terça-feira, 30 de agosto de 2011

Governistas: unidos em torno de um projeto comum

Cláudia Regina ao lado do marido, Wagner, da prefeita Fafá Rosado, Silveira Jr, Alex Moacir e Gustavo Rosado; atrás, Francisco Carlos, vereadores e demais membros do grupo governista
Em clima de união, como sugerido na convenção do DEM de Mossoró dias passados, os prefeitáveis do grupo governista se encontraram na tarde desta terça-feira na Igreja São José, na celebração de missa pelo aniversário da vereadora Cláudia Regina (DEM) - que faz parte da lista quíntupla à definição relacionada à sucessão da prefeita Fafá Rosado (DEM).

A solenidade religiosa reuniu, além de Cláudia, os prefeitáveis Alex Moacir (PV), Francisco Carlos (DEM). O blog não percebeu a presença da vice-prefeita Ruth Ciarlini (DEM) e o vereador Chico da Prefeitura (DEM). A assessoria da parlamentar democrata informou que eles haviam sido convidados. Se foram, estavam em meio aos presentes.

O certo é que, para quebrar as especulações de que existiria divisão no grupo, a prefeita Fafá Rosado tratou de desfazer tais argumentos. Ela e o chefe de Gabinete da Prefeitura de Mossoró, Gustavo Rosado (PV), foram prestigiar a vereadora.

Se é algum sinal, algum indicativo de que o nome do sistema governista seria Cláudia Regina, isso ninguém sabe. O que se pode dizer é que o ato religioso serviu para medir o grau de aceitação de todos que estavam ali.

Para confirmar a história de união, bem como quebrar as arestas que surgiram com o PSD, o presidente da Câmara Municipal de Mossoró, Francisco José da Silveira Júnior - que comandará o novo partido em Mossoró, também participou da missa. Confirma o que já vem sendo dito pelo vice-governador Robinson Faria: o PSD é aliado do Democratas. Prova maior não há.

Outro aspecto tido como certo é que desses nomes sairá o candidato da prefeita Fafá Rosado e da governadora Rosalba Ciarlini. Fala-se em surpresas, mas o blog não crê nessa nova onda. A não ser que o grupo governista queira perder a disputa para a oposição.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Grupos silenciam para evitar desgastes

Dia desses um colega falou sobre o silêncio que impera com relação á sucessão da prefeita Fafá Rosado (DEM). Ninguém fala mais nada. O silêncio, contudo, é aparente. Nos bastidores a coisa ferve, como se diz. Lógico que nenhum dos envolvidos quer se apressar e colocar a "carroça na frente dos bois". É preciso paciência para esperar as decisões.

E aí entra a questão: o fator "esperar" pode causar prejuízos grandes para alguns. Uns até que suportam, mas a paciência não é para todos. Claro que é uma das táticas da política. Ao se amornar a discussão, espera-se que uns ou alguns "metam os pés pelas mãos" e cometam gafes que podem arruinar qualquer projeto político.

No agrupamento político governista o silêncio é quase sepulcral. 2012 é um assunto que ninguém sabe e ninguém viu. Pela oposição, o mesmo quadro. A deputada estadual Larissa Rosado (PSB), nome tido como definido, se esquiva de falar sobre decisões.

É a mesma coisa de sempre: esperar, esperar e esperar.

Acontece que a situação não está assim tão morna nos bastidores. O PT e o PSB, apesar de aparecerem distantes politicamente e com projetos distintos (cada qual com um pré-candidato), caminham para repetir a chapa de 2008.

Foi o que o blog captou em recente conversa com um petista mossoroense. E faz sentido.

A oposição sabe que se sair dividida terá remotas chances de pressionar e, com isso, o Democratas elegerá o prefeito ou prefeita sem maiores dificuldades.

Porém, tudo depende de como será a definição do grupo governista. Ou sobre quem será o nome que disputará a Prefeitura de Mossoró. É claro que existem candidatos para todos os gostos, resta saber qual deles teria maior viabilidade eleitoral para tal.

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Carlos Augusto: pesquisa mostra que 60% apoiam candidato de Rosalba


Um alento aos pré-candidatos do grupo governista que pensam na sucessão da prefeita Fafá Rosado (DEM): ontem, o presidente municipal do Democratas, ex-deputado estadual Carlos Augusto Rosado, afirmou que possui pesquisas que mostram que o nome que receberá apoio da governadora Rosalba Ciarlini (DEM) tem a simpatia de 60% dos mossoroenses. A afirmação de Carlos Augusto foi feita ao JORNAL DE FATO quando Rosalba participava da II Conferência Regional de Políticas Públicas para a Mulher.

Carlos Augusto não quis entrar em detalhes da pesquisa, que é feita regularmente para análises internas no Democratas, mas deixou no ar que a definição partidária não sairá cedo, a exemplo de eleições municipais anteriores.

Pelo DEM, em evidência estão três nomes: a vice-prefeita Ruth Ciarlini e os vereadores Cláudia Regina e Chico da Prefeitura. Para Ruth ser escolhida, necessita de uma engrenagem política que envolve a renúncia da prefeita Fafá Rosado, fato que vem sendo colocado pela imprensa local com insistência, apesar das negativas da própria prefeita e do deputado estadual Leonardo Nogueira (DEM), marido de Fafá.

O certo é que o DEM mossoroense já iniciou o processo de definição do sucessor de Fafá Rosado com a realização de pesquisas. O próprio Carlos Augusto havia afirmado que as sondagens eleitorais norteariam o processo.

Também se vê como certo que o PMDB participará da chapa majoritária em 2012. Carlos Augusto afirmou, em recente entrevista, que a chapa DEM-PMDB poderia ser uma possibilidade, bem como DEM-DEM ou PMDB-DEM. “Não descarto nenhuma possibilidade”, disse, na época.

Nesse sentido, o presidente estadual do PMDB, deputado federal Henrique Eduardo Alves, reconheceu que o seu partido tem participação na administração municipal mossoroense. Em entrevista ao JORNAL DE FATO e que será publicada no domingo, 28, o parlamentar, ao se referir à aliança DEM-PMDB para as próximas eleições, disse: “Mossoró é uma coisa mais clara. Realmente, o PMDB participa do governo com a nossa Isabel Montenegro, embora seja pouco expressiva a participação do PMDB. A tendência, se houver essa aliança e for formalizada, é que a candidatura que surgir será costurada, de maneira integrada e sob a liderança da governadora Rosalba e do ministro Garibaldi, formatando uma candidatura única desses dois partidos em Mossoró.”

A declaração de Henrique beneficia o secretário municipal de Serviços Públicos, Alex Moacir, nome do PMDB local para integrar a chapa majoritária. A questão é que, para se viabilizar para estar na disputa de 2012, Alex Moacir tem que mostrar potencial eleitoral e superar aliados do DEM, já que Carlos Augusto avisou que a chapa poderia ser puro-sangue.

As alternativas postas e em análise são três para a chapa majoritária governista: a vereadora Cláudia Regina como candidata à prefeita e tendo como candidata à vice a atual vice-prefeita, Ruth Ciarlini; Ruth como prefeita e Cláudia à vice-prefeita e Cláudia na cabeça da chapa e Alex Moacir como vice. Uma quarta possibilidade, contudo, está em ascensão e indica que o vereador Chico da Prefeitura poderia ser alçado à condição de vice em qualquer uma das possibilidades.

