segunda-feira, 26 de setembro de 2011

'Estarei ao lado do meu grupo', diz Cláudia Regina

O blog publica Entrevista com a vereadora Cláudia Regina (DEM), que discorre sobre temas interessantes na política mossoroense. Embora seja um dos melhores quadros do Democratas para a sucessão da prefeita Fafá Rosado, Cláudia não tem a garantia de que ela será a escolhida. Nesta conversa, a vereadora responde sobre as possibilidades e descarta a existência de um “plano B”.

As últimas movimentações do presidente municipal do DEM indicam que o nome governista à sucessão da prefeita Fafá Rosado pode não sair do círculo hoje formado e no qual a senhora pertence. Diante dessa especulação, a senhora acredita que o candidato democrata poderá ser uma novidade?
Eu desconheço completamente estas declarações de Carlos Augusto. Disse a quem? Quem ouviu? Pelo contrário, tenho ouvido declarações de Carlos Augusto em defesa do DEM, de incentivo aos que estão e querem fortalecer o partido. É preciso ter bastante cuidado em buscar estas fontes que estão informando isso, porque muitas vezes saem de pessoas interessadas em dividir, em enfraquecer e não é isso que o presidente do nosso partido anda dizendo. Você me pergunta sobre quem será o candidato ou a candidata democrata, acredito naquilo que vem sendo dito por José Agripino, por Carlos Augusto, por Rosalba, por Fafá e por Leonardo. Que será um nome que tenha condições de levar o nosso partido a mais uma grande vitória

Hoje o grupo governista conta com cinco nomes à disposição. Dois estariam, em tese, fora da disputa eleitoral por não integrarem o DEM. Sobram a senhora, Chico da Prefeitura e Ruth Ciarlini. Como projetar uma definição?
Estamos ainda a quase um ano do processo eleitoral. Existem nomes que estão sendo colocados pela imprensa e por isso passam por avaliações constantes por parte dos observadores políticos. Entre estes nomes, o meu está incluído. Acredito que a esta altura ninguém pode fazer uma projeção em caráter definitivo, mesmo porque se trata de um processo bastante dinâmico e com bastante tempo ainda pela frente. O fato é que as nossas lideranças têm dito que o nome será do DEM e como sou integrante deste partido me coloco dentro destes critérios estabelecidos.

Apesar da prefeita Fafá Rosado ter afirmado que não renunciará ao mandato para beneficiar a vice-prefeita Ruth Ciarlini, essa possibilidade não foi totalmente descartada. Como a senhora analisa uma provável renúncia da prefeita?
Esta hipótese da renúncia vem sendo tratada apenas na mídia, pelo que sei nunca houve sequer uma conversa nesse sentido. Perguntei a prefeita Fafá Rosado sobre isso e ela me respondeu que isso nunca foi tratado com ninguém, nunca ninguém lhe fez este tipo de proposta e que não passa pela sua cabeça esta decisão. De qualquer forma não sou eu que tenho que dar uma resposta a esta pergunta. É a própria prefeita que pelo que tenho visto já deu varias declarações a respeito. Portanto, acredito que se trata de assunto encerrado.

Em recente reunião com o presidente do DEM mossoroense, Carlos Augusto Rosado, ele falou aos vereadores que o candidato a prefeito do grupo seria o que mais agregasse ao projeto governista. Como chegar a esse nome?
Essa declaração de Carlos Augusto ratifica o que disse sobre o desejo dele de valorização e fortalecimento do nosso partido, o DEM. Concordo com ele plenamente. Nosso candidato tem que ser aquele nome que mais agrega, aquele nome que mais reúna qualidades para uma disputa eleitoral. Será um nome que tenha esta visão política, que pense no fortalecimento do trabalho que a nossa governadora Rosalba começou a realizar no nosso Estado e que corresponde aos planos do DEM que vem trabalhando nesta cidade há tempo, continuado na gestão de Fafá que fez a cidade avançar cada vez mais no seu desenvolvimento.

Algumas análises feitas por jornalistas políticos apontam que a senhora será candidata à reeleição. Caso não consiga viabilizar seu nome à disputa majoritária, esse poderia ser o chamado plano B?
Não serei hipócrita de desconsiderar a citação do meu nome para a disputa da Prefeitura, de agir como se isto não estivesse acontecendo ou me fazer de desentendida. É algo que me deixa honrada. Pelas funções públicas que ocupei, de secretária municipal, de vice-prefeita e de vereadora, me sinto preparada para um desafio deste porte. Acredito que tenho a contribuir com o processo de desenvolvimento da cidade. E quando seu nome é citado dentro de um processo como o meu está sendo, se digo que me sinto preparada para contribuir com uma missão dessas, o mais honesto a fazer é buscar ouvir as pessoas, considerar as alternativas e trabalhar para que haja a viabilização. Então, para responder de forma bem sincera sua pergunta, lhe digo que estou sim levando em consideração a possibilidade de vir a disputar a Prefeitura de Mossoró. E quando você admite uma possibilidade tem que se focar nela. Estabelecer plano A, plano B ou plano C, seria falta de foco da minha parte.

