quinta-feira, 30 de agosto de 2012

TRE nega candidatura de João Dehon

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) negou registro de candidatura ao ex-prefeito João Dehon da Silva (PMDB), de Grossos. A decisão saiu agora a pouco. Por seis votos contra um, os desembargadores acataram o recurso judicial eleitoral da coligação governista, que alegou que o ex-prefeito estava incluído na Lei da Ficha Limpa devido condenação no Tribunal de Contas da União (TCU).

A assessoria jurídica de João Dehon, entende-se, deve recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral.

Caso não recorra, a coligação à qual João Dehon integra deve apresentar um substituto para a cabeça da chapa.

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Cláudia tem passagem positiva em Natal

A candidata democrata à Prefeitura de Mossoró, vereadora Cláudia Regina, causou boa impressão aos jornalistas da capital. É que ela, depois de participar do RNTV 1ª Edição, reuniu jornalistas em Natal em um almoço. Distribuiu seu programa de governo e concedeu entrevistas. Serviu para quebrar uma espécie de gelo que se tinha observado até agora.

‘Terei uma atenção especial para a área de educação’


Ex-secretário municipal da Cidadania, Francisco Carlos de Carvalho tenta chegar à Câmara Municipal pelo Partido Verde (PV), cuja legenda ele acredita que elegerá três vereadores nas eleições deste ano. Francisco Carlos é o terceiro candidato a enviar respostas de perguntas encaminhadas pelo blog às assessorias de imprensa das coligações partidárias. Acompanhe abaixo a entrevista:


O que o levou a escolher a disputa proporcional?
Para dar continuidade ao trabalho que realizei na Secretaria da Cidadania, nas áreas de educação, saúde, cultura, desenvolvimento social e esporte. Contribui para a realização de uma grande obra, sob o comando de Fafá Rosado. Implantamos o pró-superior, a carteira gratuita para estudantes da rede municipal, a educação em tempo integral, a Lei de Responsabilidade Educacional e construímos 14 escolas entre muitas outras realizações e a Escola de Artes. Na saúde, implantamos 17 novos serviços, incluindo as 2 UPAs e 13 Centro de Referência da Assistência Social. Desejo continuar esse trabalho.

Embora o papel do vereador seja legislar (elaborar leis e fiscalizar o Executivo), algumas ações podem ser defendidas ou concretizadas por meio do mandato parlamentar. Quais setores o senhor destacaria, nesse sentido?
Como parlamentar, estarei atento para contribuir em todas as áreas de interesse do mossoroense. Agora, terei uma atenção especial para a área de educação, que é a base do qualquer projeto de desenvolvimento, por meio da qual melhoramos os serviços nas demais áreas.

A disputa para a Câmara Municipal é acirrada, já que a 'briga' começa entre os candidatos do próprio partido. Como se pode vislumbrar uma concorrência leal?
Está acontecendo um fato muito interessante no Partido Verde de Mossoró. Algo incomum em termos partidários, especialmente em período eleitoral. No PV, os candidatos estão unidos em torno de um projeto partidário. A disputa é sadia, com cada um respeitando os espaços dos demais. Estamos certos que estamos re-construindo um Partido e vamos formar uma bancada com 3 vereadores.

Na sua opinião, qual o principal desafio do próximo prefeito ou prefeita de Mossoró?
A cidade experimenta o melhor ciclo de desenvolvimento dos últimos 40 anos. Prolongar esse ciclo de desenvolvimento econômico e social é o maior desafio. Não é fácil. É necessário preparo técnico e político, aliado a um excelente conhecimento da cidade e da estrutura administrativa da cidade. É preciso ter foco, saber o que é importante e o que possível. Acredito que o grupo político do qual faço parte reúne as melhores características para fazer Mossoró continuar avançando.

domingo, 26 de agosto de 2012

Bastidores de divulgação de pesquisa tem interferência e destituição do diretório mossoroense do PRTB

A publicação da pesquisa no jornal Gazeta do Oeste, neste domingo, reuniu indiretamente quatro figuras políticas, sendo duas com mandato federal, uma que preside diretório estadual e outra, diretório local: os deputados federais Henrique Eduardo Alves (PMDB) e Sandra Rosado (PSB), além de Batô - presidente estadual do PRTB, e o eterno líder estudantil Heronilde Bezerra, presidente do PRTB de Mossoró.