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Governadora diz que greve na UERN causa prejuízo de R$ 45 milhões

A governadora Rosalba Ciarlini voltou a afirmar que não existe possibilidade do Governo do Estado conceder reajuste superior ao que já foi apresentado à Associação dos Docentes da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (ADUERN). A categoria está em greve há 90 dias.

Segundo Rosalba, a paralisação das atividades docentes causa um prejuízo de R$ 45 milhões ao governo e à sociedade potiguar. “Os professores estão em greve há 90 dias, mas a folha de pagamento continua em dia. Um prejuízo de R$ 45 milhões, sem dúvida, já que as atividades acadêmicas estão paralisadas”, afirmou a governadora em Mossoró, antes de participar da II Conferência Regional das Mulheres em Mossoró, em conversa com os jornalistas.

Para a governadora, o prejuízo maior é para os universitários e para a sociedade está cobrando um posicionamento mais forte do Governo do Estado e ela avisou: “estamos no limite. A proposta já foi apresentada e não há como ser diferente”, disse.

Segundo Rosalba, o Governo do Estado tem a intenção de fortalecer a Universidade do Estado do Rio Grande do Norte e que as ações não são possíveis com os professores e técnicos administrativos em greve. 

Disse que, apesar das propostas encaminhadas pelo Governo, docentes e técnicos não aceitaram. “Infelizmente isso não aconteceu e o maior prejudicado é o aluno”, comentou.

Perguntada sobre o custo/investimento diário de R$ 500 mil por dia, a governadora frisou que não quer levantar essa questão e afirmou que fez esse comentário apenas para informar à sociedade que a UERN tem um custo diário de meio milhão de reais. “Trata-se de um investimento e já afirmei isso, mas não deixa de ser um custo, pois é preciso constar no orçamento”, disse.

A governadora disse ainda que a proposta original levada pelo reitor Milton Marques de Medeiros, de 23,98% de reajuste salarial, foi acatada pelo Governo do Estado e que, diante disso, não entende os motivos da continuidade do movimento paredista. “Realmente não entendo, mas confio no bom senso da Associação dos Docentes. Este é um ano difícil e queremos construir (o diálogo e a própria UERN) com honestidade. Queremos defender a UERN dentro do que é possível”, comentou.

Rosalba afirmou também que a tabela de reajuste proposta pelo Governo e enviada recentemente à ADUERN, prevê reajuste superior a 27%, mais do que a categoria estava pleiteando. “Repito que confio no bom senso dos professores e a UERN precisa participar mais da vida do Rio Grande do Norte.”

Fonte: Assessoria

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Ruth é o nome desejado pela oposição

Continua o lenga-lenga sobre a renúncia, ou não, da prefeita Fafá Rosado (DEM). Dia desses, em evento social noturno - precisamente no Oba Show - um petista mossoroense abordou o blogueiro para conversar sobre a sucessão municipal de 2012. Ele acredita que o nome do governo será a vice-prefeita Ruth Ciarlini (DEM). Tentou provar, por "A + B" que ela seria a melhor opção.

Pode até ser, mas o blog duvida muito que a governadora Rosalba Ciarlini (DEM) focalize sua atenção apenas em Mossoró. O Rio Grande do Norte possui 167 municípios e em todos o DEM possui representação partidária. Seria complicado a governadora beneficiar Mossoró em detrimento dos outros diretórios. Até pelo projeto do DEM, que é sair com maior número de candidatos possível.

Diante disso e do que vem sendo dito pela própria prefeita Fafá Rosado, o blog não crê em uma candidatura majoritária de Ruth Ciarlini. E até vê essa possibilidade, sendo ela na condição de candidata a vice-prefeita novamente.

Caso a possibilidade levantada pelo petista se concretize, a prefeita Fafá Rosado não terá como sair de casa. Não teria condições políticas. Como é que ela pedirá voto para Ruth... O eleitor está mais esperto que antes. E todos já perceberam isso.

Analisando as palavras do petista, o blog entende que Ruth seria o nome que a oposição desejaria. Entende-se que, com a pré-postulação do reitor da Ufersa, Josivan Barbosa de Menezes, a oposição sairá dividida ás ruas. De um lado, a deputada estadual Larissa Rosado (PSB). Do outro, Josivan. Dividiria o voto dos eleitores que não são simpáticos com a atual administração municipal.

Logo, eles entendem que (e é o que o blog compreendeu), ao lançar Ruth como candidata, a prefeita Fafá Rosado não teria como ir às ruas e participar da campanha. Bem como a governadora Rosalba Ciarlini, que não teria como fincar os pés em Mossoró, já que tem outras 166 cidades para visitar.

Faz sentido o pensamento da oposição.

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Rosalba: 'o reitor sabe das nossas dificuldades'

A governadora Rosalba Ciarlini pediu sensibilidade aos professores da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), que estão em greve desde o dia 31 de maio passado. Em discurso na abertura oficial da 24ª Feira Industrial e Comercial da Região Oeste (FICRO), na quinta-feira (18/8), em Mossoró, a governadora foi cobrada pelos grevistas sobre uma contraproposta que atenda aos professores e aos técnicos administrativos da Academia.

“Estamos na terra da liberdade e o movimento de vocês é legítimo. Mas é bom a sociedade saber que a UERN está totalmente parada e durante esse tempo pagamos o salário dos grevistas. A folha da UERN chega a R$ 13 milhões e estamos pagando, apesar da greve. Além disso, a Universidade custa meio milhão de reais (R$ 500 mil) por dia. É um investimento, sem dúvida, mas se trata de um custo”, afirmou a governadora.

Segundo Rosalba, quando o movimento paredista foi anunciado, ela recebeu o reitor da UERN, professor Milton Marques de Medeiros na Governadoria. “Em maio, o reitor me levou umas reivindicações, as quais considero justas. Uma reivindicação de reajuste salarial de 23,98%. Explicamos os nossos problemas e a nossa realidade financeira e orçamentária. O reitor sabe das nossas dificuldades, pois todas as Secretarias tiveram verbas contingenciadas. Não é apenas a Universidade, e o reitor sabe disso”, disse.

A governadora reafirmou que a reivindicação das categorias é justa, mas disse que não poderia ser injusta com professores e técnicos e nem com o próprio Governo. “Seria bom eu ter dito que aceitaria a reivindicação e não pagar?”, questionou a governadora, acrescentando que não pode garantir o reajuste pleiteado de uma única vez.

“Eu afirmei que posso fazer parceladamente e o Governo precisa, também, encaminhar um projeto para a Assembleia Legislativa. Mandei uma proposta que supera o percentual e vocês rejeitaram. O que não entendo é que no passado podia (escalonar reajuste) e agora não pode. É isso que não entendo”, afirmou.

