital-escola, e isso é importante. É o desejo também da governadora Rosalba Ciarlini e, se Deus quiser, vamos concretizar o sonho de construir o hospital para dar maiores e melhores condições de assistência à mulher e à criança.

A SENHORA acredita na junção de forças para acelerar esse sonho?

ACREDITO, claro. A governadora está sensível, bem como o reitor (Milton Marques). Eu, logicamente, tenho todo o interesse para que Mossoró tenha esse hospital.


NO ANO passado, a senhora disse que no primeiro semestre de 2011 iria inaugurar a terceira UPA e iniciar a quarta. Essa palavra está mantida?

ESTÁ mantida, sim. A UPA do Belo Horizonte está praticamente em fase de conclusão. Estivemos com o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, e ele se comprometeu em nos ajudar com os equipamentos, já que nos outros municípios ele dotou as UPAs com recursos federais e a nossa é com verba própria, no valor de R$ 5 milhões. Ele disse que, como nós construímos, ele tem o desejo de nos ajudar em equipar. Tendo esse apoio, equiparemos e inauguraremos. Nosso desejo é inaugurar até julho. Assim que inaugurarmos e entregarmos à população, iniciaremos a quarta UPA para Mossoró ficar dotada com quatro UPAs, uma em cada eixo da cidade.

EM RECENTE visita da governadora Rosalba Ciarlini a Mossoró, ela disse que pretende inaugurar o primeiro trecho do Complexo Viário da Abolição no próximo ano. Como a Prefeitura pretende se adequar a essa nova realidade? Há outros projetos?

EXISTE a duplicação da Avenida Francisco Mota, que é exatamente para absorver o fluxo de veículos, que aumentará com o Complexo Viário da Abolição, que mudará totalmente o fluxo de veículos. O desejo do complexo veio no início da nossa administração. O projeto foi da nossa autoria. Fomos ao ministério (dos Transportes) e lá o ministro (Alfredo Nascimento) gostou da nossa ideia e hoje é uma realidade, juntamente com o Governo Federal e Governo do Estado.

COM as recentes chuvas, a malha viária de Mossoró está danificada em alguns trechos. A Prefeitura tem algum investimento para recuperar o asfalto?

TEM e até peço desculpas aos mossoroenses, pois a malha viária está totalmente deteriorada por força desse forte período invernoso que estamos passando. Assim que esse período terminar, vamos recuperar toda a malha viária da cidade. São mais de 180 ruas que serão recuperadas. Temos investimentos do PAC, mas a contrapartida do Município é de R$ 4,5 milhões. Tudo está legalizado para darmos um banho de asfalto, recuperando todas as ruas que estão danificadas.

JÁ QUE a senhora falou em PAC, existe ação definida para projetos aprovados pelo Ministério das Cidades?

COM certeza. Estamos indo a Brasília acompanhar a tramitação burocrática do PAC 2. Teremos o saneamento integrado que iremos fazer na área do Santa Helena 1 e 2, Santo Antônio... Tudo vai ser saneado e iremos sanear outras áreas. Mossoró ficará com 70% de área saneada. Nossa preocupação é proporcionar qualidade de vida. Iremos erradicar duas localidades subnormais (favelas): a do Tranquilim e a Wilson Rosado.

HÁ POUCO mais de um ano, a senhora lançou o Programa de Regularização Fundiária, atendendo a moradores do bairro Quixabeirinha. Essa ação será estendida a outros locais?

COM certeza. Começamos pela Quixabeirinha e beneficiamos quase mil famílias e vamos estender às outras áreas carentes. Já estamos estudando a área do Abolição IV. É um programa de cunho social grande, pois é a legalização do terreno, do imóvel. É importante que a Prefeitura valorize esse aspecto.

A PREFEITURA já anunciou a programação do Mossoró Cidade Junina...

CHEGAMOS à 15a. edição do Mossoró Cidade Junina. São 15 anos e estamos com desejo de que a edição de 2012 seja de sucesso total, com a valorização dos artistas da terra e dos que virão, bem como a parte cultural, que mostra a nossa história. A cada ano recebemos mais visitantes e tenho certeza de que será um sucesso, com mais visitantes, estimulando a cidade com aquecimento do nosso comércio. Quando o comércio aquece, todo mundo ganha, do pequeno ao grande, e ficamos felizes.

Fonte: Jornal de Fato

terça-feira, 3 de maio de 2011

‘As menina lá de casa estão tudo com a murrinha’

A cultura de algumas cidades interioranas é interessante e, na maioria das vezes, segue em último plano. São pessoas que possuem uma verve para o humor, poesia e outras artes. Do improviso, principalmente.

Pois bem, nas minhas andanças quando fazia reportagens para o Caderno Estado mantive contatos com todo tipo de gente. De intelectuais ao trabalhador rural. Do rico ao mais humilde. Em Grossos, na região salineira do Oeste potiguar, dois casos envolvendo a mesma pessoa, chamaram a atenção.

Foi no bairro Coqueiros, tido como berço de gente rica em tiradas humorísticas. A história foi contada pelo radialista Carlos Alves, entre um gole e outro de cerveja, na casa de Cláudia Alves, onde a boa comida “troa” – de ensopado de peixe à famosa e saborosa mão-de-vaca.

Entre um gole e outro, Carlos Alves vai dizendo as proezas do popular “Bibi”. O primeiro fato foi perante um juiz, em Areia Branca. No auge das discussões com a mulher, ele resolve se separar e, para oficializar o ato, chega a tão esperada audiência.

Na famosa pergunta sobre os bens que o casal tem a dividir, a resposta: “temos o rio”, disse Bibi, para o espanto do juiz que, incrédulo com a direta, reformula a pergunta, ao que Bibi rebate: “só temos o rio para pescar. Ela fica com uma metade e eu, com a outra”. Se houve a separação, ninguém sabe.

Outra história é mais recente. Ocorreu em 2008, nas eleições municipais. Em plena campanha eleitoral, eis que Bibi interpela o ex-prefeito Francisco das Chagas de Oliveira, o Duquinha, na rua para dizer que tem uma música. Claro que tinha em mente conseguir uns trocados pela obra. Duquinha fica interessado e diz que vai ouvir a tal composição à noite.

“Bibi, se a música for boa, coloco ainda hoje na rua”, disse Duquinha, que era candidato a prefeito. E chegou o tão esperado momento. O político vai logo querendo ouvir a música e Bibi desembesta a cantar: “...As menina lá de casa estão tudo com a murrinha/eu voto é com Duquinha/eu voto é com Duquinha...” Panos quentes e Duquinha não se controla. Deixa Bibi com uns trocados pela composição e o resultado das urnas não é outro: o ex-prefeito obteve pouco mais de 300 votos.

Também com uma composição dessa...