Uma fonte informou ao blog que havia nome grafado erroneamente na pesquisa, e este envolvia determinado candidato do PRTB. O partido não gostou do caso e teria acionado a Justiça Eleitoral para que a falha fosse corrigida e que a pesquisa não fosse divulgada com o erro.

E foi aí que teriam entrado Sandra Rosado, Henrique Eduardo Alves e Bartô. Sandra não teria gostado da iniciativa de Heronildes Bezerra, de tentar brecar a divulgação da pesquisa e esteve em Natal para conversar com o presidente estadual do PRTB. Ela, inclusive, trouxe Bartô de Natal para Mossoró na sexta-feira e eles dois iniciaram processo de destituição do diretório local do partido, presidido por Heró.

Ocorre que a discussão toda foi demorada e, apesar de Bartô ter destituído Heronilde Bezerra do comando local do PRTB, o pedido não teria sido acatado pela Justiça Eleitoral, já que o documento precisava de registro em cartório.

Diante dessa interferência da deputada federal Sandra Rosado, Heronilde teria mantido contato com o deputado federal Henrique Eduardo Alves na tentativa de que o deputado federal convencesse Bartô a mudar de ideia. Bartô mantém ligações políticas com Henrique em Natal. O parlamentar teria ligado para o presidente estadual do PRTB e dito que a destituição do diretório local para atender interesses do PSB se constituía em afronta à democracia. Mas não adiantou.

Em meio à suposta interferência de Sandra Rosado, existiria a decisão da Justiça Eleitoral sobre a pesquisa do CITEC, que está nas páginas do jornal Gazeta do Oeste. É que, como Heronilde Bezerra havia entrado com ação para impedir a veiculação da sondagem, e o juiz ainda não havia julgado o pedido.

O certo é que isso mostra que o grupo político da deputada Sandra Rosado teria bastante interesse na veiculação da tal pesquisa. Não se sabe dos motivos, mas supõe-se que o comando local do PSB realmente teria feito tal sondagem e se articulado para que esta fosse benevolente, numericamente, com a candidatura da deputada estadual Larissa Rosado. Ainda mais quando tal instituto faz trabalho para o governador pernambucano Eduardo Campos, que virá a Mossoró no dia 1º de setembro.

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

A comparação dos programas eleitorais

Quem é da área jornalística percebe perfeitamente quando algo foi mal alinhavado, seja na mídia impressa, radiofônica ou televisiva. Essa afirmação é para comentar acerca dos programas das duas candidatas com maior projeção eleitoral em Mossoró. O de Cláudia Regina (DEM) foi visto na TV. O de Larissa Rosado não foi ao ar, mas o blog acabou de vê-lo no endereço eletrônico da candidata (www.larissa40.com). O da primeira, sem dúvida, ganhou. Bem editado, sem exageros e nada forçado.

O de Larissa até que começou bem, como disse em postagem anterior. A passagem dela em algum ponto da cidade - creio que era em uma praça central - ficou perfeita. Mas, passada essa parte, o marketing descambou para o trivial.

A impressão que passou foi de que duas equipes trabalharam no primeiro programa. São duas visões expostas no material que consta no endereço virtual da pessebista. O primeiro se apresenta com um toque semelhante à qualidade que se tem no programa da sua adversária mais direta. Mas a segunda parte não tem esse mesmo cuidado com relação à edição do material.

Ficou algo forçado. Bem típico do que se viu nas eleições presidenciais de 2010, quando a então candidata Dilma Rousseff (PT) deu de 10 a zero no material exibido pelo tucano José Serra.

O que o blog quer dizer é que o marketing da candidata pessebista não foi feliz na finalização do primeiro programa eleitoral. Surgem dois discursos: o de que Mossoró é uma cidade caótica e a de que a cidade está bem. Se a produção tivesse seguido a ideia inicial o enredo final, talvez tivesse outro caminho.