Rosalba pediu desculpas à população presente na abertura da Ficro pelas palavras e disse que não podia estar no evento e não falar sobre a questão envolvendo os professores da UERN. “Tenho que prestar contas ao povo. Sou a favor da Universidade que todos fizemos e que impulsiona o Rio Grande do Norte. Espero que a população entenda, pois recebi um Estado com dívidas e compromissos que não foram honrados. Preciso dizer isso, mesmo que não receba a compreensão daqueles que poderiam ensinar o que é certo”, comentou.

A governadora pediu, mais uma vez, a compreensão dos professores universitário e disse que o Governo do Estado chegou ao limite das negociações. “Estamos trabalhando e a favor da Universidade. Não deixem que um grupo pequeno faça a UERN ficar menor”, afirmou Rosalba Ciarlini, acrescentando: “não vou propor o que o Estado não pode pagar e desde o primeiro dia eu nunca disse que não atenderia a categoria, mas ainda estamos colocando a casa em ordem. O Governo Federal avisou que passará dois anos sem conceder reajuste salarial por temer uma nova crise financeira e não podemos, também, assumir um compromisso sem que possamos honrá-lo.”

Ainda segundo a governadora, a situação econômica do Governo do Estado está voltando ao normal e a tendência é que a verba de todas as Secretarias de Estado sejam descontingenciadas, inclusive a da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte.

No final do evento, a governadora recebeu uma nova proposta da categoria. O documento entregue pela Associação dos Docentes da UERN (ADUERN) consta de três pontos: reajuste imediato de 23,98% (ainda em 2011) e mais dois percentuais, sendo 10,65% em abril de 2012, acrescidos da variação de abril de 2011 a março de 2012 (com base do Índice Nacional de Preço ao Consumidor – INPC – do IBGE) e 7,43% em abril de 2013, acrescidos da variação de abril de 2012 a março de 2013.

Fonte: Assessoria do Governo do RN 

Neto Queiroz: 'Lairinho mente'


O jornalista Neto Queiroz enviou correspondência ao blog para explicar pontos questionados pelo vereador Lairinho Rosado (PSB) acerca da empresa Quixote Editora, a qual pertence a Queiroz. Abaixo as palavras de Neto:

"Tenho sido em diversas vezes alvo da maldade do vereador Lairinho Rosado. A última dele foi fazer acusações levianas contra minha empresa. Tenho trabalhado a vida toda, tudo que conquistei foi com trabalho, diferente dos afortunados de pais ricos, que sempre viveram à sombra da família.

Sempre procurei não o entrar no jogo que o vereador Lairinho Rosado vem tentando me arrastar há algum tempo. Agora não dá mais. Se Lairinho quer barulho, vai ter.

Quero dar algumas explicações aos amigos e pessoas de bem, Não a Lairinho, pois não o considero pessoa de bem.

Tenho uma empresa de mídia que trabalha com vários serviços, a Quixote Editora, que entre os serviços oferecidos conta com uma forte e bem montada equipe de panfletagem. Só para o leitor ter uma idéia, entregamos para um supermercado local cerca de 150 mil panfletos por semana. Essa equipe conta com oito sub-equipes divididas em oito áreas da cidade, contando  cada uma com seis pessoas e um supervisor. Esse trabalho conta com uma coordenação central e com uma equipe de aferição de campo, que faz pesquisa de amostragem de recebimento. Ao todo são 57 pessoas. Cada equipe trabalha numa área onde constam os nomes da rua e a quantidade de imóveis do lado direito e do lado esquerdo da rua. Cobrimos toda a cidade.

A Prefeitura de Mossoró imprimiu  informativos com divulgação de suas ações e precisou contratar uma empresa para fazer a entrega dos mesmos em toda cidade, zonas rural e urbana. A minha empresa apresentou uma proposta financeira e de execução do trabalho.

Os correios cobram para entregar um impresso de 20 a 50 gramas, o valor de R$ 1,15. Na proposta da Quixote cobramos R$ 0,23. Ou seja, 80% menor que os Correios. Com uma diferença. Os Correios não entregam na zona rural e a Quixote apresentou proposta integral, incluindo zona rural.

Ora, o jornal que pertence a família de Lairinho paga a uma empresa de distribuição cerca de 30 centavos por cada exemplar entregue na casa do assinante. A Prefeitura fez um informativo e pagou 23 centavos para entregar e ele ainda acha no direito de fazer acusações.

Participei  legalmente de um processo licitatório. Realizei meu trabalho para o qual minha empresa está qualificada.

Lairinho faz acusações sem provas. Nunca viu os documentos do contrato, nunca viu os relatórios de execução dos serviços, baseado apenas no fato de ter sido minha empresa a realizar o serviço se lança a fazer  acusações com a mais completa leviandade. Me surpreende que alguns jornalistas topem fazer este jogo sujo liderado pelo vereador. Acusar sem ter uma única prova que indique qualquer irregularidade no processo.

Por fim, vou esclarecer sobre a denúncia de que a panfletagem nunca foi realizada. Tenho mais de 50 testemunhas que trabalharam na panfletagem prontas para dizerem onde forem chamadas se fizeram o serviço ou não. Tenho contrato assinado, documentos do processo de licitação legalizado, mapa de execução do serviço e tudo mais que for necessário. A Prefeitura tem nota fiscal da gráfica atestando a impressão dos informativos e recebimento do material.

Lairinho mente. Escreveu no blog, disse no rádio, no jornal, na TV, que a panfletagem custara 98 mil reais, agora diz que foram 49 mil. Afinal, ele sabe ao menos do que está falando? E continua mentindo. Afirmou que sou cargo comissionado da Prefeitura. Não tive e nem tenho nenhum cargo na Prefeitura de Mossoró.

Essa é a verdade, e agora vamos aos tribunais onde o vereador e todos os que foram autores destas acusações levianas darão as devidas explicações judiciais e responderão criminalmente e civilmente pelos seus atos.

Jornalista Neto Queiroz"

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Chico da Prefeitura: ‘Já pensou um gari chegar à Prefeitura de Mossoró?’


O vereador Chico da Prefeitura é o primeiro democrata a assumir que tem interesse em sair candidato à Prefeitura de Mossoró em 2012. É que, além dele, a vereadora Cláudia Regina (DEM) e a vice-prefeita Ruth Ciarlini (DEM) também têm projeto para chapa majoritária às eleições do próximo ano, mas não falam abertamente sobre o tema. Ruth é a que enfrenta situação mais delicada, pois necessita da renúncia da prefeita Fafá Rosado (DEM) para concretizar seu projeto.

Ontem, ao visitar a Redação do JORNAL DE FATO, Chico da Prefeitura afirmou que seu nome está à disposição do Democratas. “Estou tentando viabilizar o nome dentro do meu partido e estou à disposição. Já pensou um gari chegar à Prefeitura de Mossoró?”, questionou para, em seguida, ele mesmo responder: “Tudo pode acontecer.”

A possibilidade não está descartada e o próprio presidente local do DEM, ex-deputado estadual Carlos Augusto Rosado, afirmou que não havia nenhuma definição de nomes e que tudo dependeria da viabilidade de cada um.

Nesse sentido, Chico da Prefeitura disse que conversou recentemente com Carlos Augusto em Natal, antes de procedimento cirúrgico ao qual foi submetido, e disse que estaria se aposentando politicamente para cuidar dos netos.