Outra possibilidade já especulada diz respeito ao seu nome compondo a chapa majoritária na condição de candidata a vice-prefeita. A senhora está pensando, também, nessa direção?
A direção do meu pensamento eu já respondi bem claramente na resposta a pergunta anterior que me foi feita. Muito me honrou ter exercido o cargo de vice-prefeita da minha cidade. Colaborei da forma que pude com a administração que fiz parte. Acredito que esta contribuição já foi dada.

Voltando à questão Ruth Ciarlini: o fato da atual vice-prefeita ser irmã da governadora Rosalba Ciarlini é visto como algo que poderia ser facilitador para Ruth ser alçada à condição de prefeita e, naturalmente, ir para a reeleição. Caso essa possibilidade se concretize, não causaria problemas ao grupo? A senhora acha que a prefeita Fafá Rosado teria como participar ativamente da campanha?
Não posso avaliar uma situação hipotética deste porte, considerando que não existe de nenhuma das partes, seja da governadora ou da prefeita, qualquer articulação que leve a algo assim. Como disse antes isso nunca foi tratado e a prefeita já anunciou sua posição para a hipótese que está sendo especulada. O que posso avaliar, e acho que é o que você está me perguntando, é a importância da governadora Rosalba Ciarlini na sucessão municipal e a influência que ela terá junto ao eleitor. Rosalba tem uma história com Mossoró, a cidade reconhece suas três gestões que foram importantíssimas para que a Mossoró tão sonhada por todos fosse se tornando uma realidade. Ela é a maior eleitora de Mossoró, é a nossa líder e seu apoio será primordial para uma campanha vitoriosa. Sobre a participação ativa e legitima de Fafá Rosado na campanha, acredito nisso sim. Porque tenho certeza que Rosalba e Fafá estarão juntas, lado a lado, defendendo um nome que seja o melhor para Mossoró.

A administração municipal passa por um bom momento, com obras de grande porte para serem inauguradas, e a prefeita Fafá Rosado aparece,  consequentemente, em situação política confortável para as eleições de 2012...
A prefeita Fafá Rosado é uma pessoa séria, honesta, comprometida com a cidade. Sua administração foi alvo de uma duríssima campanha de mídia, atacada diariamente, sempre por pessoas que apostavam no quanto pior, melhor (para elas). A prefeita teve a coragem de tomar decisões difíceis quando a crise se abateu sobre os municípios, os Estados e o País. E foi pela sua coragem que a cidade saiu da crise em maiores problemas. As obras estão ai, as contas da Prefeitura estão organizadas, a cidade cresce e o povo tem orgulho disso tudo. Eu tenho certeza que Fafá terá uma participação ativa na sua sucessão, vai estar nas ruas defendendo um projeto político que represente mais desenvolvimento e mais crescimento. Como ela sempre fez, com coerência, equilíbrio, sensibilidade, ética sem atacar ninguém, sempre com um sorriso e um abraço aberto para todos.

Percebe-se que a senhora vem aparecendo mais em eventos da Prefeitura e mais ao lado do secretário Alex Moacir, do PMDB. Seria a divulgação prévia da chapa ideal para a senhora?
Considerando que não existe nenhuma definição e que não se pode falar que A ou B será candidato ou candidata, imagine eu ter a pretensão de falar agora em chapa ideal ou chapa de meu gosto. O secretário Alex Moacir é um amigo que tenho e que pelo seu trabalho teve seu nome posto no processo sucessório para disputar na chapa majoritária. Assim como outros nomes estão colocados. Como tenho acompanhado a agenda da prefeita e em alguns momentos tem coincidindo de estarmos juntos. A formação de chapa é uma tarefa das nossas lideranças e como liderada que sou confio que eles saberão fazer as melhores escolhas.