A ideia de colocar a candidata na frente de uma plateia composta por seis pessoas para saber a opinião delas sobre os problemas do bairro, ao ver do blog, ficou muito forçado. Dava para notar perfeitamente que aquilo não ocorre naturalmente e que foi algo esquematizado. Só faltaram combinar com os populares. Talvez tivesse sido melhor contratar atores. Teria saído, digamos, menos artificial.

Contudo, como o horário eleitoral gratuito está apenas começando, o blog torce para que o marketing da candidata encontre o tom (não das cores) e consiga unificar a mensagem que se quer passar, não incorrendo em falha entre o que se diz e o que se vê.

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Yes, era eu mesmo

Agora a pouco, enquanto estava na calçada do JORNAL DE FATO, fui surpreendido por uma "espiada" de militantes da candidata Larissa Rosado (PSB), da coligação "Frente Popular Mossoró mais Feliz". Não deu para ver quem estava dentro do carro, mas este estava adesivado com a publicidade de campanha do candidato Ítalo.

Aos que baixaram o vidro para saber se era eu mesmo, digo: sim, era. Se a medida foi uma tentativa de amedrontar, digo que não surtiu efeito.

Digo mais: quem postula algum cargo eletivo, principalmente o de prefeito, deve estar preparado para críticas e questionamentos.

A turma da candidata Larissa Rosado não gostou da pergunta que fiz quando da presença dela na sabatina TCM acerca da postura do seu candidato a vice-prefeito, Josivan Barbosa de Menezes (PT), no período da pré-campanha.

Ora, todo mundo viu, ouviu e leu as frases pesadas ditas por Josivan contra Larissa e o seu agrupamento político-familiar. Josivan disse que não entraria na política pelas portas dos fundos. Entrou. Disse que Sandra Rosado não se entendia nem com a filha, quanto mais com outras lideranças políticas. Agora ele vê esse entendimento.

Não precisa baixar vidro fumê para ver quem está em calçadas. Quem está dentro do carro tem visão perfeita do que ocorre fora. Então, meus amigos, da próxima vez não façam pantinho.

E digo mais: o que acontecer à minha pessoa, um arranhãozinho que seja, desde já responsabilizo diretamente a candidata Larissa Rosado.

Material do PSB, embora curto, mostra qualidade

O eleitor que sentiu falta do programa eleitoral da candidata Larissa Rosado (PSB) na TV pode conferir um pouco do que deve ir ao ar.

No endereço www.larissa40.com é possível ver que a pessebista está com um bom material a ser exposto.

Embora com pouco mais de um minuto, o trecho disponível externa qualidade boa, além de uma candidata também se apresentando. Ficou, realmente, excelente.

De suposições e de falta de energia

O blog recebeu a informação de que por pouco o programa de TV da candidata Cláudia Regina (DEM), da coligação "Força do Povo", não vai ao ar. A fonte disse ao blog que a TV Mossoró - geradora do Programa Eleitoral Gratuito na televisão - recebeu o material e posteriormente teria informado que não seria veiculado porque se teria detectado "problemas técnicos".

De imediato, a assessoria jurídica da coligação "Força do Povo" manteve contato com o juiz da 32ª Zona Eleitoral, José Herval de Sampaio Júnior, que se deslocou à emissora para averiguar a informação. O material apresentado não constava de nenhum problema.

Problema resolvido, veio mais uma surpresa: a falta de energia em partes do Centro da cidade. A fonte disse que o juiz teria mantido novo contato com o administrador da TV Mossoró e teria afirmado que iria investigar se haveria alguma ligação política na falta de energia. Pelo sim, pelo não, não deu muito tempo para que geradores voltassem a funcionar.

O blog não está querendo fazer nenhuma afirmação leviana. Apenas comentando o fato do programa de Larissa Rosado não ter sido veiculado e que houve suposta tentativa da emissora geradora do Programa Eleitoral Gratuito na Tv ter tentado impedir que a mensagem da candidata adversária fosse ao ar.