“Carlos Augusto me disse que eu iria fazer o desejo do povo de Mossoró. Não entendi essa linguagem dele”, comentou, acrescentando em seguida: “Sou tão analfabeto que soube administrar seis mandatos de vereador.”

O vereador sabe que seu nome está no tabuleiro político da sucessão municipal às eleições do próximo ano e afirmou que está cuidando da saúde agora para poder participar mais ativamente do processo eleitoral em 2012.

“Meu nome está à disposição do grupo e Deus queira que seja eu (o escolhido). Para se administrar uma cidade não precisa ter QI elevado, e sim conhecer a cidade e as necessidades do povo”, disse.

Para Chico da Prefeitura, o DEM escolherá o candidato que apresentar melhor viabilidade política, e afirmou: “Isso não quer dizer que possam surgir outros nomes que não estão sendo citados, mas no presente, o nome com melhor avaliação é o meu”, comentou. 

Perguntado se a sua saúde seria algum impedimento ao ritmo de uma campanha majoritária, o vereador foi enfático: “Estou com o coração valente para enfrentar os obstáculos. Todos somos capazes e iguais”, comentou.

O vereador democrata analisou que está no jogo político e que é fiel ao seu partido, embora tenha externado o desejo de sair da legenda recentemente. “Realmente houve esse momento, mas isso é normal. Estou no mesmo partido há mais de 20 anos e fiel aos candidatos da terra. No futuro, todos poderão analisar meu nome pela postura, pela fidelidade e por ser honesto. Será bom para Mossoró ter um prefeito com uma cor diferente”, disse.

Chico da Prefeitura sabe que não é o único nome do DEM à sucessão da prefeita Fafá Rosado e acredita que as eleições de 2012 podem repetir o que aconteceu em 2004 e 2008, quando o Democratas apresentou chapa puro-sangue.

“Acredito na chapa DEM/DEM, até porque isso ocorreu em duas campanhas consecutivas. Mas também é possível que seja DEM/PMDB. Até para fortalecer”, analisou.

'Nosso desejo agora é fazer aliança com o PMDB e com outros partidos'


Apesar de a semana ter sido movimentada politicamente com a aproximação do DEM com o PMDB, formalmente, um dos articulares do encontro realizado em Brasília e que culminou com a aliança foi econômico nas palavras ao tratar do assunto. O presidente nacional do Democratas, senador José Agripino Maia, mostrou-se reticente em algumas perguntas e monossilábico em outras. Principalmente quando a conversa foi sobre o PSD, que será controlado pelo vice-governador Robinson Faria no Rio Grande do Norte. Sobre a aliança DEM/PMDB, o democrata disse que se trata de um projeto de reunificação de forças, cuja união apresentou bons resultados. Na ótica de Agripino, o eleitor do DEM vota no PMDB, e vice-versa. Diante desse quadro, a avaliação feita pelo presidente nacional do Democratas é que as eleições de 2010 apresentaram sinais claros relacionados à formalização da aliança. Ele lembrou que em 2006 o DEM elegeu Rosalba Ciarlini ao Senado, mas o então senador Garibaldi Filho não obteve êxito ao Governo do Estado. Quatro anos depois, a situação foi bem melhor. “No momento seguinte, Garibaldi – que fala por um bom pedaço do PMDB - fez a aliança, a campanha inteira com Rosalba e ganhamos os três, de forma inédita, como havia muito tempo não acontecia. Ganharam a governadora e os dois senadores. Em uma forma clara de que o eleitor do PMDB e o eleitor do Democratas convivem bem e não há constrangimento em DEM votar no PMDB e PMDB votar em DEM”, afirmou. Agripino não quis propagar a polêmica envolvendo ele e o vice-governador Robinson Faria e repetiu o que tem dito: “Não vamos particularizar uma ação que é nacional. O DEM entende que onde deva impugnar registros incorretos do PSD o faz em SP, SC, Goiás, Minas Gerais... Não pode pular o Rio Grande do Norte pelo fato de eu ter uma relação com o vice-governador. O que o Democratas tem feito é uma ação coerente, no sentido de garantir a lisura de procedimentos no ato de registro de partidos políticos. É o que o Democratas tem feito e não pode fazer do Rio Grande do Norte uma exceção.”

JORNAL DE FATO - Essa aliança anunciada do DEM com o PMDB evidencia, e o senhor mesmo já fez essa afirmação, que os dois partidos pensam em 2014...
JOSÉ AGRIPINO - É preciso que se entenda um pouco diferente do que está sendo colocado. A aliança do Democratas com o PMDB não é um fato novo. Ela ocorreu quando a nossa governadora (Rosalba Ciarlini) e o senador Garibaldi Filho se uniram. Rosalba ganhou e Garibaldi não ganhou. No momento seguinte, Garibaldi – que fala por um bom pedaço do PMDB - fez a aliança, a campanha inteira com Rosalba e ganhamos os três, de forma inédita, como havia muito tempo não acontecia. Ganharam a governadora e os dois senadores. Em uma forma clara de que o eleitor do PMDB e o eleitor do Democratas convivem bem e não há constrangimento em DEM votar no PMDB e PMDB votar em DEM.

E O que precisa para essa aliança se consolidar?
O QUE queremos é rebustecer a aliança feita informalmente na eleição de Rosalba, Agripino e Garibaldi. Ela se transformará em formal na medida em que o presidente do PMDB, Henrique Eduardo Alves, concorde e faremos as alianças formais para 2012 nos municípios onde se puder fazer. Ou seja, destravado o diálogo, resta-nos a tarefa de aplainar divergências que possam existir nos municípios com vistas a conquistas do PMDB e do DEM.

O VICE-GOVERNADOR Robinson Faria se disse chateado com a decisão do DEM de pedir a impugnação do PSD potiguar e chegou a afirmar que o senhor estaria sendo ingrato com o grupo dele e que a sua ação estaria visando a um rompimento envolvendo ele e a governadora Rosalba Ciarlini. O senhor crê em rompimento de Robinson com o governo democrata do RN?
NÃO vamos particularizar uma ação que é nacional. O DEM onde entende que onde deva impugnar registros incorretos do PSD o faz em SP, SC, Goiás, Minas... Não pode pular o Rio Grande do Norte pelo fato de eu ter uma relação com o vice-governador. O que o Democratas tem feito é uma ação coerente, no sentido de garantir a lisura de procedimentos no ato de registro de partidos políticos. É o que o Democratas tem feito e não pode fazer do Rio Grande do Norte uma exceção.

O SENHOR acredita, ou não, que o PSD será oficializado para as eleições do próximo ano?
O FUTURO vai mostrar.

O DEPUTADO federal Felipe Maia disse, recentemente, que não poderia descartar totalmente a candidatura à Prefeitura de Natal. Existe a possibilidade de o DEM apresentar um candidato à Prefeitura de Natal ou poderá apoiar a reeleição da prefeita Micarla de Sousa?
ESSA decisão é do deputado Felipe Maia.

FALA-SE que o DEM poderia indicar o vice de Carlos Eduardo. O senhor considera essa possibilidade?
NÓS temos uma aliança sinalizada, clara, com o PSDB. No primeiro turno ou no segundo turno com o PSDB. Nosso desejo agora é fazer aliança com o PMDB e com outros partidos com quem temos afinidades, antigas, inclusive, como é o caso do PR. Se for o caso, até com outros partidos.