Caso a senhora não seja indicada pelo DEM à chapa majoritária, como será a sua participação no pleito eleitoral do próximo ano?
Eu compreendo que o jornalista político tem necessidade de reunir opiniões sobre os diversos cenários. Por isso compreendo esta sua pergunta que aborda a hipótese de um cenário. Mas não há nenhuma dificuldade em responder a isso não. Tenho me colocado neste processo como integrante de um grupo político cuja missão é ajudar a manter vitorioso um projeto que vem ajudando esta cidade a se desenvolver. Sou um soldado. Tenho sentimento de colaboração. Quem pensa assim está disposto a participar de um debate maior, com bons argumentos e com visão de futuro. Portanto, estarei ao lado do meu grupo como sempre estive, defendendo as idéias que prevalecerem neste debate democrático.

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Casa de Saúde Dix-sept Rosado à beira da falência

“A Apamim (órgão que gerencia a Casa de Saúde Dix-sept Rosado) está quebrada e tem um déficit de R$ 5 milhões a R$ 10 milhões e não tem condições de funcionar. Tenho documentos suficientes para pedir a interdição, mas quem perderia era a população”. A afirmação foi feita hoje pela promotora da Saúde Ana Ximenes, durante reunião no Palácio da Resistência com a prefeita Fafá Rosado, deputado estadual Leonardo Nogueira, secretário Francisco Carlos e o gerente Benjamim Bento, além dos auditores do Conselho Municipal de Saúde.

A promotora foi mais além e disse dispor de toda a documentação que mostra a decadência financeira da instituição. Segundo ela, uma das saídas para a crise por qual passa a Casa de Saúde controlada pelo ex-deputado federal Lahyre Rosado (PSB) seria o Governo do Estado e a Prefeitura de Mossoró assumirem a responsabilidade da instituição.

Ana Ximenes afirmou ainda que Lahyre Rosado teria externado interesse em passar o "abacaxi" para o Governo do Estado. 

A discussão toda foi originada pelo relatório feito por auditores do Conselho Municipal de Saúde, cujo documento aponta falhas para o não-credenciamento de novos três leitos de UTI Neonatal na Casa de Saúde Dix-sept Rosado.

Diante do que foi exposto na reunião de hoje, dificilmente o Governo do Estado assumirá o comando da Casa de Saúde Dix-sept Rosado. O passivo financeiro da instituição surge como principal entrave para esse entendimento.

O certo é que, se Lahyre Rosado está disposto a se livrar do problema, fica evidente que o jogo político que vem sendo feito, de tentar colocar a opinião pública contra o Executivo municipal não passa de falácia. É que a diretoria do complexo da Apamim tem tentado, sistematicamente, culpar a Prefeitura pelo caos vivenciado na Casa de Saúde Dix-sept Rosado.

Na reunião de hoje, a promotora Ana Ximenes afirmou ainda que o ex-deputado estaria depressivo. "Ele sofreu algumas condenações e isso foi desagradável para ele", disse.

Além do caos financeiro e da ameaça de interdição por parte do Ministério Público, a Casa de Saúde Dix-sept Rosado enfrenta mais outro problema: pedido de intervenção pelo Ministério do Trabalho.



sexta-feira, 2 de setembro de 2011

'Haverá consenso na escolha do nome'


O deputado estadual Leonardo Nogueira (DEM0 mantém a afirmação de que a prefeita Fafá Rosado (DEM) não renunciará ao cargo. Apesar dessa afirmação, deixou no ar a possibilidade ao dizer que em política tudo pode acontecer, especificamente quando perguntado sobre um acordo, que está sendo especulado, para que Fafá possa ocupar uma vaga no Tribunal de Contas do Estado (TCE) como conselheira. Seria essa uma das saídas para a renúncia da prefeita de Mossoró, cujo ato beneficiaria a vice-prefeita Ruth Ciarlini (DEM). Ruth é irmã da governadora Rosalba Ciarlini (DEM) e somente poderá sair candidata à prefeita com a saída de Fafá do cargo. Ela seria nome natural à reeleição e sem impedimentos jurídicos. “Como você mesmo disse, em política tudo é possível. Hoje, o que posso lhe responder é que, quando a prefeita Fafá conversa com a população de Mossoró, sempre recebe pedidos para que conclua sua gestão”, disse o deputado. Leonardo Nogueira também não vê problemas com a composição partidária DEM/PMDB, como se cogita devido às conversas à aliança envolvendo os dois partidos, mas também não descarta a chapa DEM/DEM. “É possível o DEM disputar as eleições 2012 com uma chapa puro-sangue, desde que haja acomodação, com entendimento, e um projeto de parceria político-administrativa, pensando no melhor para Mossoró.” Confira a entrevista:


O SENHOR mantém a afirmação de que a prefeita Fafá Rosado não renunciará ao mandato?
ESSA, no momento, é a afirmação da própria prefeita, e o entendimento que nós temos de que a população deseja que ela conclua o mandato que o povo lhe confiou até 31 de dezembro de 2012.