NO CASO de Mossoró, onde o DEM já administra a Prefeitura, qual seria a melhor opção do Democratas?
ESTAMOS em conversas. A grande líder de Mossoró é a governadora Rosalba, a quem devemos primeiramente ouvir sobre as ponderações que ela tem, sobre os aconselhamentos e encaminhamentos que ela quer dar ao processo. Se ela é a maior autoridade do partido no Estado, em Mossoró é que ela é mesmo.

UM PARTIDO quando chega ao poder geralmente cresce. No Rio Grande do Norte, o DEM voltou ao poder depois de 16 anos, mas ainda não dá sinais concretos de crescimento. O PMDB, por exemplo, tem avançado muito mais em novas filiações. Qual o motivo desse quadro?
VAMOS aguardar a eleição de 2012, de prefeitos e vereadores, e você vai ver que o Democratas fará o maior número de prefeitos e vereadores.

O MÊS de julho foi o pior para o governo da presidenta Dilma Rousseff. Estourou escândalo nos ministérios dos Transportes e da Agricultura. Antes, o ministro Palocci caiu, em situação suspeita. Agora é o Ministério do Turismo que está mergulhado em denúncias de corrupção. Por que a CPI dos Transportes não vingou?
O CONGRESSO está muito perto de conseguir 27 assinaturas para instalação de CPIs. As denúncias de corrupção colocaram em xeque claríssimo as relações do PT com PMDB, PT com PR, PT com PP, PT com PTB e isso provocou insatisfações que vão levar os partidos, até em legítima defesa, para esclarecer de quem é a culpa nas denúncias feitas e a assinar as CPIs. Os discursos que fiz, em aparte ao ex-ministro Alfredo Nascimento, eu disse a ele que só quem podia limpar a imagem do PR era o PR. E que o caminho para isso seria o PR apoiar a instalação de uma CPI, oferecendo assinatura de seus senadores para que o processo se instalasse para que, no curso das investigações, mostrar onde o PR tinha culpa e onde não tinha. Então, por esta razão é que acho que, não a oposição, mas o Congresso vai cumprir o seu papel, de passar a limpo as denúncias de corrupção e instalar, principalmente, a CPI da Corrupção. Nós, do DEM, junto com os tucanos, PPS e PSOL, estamos propondo, mista, Senado e Câmara, para investigar a corrupção que, na minha opinião, é endêmica no governo.

ESSAS denúncias de corrupção teriam provocado queda da popularidade da presidenta Dilma?
NÃO tenho nenhuma dúvida. A pesquisa do Ibope que mostrou uma clara perda da popularidade da presidenta da República não pegou todos os fatos noticiados. Os escândalos dos Ministérios do Turismo e da Agricultura não foram avaliados nessa pesquisa.

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Democratas e PMDB do RN se afinam em Brasília


Coincidentemente, depois de o ministro da Previdência Social, senador licenciado Garibaldi Alves Filho (PMDB), lançar a candidatura do deputado federal Henrique Eduardo Alves (PMDB) ao Senado Federal em 2014, um encontro envolvendo as lideranças estaduais do PMDB e do DEM, em Brasília, abre especulações sobre a manutenção da aliança entre os dois partidos para as próximas eleições (2012 e 2014).

A primeira análise que se faz se volta para o pleito do próximo ano, envolvendo Natal e Mossoró. O Democratas já definiu que terá candidato à Prefeitura mossoroense e os peemedebistas podem indicar o vice.

Em Natal, a composição pode ser inversa. Por outro lado, o alinhamento político dos dois partidos evidencia uma outra vertente: o isolamento do vice-governador Robinson Faria, que comandará o PSD no Rio Grande do Norte.

Ontem, o presidente nacional do DEM, senador José Agripino Maia, recebeu o líder do PMDB na Câmara Federal, deputado Henrique Eduardo Alves, o ministro Garibaldi Filho e o ex-deputado estadual Carlos Augusto Rosado (presidente do DEM mossoroense), marido da governadora Rosalba Ciarlini.

A assessoria de Agripino informou que o encontro foi político, o que evidencia um esquema que se volta exclusivamente para as eleições de 2012 e 2014, bem com uma sinalização concreta de reação governista contra o avanço político externado pelo vice-governador Robinson Faria.

Nesse sentido, o PMDB tende a se fortalecer no governo Rosalba Ciarlini, já que o vice-governador Robinson Faria dá sinais evidentes de que dará trabalho político ao grupo de Rosalba. Isso no que diz respeito às eleições futuras, bem como em termos de se mostrar oposição ao Governo do Estado na Assembleia Legislativa.

Nesses sete meses de administração, a governadora Rosalba Ciarlini não ganhou nenhum afago dos deputados estaduais que seguem as orientações de Robinson Faria. Em outras palavras, o PSD se mostra com viés “independente” e alinhado ao grupo oposicionista na Assembleia Legislativa.

“NADA DISSO”
O ex-deputado estadual Carlos Augusto tratou de amenizar as especulações. Segundo ele, a reunião das lideranças do PMDB e do DEM do Rio Grande do Norte foi apenas para estreitar os laços políticos entre os dois partidos.

“Nós já temos uma aproximação grande com o PMDB e a conversa foi para que nos mantivéssemos unidos e que as lutas municipais não criassem dificuldades e não nos distanciassem. Em suma, foi para que a convivência DEM/PMDB continuasse”, afirmou.

Ainda segundo Carlos Augusto, Agripino, Garibaldi Filho, Henrique Eduardo Alves e ele fizeram uma avaliação superficial sobre as eleições 2012 em alguns municípios, como Caicó, Currais Novos e Pau dos Ferros. “Foi só isso. Continuamos nos dando bem e o PMDB está no governo. Queremos ampliar e manter a convivência com o PMN, com o PSD, que está sendo criado, e também com o PR”, disse.
Sobre o isolamento de Robinson Faria e da discussão envolvendo 2014, Carlos Augusto foi enfático: “Não tratamos disso. Falamos mais na Copa do que nas eleições 2014”, afirmou


Agripino confirma aliança para 2012 e 2014

O presidente nacional do Democratas, senador José Agripino Maia, confirmou que a pauta principal da reunião de ontem entre os líderes do DEM e do PMDB foi a aliança no pleito municipal de 2012 com desdobramento para 2014.

Agripino lembrou que há quatro anos fez a primeira aliança dos dois partidos e que no ano passado a aliança foi mantida e com sucesso. “No ano passado fizemos (a aliança) novamente e o eleitorado aceitou e ganhamos os três, o que foi uma coisa inédita”. Para o líder do DEM, a tendência é de aumentar a aproximação para o pleito de 2012.

“Na eleição do ano passado foi uma coisa inédita, elegemos os três e por que não estimular a manutenção dessa aliança que já deu certo? Vamos começar pelo pleito municipal do próximo ano”, afirmou o senador José Agripino.

Ele admitiu que a tendência é de aliança para 2014. “Com essa tendência de aproximar (DEM e PMDB), o desdobramento para 2014 é fato previsível”, destacou o presidente nacional do DEM.


PR, de João Maia, é alvo de Rosalba
Apesar da negativa do ex-deputado estadual Carlos Augusto acerca de um entendimento com o PMDB para as eleições 2012 e 2014, o grupo liderado pela governadora Rosalba Ciarlini já tratou de se movimentar para minimizar a força política do vice-governador Robinson Faria.

Para tanto, uma das metas seria atrair o deputado federal João Maia (PR). E Carlos Augusto afirmou que o grupo trabalha para atrair o PR.

Outro sintoma diz respeito às pretensões políticas de Robinson Faria, que já afirmou ter o objetivo de sair candidato ao Senado em 2014.

Contrapondo a esse projeto, o ministro Garibaldi Filho acenou com a possibilidade de o deputado federal Henrique Eduardo Alves também disputar a única vaga do RN ao Senado Federal.

Contudo, ao projetar aliança com o PR, os planos do grupo governista tendem a mudar. Com a afirmação feita por Carlos Augusto, sobre a manutenção da aliança DEM/PMDB, a especulação que se faz é que Henrique Eduardo Alves poderia ser alçado à condição de companheiro de chapa da governadora Rosalba Ciarlini e João Maia, ao Senado.

Outro fator que deve ser levado em consideração, no sentido do isolamento de Robinson Faria e o crescimento do PSD, é que, ao atrair João Maia, o grupo de Rosalba Ciarlini estaria fechando o cerco ao vice-governador.

É que o PR já se mantém estruturado nos municípios potiguares e garantiria suporte político relacionado ao projeto que se inicia às eleições de 2012 e com vistas ao pleito de 2014.

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Alex Moacir descarta disputar Legislativo


O PMDB mossoroense está disposto a defender o nome do secretário Alex Moacir à Prefeitura de Mossoró em 2012. É o que o próprio secretário evidencia ao afirmar que não cogita a possibilidade de um projeto alternativo. Segundo ele, uma postulação à Câmara Municipal de Mossoró está fora de cogitação.

“Não pensamos em uma candidatura a vereador”, afirmou Alex, acrescentando que o foco do diretório local do Partido do Movimento Democrático Brasileiro é a chapa majoritária.

Diante dessa afirmação, a análise que se faz é que o PMDB segue disposto a reivindicar espaço na chapa majoritária, preferencialmente indicando o candidato a prefeito, mas sem deixar de lado uma composição com o Democratas, com a possibilidade de indicar o candidato a vice-prefeito.

Esse projeto, inclusive, é defendido pela presidenta da comissão provisória, Isabel Montenegro. Em recente entrevista ao JORNAL DE FATO, ela afirmou que o PMDB não pode continuar servindo como esteira política para outros partidos e que a meta da legenda é a chapa majoritária.

Como o Democratas terá candidato próprio, o PMDB tende a pleitear uma acomodação na majoritária. Nesse sentido, uma conversa com o presidente estadual do PMDB, deputado federal Henrique Eduardo Alves, foi agendada. O encontro ocorrerá em Mossoró e foi definido durante evento promovido pela executiva estadual da legenda em Caraúbas.

Chapa proporcional do PV será definida no próximo mês


O diretório municipal do Partido Verde (PV) definirá, no próximo mês, os nomes que vão compor a chapa proporcional dos candidatos que disputarão uma vaga à Câmara Municipal de Mossoró. “A chapa está em vias de ser fechada e acredito que esse ciclo será finalizado em setembro. A gente continua com as reuniões com os pretensos candidatos e intensificando os movimentos do projeto Diálogos do Desenvolvimento, que será a agenda do PV para as próximas eleições”, disse o presidente local da sigla, professor Francisco Carlos de Carvalho, secretário municipal da Cidadania.

Segundo Francisco Carlos, a chapa proporcional do PV terá candidatos da cidade e da zona rural, contemplando todos os segmentos da sociedade. “Precisamos de pessoas ligadas a todas as áreas, inclusive do movimento religioso. Estamos satisfeitos com o trabalho”, disse.

Como existe uma proposta de emenda constitucional (PEC) em caráter terminativo aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado Federal, que versa sobre a não-possibilidade de coligação na chapa proporcional, o PV de Mossoró segue com o seu plano individual. Caso seja possível haver alianças, o assunto será debatido posteriormente.

Com relação à formação de aliança no campo majoritário, Francisco Carlos disse que todo o processo ocorrerá com base na Agenda do Desenvolvimento que o PV está elaborando. Ele disse, contudo, que ainda é cedo para tratar desse assunto. “Ninguém está discutindo apoios ainda e estamos cumprindo uma primeira etapa. Acreditamos que 2012 terá um processo eleitoral diferente. A cidade precisa”, disse.

Francisco Carlos, ao falar que está cumprindo a primeira etapa, se refere ao trabalho que vem fazendo para se viabilizar como nome do grupo governista à sucessão da prefeita Fafá Rosado.

Silveira: PSD não aceitará infidelidade partidária

O PSD, que aguarda a oficialização nacional para poder entrar no embate político de 2012, já começa a se apresentar problemático em Mossoró. O destino político do novo partido, apesar de estar alinhado politicamente ao grupo governista estadual, tende a ser dividido na segunda maior cidade do Rio Grande do Norte.

O presidente da Câmara Municipal, Francisco José da Silveira Júnior, que comandará a nova legenda em Mossoró, tem uma posição de aparente neutralidade, mas seguirá a decisão a ser tomada pelo presidente estadual do PSD, vice-governador Robinson Faria. A questão são dois vereadores que ainda fazem parte do PDT e que sinalizaram adesão à nova sigla partidária.

Jório Nogueira e Ricardo de Dodoca têm posições políticas opostas. Nogueira faz oposição assumida à prefeita Fafá Rosado (DEM), enquanto que Ricardo de Dodoca integra o sistema governista.

De cara, um problema a ser resolvido por Silveira Júnior. Além disso, Silveira disse que é público que Jório Nogueira tem simpatia pelo nome da deputada estadual Larissa Rosado (PSB) à Prefeitura de Mossoró, enquanto que Dodoca segue o governismo local.

“Como presidente da comissão provisória, não cheguei a discutir essa questão”, afirmou Silveira Júnior, acrescentando que, apesar da divisão, o PSD marchará unido em 2012, “mesmo com a simpatia que os vereadores nutrem por outros nomes”, disse.

O presidente da comissão provisória do PSD mossoroense afirmou ainda que não se tratou sobre o assunto e que o tema passará a ser pauta da legenda a partir do próximo mês.

“Agora estamos preocupados com o fortalecimento do partido, mas a partir de setembro iremos discutir a sucessão mossoroense”, comentou. Silveira Júnior informou que o PSD não aceitará um filiado que apoie outro nome que não seja o indicado pelo partido. “Corre-se o risco da infidelidade partidária”, lembrou.

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Edna Santos entra nas especulações em Grossos

Mais um nome entra nas especulações relacionadas à sucessão do prefeito Veronilde Caetano da Silva (PSB), de Grossos. Depois de se falar no ex-secretário Emílio Oliveira (PDT), no presidente da Câmara Municipal, vereador Alexander Manoel de Paiva (PR) - o Laíres, e na secretária do Desenvolvimento Social, Cínthia, como candidatos que teriam apoio do prefeito, agora surge o da secretária municipal de Saúde, enfermeira Edna Santos.