O QUE levaria a prefeita Fafá Rosado a renunciar ao mandato?
A PREFEITA não pensa nessa possibilidade. Estamos ouvindo falar nesta suposta renúncia através da imprensa, mas, dentro do nosso grupo político, nunca houve nenhuma conversa sobre esse assunto.

FALA-SE em acordo para que, com a renúncia, Fafá seja indicada para uma vaga de conselheira no Tribunal de Contas do Estado. O senhor acha que essa poderia ser uma alternativa?
ISSO nunca foi pensado e nem conversado entre nós. Penso ser uma suposição natural deste momento de estudo de possibilidades com relação à escolha do nome do nosso grupo à sucessão da prefeita Fafá.

EMBORA o senhor tenha negado a renúncia da prefeita, em política tudo é possível. Nesse caso específico, se Fafá renunciasse não ficaria em situação delicada perante o eleitor? Isso não poderia ser utilizado pela oposição como um ‘estelionato eleitoral’?
COMO você mesmo disse, em política tudo é possível. Hoje, o que posso lhe responder é que, quando a prefeita Fafá conversa com a população de Mossoró, sempre recebe pedidos para que conclua sua gestão.

SE AS eleições fossem hoje, entende-se que o nome escolhido seria o da vereadora Cláudia Regina. Existe algum impedimento relacionado ao nome da vereadora ou a algum dos que estão pleiteando encabeçar a chapa governista?
NÃO existe impedimento em relação ao nome da vereadora Cláudia Regina como não há também em relação a nenhum dos outros nomes cogitados como pré-candidatos do nosso grupo.

O PMDB de Mossoró trabalha com a possibilidade de indicar o candidato a vice-prefeito, e o nome pré-escolhido seria o do secretário de Serviços Públicos Alex Moacir. Como o senhor analisa essa definição?
É POSSÍVEL. Tenho ouvido, reiteradas vezes, de nossas lideranças estaduais (Rosalba, Carlos Augusto, Betinho Rosado, José Agripino, Garibaldi Alves Filho e Henrique Alves) de que existe essa alternativa. Ou seja, nós tanto poderemos ter uma chapa “puro sangue”, como formar uma chapa DEM/PMDB.

APESAR do PMDB estar trabalhando por espaço na majoritária, o DEM pode sair com chapa puro-sangue. Seria uma alternativa viável ou criaria alguma fissura com o PMDB?
FISSURA não. É possível o DEM disputar as eleições 2012 com uma chapa puro-sangue, desde que haja acomodação, com entendimento, e um projeto de parceria político-administrativa, pensando no melhor para Mossoró. 

COMO filiado ao DEM, o senhor vai apoiar a chapa acordada por seu grupo político, mas quais são seus critérios pessoais para a escolha do candidato à sucessão de Fafá?
GOSTARIA que o nosso candidato fosse aquele que estivesse mais preparado para fazer Mossoró avançar para o futuro, dando continuidade à grande obra de Rosalba e Fafá. Mossoró não pode retroceder... Não pode dar um passo para trás. E estou certo de que o único candidato que tem essas qualidades está em nosso grupo, porque todos os nomes que estão sendo lembrados são pessoas que acompanharam as administrações dessas duas gestoras, conhecem a base do trabalho e sabem o que ainda precisa ser feito.

O SENHOR tem dito que a soma dos percentuais dos candidatos do grupo governista supera o índice de aceitação da deputada estadual Larissa Rosado. O bloco da situação acredita nesse somatório? O percentual dos demais nomes governistas não se volta apenas para uma candidatura a prefeito e individual?
EM todas as pesquisas que eu tive acesso, a soma dos nossos pré-candidatos sempre ultrapassou os 50% do eleitorado mossoroense. Essas mesmas pesquisas todos os agrupamentos políticos estão fazendo e podem comprovar o mesmo. E o somatório dos nomes dos nossos pré-candidatos irá dar base à candidatura que será posta, porque o grupo está unido e haverá consenso na escolha do nome que encabeçará nossa chapa.

O PRESIDENTE do DEM de Mossoró, ex-deputado Carlos Augusto Rosado, afirmou que o partido possui indicativos que mostram que 60% dos mossoroenses votariam em um nome apoiado por Rosalba. Os outros 40% ficariam como? Onde aparece o índice de transferência de votos da prefeita Fafá Rosado?
É VERDADE que a governadora Rosalba é a maior eleitora de Mossoró e tem essa capacidade de transferir votos. Temos números e dados que dizem que a prefeita Fafá Rosado, depois da governadora, é a que mais transfere votos em Mossoró.