Edna, inclusive, teria o suporte político das deputadas Sandra Rosado (PSB) e Larissa Rosado (PSB) para alçar voos à Prefeitura de Grossos. Essa pretensão da secretária não é de agora. O blogueiro lembra que, tão logo Veronilde assumiu o cargo com o assassinato do prefeito Dehon Caenga, Edna Santos disse que poderia ser a sucessora de Veronilde futuramente. A afirmação ocorreu na casa de Sandra Rosado, em Mossoró.

Agora, passados quase sete anos, eis que a profecia da secretária municipal de Saúde pode se concretizar. Se ela terá apoio do prefeito, aí são outros quinhentos. Até porque um primo vereador, Alexandre Santos, também tem a mesma pretensão. Mas entre a filha e um sobrinho, evidentemente que o empresário Caxico deve trabalhar para impor o nome de Edna. É a lógica.

Sindserpum reage contra reajuste da Unimed

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Mossoró (SINDISERPUM) está reagindo contra o reajuste considerado abusivo feito pela Unimed no plano de saúde dos servidores municipais. O abuso é tanto que em alguns casos o percentual é superior a 400%.

Para a presidenta do Sindserpum, Marilda Sousa, a atitude da Unimed é um desrespeito ao servidor. E que contou inclusive com a anuência da administração municipal. “A prefeitura se omitiu. Se ela não quer defender o trabalhador, pelo menos nos comunique. A prefeitura concordou com o que a Unimed estabeleceu sem que o principal interessado, o servidor, fosse ouvido”, reclama Marilda Sousa.

A cooperativa distribuiu, junto com o contracheque do mês de julho, um comunicado informando que o reajuste seria de 7,69%. “É uma propaganda enganosa, porque ela criou um escalonamento por faixa etária e, com isso, os reajustes são elevadíssimos”, aponta a presidenta, acrescentando que a intenção da Unimed é fazer a cobrança retroativa ao mês de julho.

Para se ter uma ideia do abuso praticado pela Unimed, basta citar que um servidor que tenha 45 anos e que pagava R$ 151,21 pelo plano, agora vai ter que desembolsar nada mais nada menos que R$ 324,57.

O Sindserpum denunciou a situação ao Procon e uma audiência está agendada para o próximo dia 18 de agosto. “Estamos solicitando à prefeitura que não proceda com os descontos até que saia algum resultado da audiência no Procon”, finaliza Marilda Sousa.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Paulo de Tarso: julgamento político cabe à AL

A decisão do Tribunal de Contas do Estado (TCE) de aprovar parcialmente a prestação de contas do ex-governador Iberê Ferreira de Souza (PSB), com relação ao período em que ele ficou à frente do Governo do Estado em 2010, não foi novidade para a atual administração estadual. Ontem, o chefe da Casa Civil do Governo do Estado, advogado Paulo de Tarso Fernandes, disse que os números já eram de conhecimento da atual gestão e que o relatório aprovado pelo TCE foi fruto de uma auditoria de sete meses feita pelo próprio Tribunal nas contas do Estado.

“A governadora Rosalba Ciarlini, com serenidade e firmeza, já havia comunicado aos órgãos fiscalizadores sobre a situação caótica do Governo do Estado. O Tribunal de Contas do Estado confirmou todas as informações já ditas pelo governo”, disse Paulo de Tarso.

O chefe da Casa Civil acrescentou que a notícia de aprovação parcial das contas da gestão passada, com números que mostram descumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), não foi recebida com regozijo. “O Governo recebe esse assunto com tristeza, pois comprova que o Rio Grande do Norte se comparava e vivia uma rotina do mal feito, com uma série de irregularidades”, comentou.

Paulo de Tarso informou que o Governo do Estado contribuiu com o trabalho do Tribunal de Contas do Estado e que as providências cabíveis à atual administração já foram tomadas. Isso com relação à informação sobre a situação financeira e orçamentária do Estado.

Sobre os desdobramentos acerca das irregularidades constatadas pelo Tribunal de Contas do Estado, o chefe da Casa Civil disse que cabe à Assembleia Legislativa fazer o devido julgamento político e ao Judiciário, o jurídico.

ENTENDA
O Tribunal de Contas do Estado constatou que nos dois últimos quadrimestres de 2010 o Governo pagou R$ 35.292,048,06, duas vezes mais que o valor investido em saúde, que foi de R$ 17.386.528,39.

Em publicidade governamental, o TCE informou que o Executivo direcionou R$ 15.777,704,21 nos últimos nove meses do governo passado. O relatório do conselheiro Tarcísio Costa mostrou que R$ 119.628,915,03, recursos vinculados e com finalidades específicas, foram utilizados na folha de pagamento, contrariando a LRF, bem como despesas sem prévio empenho ou sem indicação de fonte de recursos foram realizadas, totalizando R$ 207.630.780,81.

O relatório aprovado pelo TCE mostrou que houve crescimento relacionado ao pagamento da folha de pessoal, ultrapassando em 0,6% o limite previsto pela LRF, que é de 49%. O governo Iberê Ferreira de Souza também excedeu em R$ 354.203.573,61 o limite autorizado na Lei Orçamentária Anual em relação aos créditos suplementares e em R$ 6.889.691,09 nos créditos especiais.

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Seminário sobre jornalismo na Feira do Livro

Buscando promover uma discussão de qualidade sobre o jornalismo, em seus diversos segmentos, o Jornal De Fato realiza, de 10 a 14 de agosto, o 1º Seminário De Fato de Jornalismo. O evento faz parte da programação da Feira do Livro 2011 e contará com seis mesas-redondas, com profissionais do veículo e jornalistas convidados. Os debates acontecerão às 20h, no estande do jornal, na estrutura montada na Estação das Artes Elizeu Ventania. As inscrições são limitadas e podem ser realizadas na sede do jornal, na Avenida Rio Branco, 2203.

A programação do seminário conta com as seguintes mesas-redondas: Jornalismo de Revista, Jornalismo Esportivo, Contando histórias em imagens, A investigação na reportagem policial, Os caminhos da reportagem e A função da arte: jornalismo, infografia e HQ.

Da equipe do De Fato, participam do evento os jornalistas: Higo Lima, Izaíra Thalita, Janaína Holanda, Paulo Sérgio Freire, Fábio Oliveira, Magnos Alves, Marcos Santos, Cézar Alves, Marcelo Bento, Andrey Ricardo, Edilson Damasceno, Esdras Marchezan, William Robson e os ilustradores Neto Silva e Rick Waekmann.

Para deixar as discussões ainda mais interessantes, o seminário conta também com as presenças de Fabiano Morais/repórter Sportv e InterTV Cabugi, Moisés Albuquerque/TCM, Fred Carvalho/Tribuna do Norte, os fotógrafos Canindé Soares e Fred Veras, e do repórter Luiz Henrique Campos, do jornal O Povo/CE, vencedor de oito prêmios jornalísticos, entre eles um Esso e uma menção honrosa internacional pela qualidade da cobertura jornalística feita por ele e equipe do furto ao Banco Central, em Fortaleza.

Para o chefe de reportagem do De Fato, Esdras Marchezan, a idéia do evento surgiu principalmente da necessidade de eventos locais com provocações interessantes sobre a função jornalística e seus desafios. “A equipe do jornal vem contribuir com esse projeto, levando ao público uma discussão que muitas vezes fica restrita à redação do jornal. A intenção é que estudantes e colegas de profissão possam participar e debater junto com os participantes”, revela.
           
PROGRAMAÇÃO
Quarta (10/08) 20h – Jornalismo de Revista
Bate papo com: Higo Lima, Izaíra Thalita, Janaína Holanda e Paulo Sérgio Freire
Quinta (11/08) 20h – Jornalismo Esportivo
Bate papo com: Fábio Oliveira, Fabiano Morais, Magnos Alves e Marcos Santos
Sexta (12/08) 20h – Contando histórias em imagens
Bate papo com: Canindé Soares, Cézar Alves, Fred Veras e Marcelo Bento
Sábado (13/08) 16h – A investigação na reportagem policial
Bate papo com: Andrey Ricardo, Fred Carvalho e Moisés Albuquerque
Sábado (13/08) 20h – Os caminhos da reportagem
Bate papo com: Edilson Damasceno, Esdras Marchezan e Luiz Henrique Campos
Domingo (14/08) 20h – A função da arte: jornalismo, infografia e HQ
Bate papo com: Neto Silva, Rick Waekmann e William Robson

Cláudia Regina: 'caminharemos juntas'

O retorno dos trabalhos na Câmara Municipal de Mossoró foi marcado por um discurso político, nas entrelinhas, da vereadora Cláudia Regina (DEM). “Caminharemos juntas e para melhor”, afirmou a parlamentar, fazendo referência à prefeita Fafá Rosado (DEM) e à governadora Rosalba Ciarlini (DEM), no que diz respeito ao investimento feito pelo Governo do Estado e pela Prefeitura de Mossoró na saúde da mulher.

A referência a Rosalba e a Fafá Rosado evidencia que a vereadora está atenta às movimentações que antecedem às definições políticas, sobretudo do DEM – que indicará o nome à sucessão da prefeita Fafá Rosado. Cláudia, a vice-prefeita Ruth Ciarlini e o vereador Chico da Prefeitura são os prefeitáveis que aparecem na lista dos que podem ser indicados pela cúpula governista.

No pronunciamento de ontem, a vereadora Cláudia Regina enalteceu a ação da governadora Rosalba Ciarlini no que diz respeito ao Hospital Materno-Infantil, que será inaugurado até outubro próximo, conforme afirmou a própria governadora. Além disso, a vereadora disse que a melhoria do atendimento à saúde da mulher é uma de suas defesas e que pretende continuar nessa linha.

Na esfera municipal, a parlamentar citou investimentos da Prefeitura Municipal em reforma e construção de novas Unidades Básicas de Saúde (UBSs). “Agradeço à prefeita e à governadora pelos benefícios, pois são ações que refletem nossas reivindicações. Estamos unidas e caminharemos juntas para melhor”, disse.

Fonte: Jornal de Fato

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Wilma lança nome de Larissa Rosado

Chegou ao fim um "mistério" que todo mundo praticamente tinha certeza: a deputada estadual Larissa Rosado (PSB) disputará a Prefeitura Municipal de Mossoró em 2012. A confirmação do projeto político de Larissa foi reafirmado pela presidente estadual do PSB, ex-governadora Wilma de Faria, em entrevista veiculada no JORNAL DE FATO no domingo passado. Segundo Wilma, o assunto já não tem o que discutir e que o projeto está definido. "Ela será candidata. Já discutimos isso várias vezes e está confirmado", disse a ex-governadora.

Dias antes, em entrevista ao programa Cenário Político, veiculado na TV a Cabo Mossoró, Larissa Rosado havia desconversado sobre o tema e dito que todo mundo estava falando que ela era candidata, mas que não havia nada decidido ou definido. A deputada estadual minimizou o fato do PT estar com um nome à disputa municipal de 2012, que é o reitor da Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA), Josivan Barbosa de Menezes, e afirmou que a oposição caminharia unida no próximo ano.

Como a presidente estadual do PSB já avisou que Larissa é a candidata, caberia ao PT indicar o vice, repetindo a aliança feita em 2008, quando o petista Tércio Pereira foi indicado para compor chapa com Larissa Rosado.

Ontem, depois da afirmação da ex-governadora Wilma de Faria, Larissa Rosado disse que o seu nome é pauta de discussão no PSB estadual, assim como o da própria Wilma à Prefeitura de Natal. "Meu nome se discute no PSB estadual da mesma maneira como o de Wilma para a Prefeitura de Natal. Agradeço pelas palavras dela, mas a discussão municipal ainda não aconteceu e o interessante é caminhar com a base da presidenta Dilma Rousseff (PT) unida", disse a deputada.

Segundo Larissa, sua provável candidatura não será uma imposição e que o projeto para 2012 precisa ser discutido com outros partidos, como o PT, PR e PC do B. "A definição sairá no começo do próximo ano, mas as conversas estão acontecendo", admitiu.

Sobre a possibilidade de repetir a chapa PSB/PT, a deputada estadual disse que essa questão também será discutida e reafirmou que não haverá candidatura imposta. "A gente vai discutir quem será o cabeça da chapa e quem será o vice. Existe a possibilidade do meu nome, como também do nome de Josivan Barbosa, ou nome do PR ou PC do B. Vamos manter o diálogo e juntos chegaremos mais fortes", disse.


Josivan não está à disposição para sair candidato a vice

Recém-filiado ao Partido dos Trabalhadores (PT), o reitor da Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA), Josivan Barbosa de Meneses, descartou ontem a possibilidade de sair candidato a vice-prefeito. "Não coloquei meu nome à disposição para ser candidato a vice-prefeito. Só coloquei a possibilidade de sair candidato a prefeito", afirmou.

O reitor acrescentou que, acerca da disposição relacionada à aliança com o PSB, somente o diretório do PT é quem poderá responder. "Há 15 dias a decisão era nominal, mas a partir do momento da filiação, a decisão é do diretório. Não poderei responder sobre aliança. O que posso dizer é que reafirmo que meu nome está à disposição do PT."

Josivan Barbosa disse ainda que convocará a imprensa para informar sobre suas pretensões políticas e explicará os motivos de não tentar renovar o mandato na Reitoria da Ufersa, que expira em julho do próximo ano.

Sobre a filiação ao PT, Josivan Barbosa de Menezes disse que o ato já se deu, mas que o diretório municipal realizará uma solenidade especial, ainda sem data definida, para abonar a assinatura. "Já traçamos as linhas e estamos tomando as providências para essa solenidade. Mais quatro pessoas da Ufersa se filiarão ao PT nessa solenidade especial", garantiu o reitor.

Apesar de as definições políticas acontecerem somente em junho do próximo ano, por ocasião das convenções partidárias, o reitor da Ufersa disse que já iniciou conversas com lideranças empresariais, microempresários e pessoas ligadas à agricultura familiar para discutir o projeto político do PT.