Programa na TV: Cláudia dá conta; Larissa não aparece

Quem acompanhou a primeira veiculação do programa eleitoral gratuito na TV, para os candidatos a prefeito de Mossoró, não pôde comparar o desempenho das candidatas com maior projeção política na segunda maior cidade do Rio Grande do Norte. É que apenas o programa da democrata Cláudia Regina foi ao ar. A candidata Larissa Rosado (PSB) não apareceu no vídeo. Sua assessoria de imprensa não informou, ainda, se houve problemas técnicos.

O certo é que, sem a presença da sua adversária mais direta, Cláudia Regina "deitou e rolou". Fez uma estreia bonita no palanque eletrônico. Dispensando a figura da apresentadora, coube à própria candidata se apresentar. E não fez feio. Um programa bem editado, sem dúvida.

Esperava-se, contudo, que a coligação "Frente Popular Mossoró mais Feliz" também tivesse o mesmo no início do programa eleitoral gratuito na TV. A ausência de Larissa não é bom. Contudo, como a candidata tem a vantagem de possuir mais tempo no rádio e na TV, essa falha inicial será corrigida nas próximas exibições.

Rádio
Por outro lado, a candidata do PSB foi muito bem no programa de rádio. Percebeu-se, em alguns momentos, que a sua produção teve dificuldades para preencher o tempo. Fez uso de um artifício normal em quem trabalha na área: colocou músicas. Porém, pode ter sido essa a escolha da coordenação pessebista, de massificar as músicas da candidata.

O único ponto falho, ao ver do blog, foi a ausência da citação relacionada à Casa de Saúde Dix-sept Rosado. No perfil da candidata apresentado na sua página virtual (www.larissa40.com), consta que ela foi diretora do jornal O Mossoroense, da FM Resistência e da Casa de Saúde Dix-sept Rosado, que integra o complexo de saúde mantido pela Associação de Proteção à Infância e à Maternidade de Mossoró (APAMIM), também controlado pelo seu agrupamento político-familiar (assim como a Rede Resistência de Comunicação). Deu a impressão que foi algo intencional. E se foi, qual o motivo? Mistérios da campanha!

sábado, 18 de agosto de 2012

O discurso 'morde e assopra' do PSB

Quando o blog escreveu anteriormente sobre o cuidado das palavras, acerca do que se diz e o que se vê, se referia ao fato do discurso duplo que surge nas eleições municipais deste ano em Mossoró. A candidata Larissa Rosado (PSB), da coligação "Frente Popular mais Feliz" exagera na dose ao defender, por exemplo, o projeto "Mossoró Cidade Junina". É fato que, ao longo dos 16 anos, o evento cresceu. Mas ao longo desse mesmo tempo, os meios de comunicação pertencentes ao grupo político-familiar de Larissa gastou tinta e voz de seus profissionais na tentativa de desqualificá-lo.

Quem não se lembra da expressão "Estação das Facas"? Foi esse o termo para definir o "Mossoró Cidade Junina", que tradicionalmente ocorre anualmente na Estação das Artes Elizeu Ventania.

Outro ponto que deve ser analisado diz respeito à segurança, cuja área a candidata aponta para parceria com o Governo do Estado. Ora, Larissa é deputada estadual em três mandatos e não há, nesses 12 anos, nenhuma ação sua concreta voltada para o setor. Nem quando foi líder do governo do PSB na Assembleia Legislativa. Governo esse, inclusive, que passou oito anos governando o Rio Grande do Norte e, em tese, teria que ter agido para amenizar situações calamitosas que afligem todo o Estado.

Além desse fator, a candidata do PSB também exagera na dose ao se referir à educação. Não reconhece os avanços conquistados e divulgados pelo próprio Ministério da Educação com relação ao Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB).

Para completar o exagero ou a falta de atenção de seu marketing, a candidata tem afirmado que quer implantar o modelo PSB de governar. Fala na suposta boa administração de Eduardo Campos (PSB), governador de Pernambuco.

E é aí que está o erro: Mossoró não conhece a realidade de Pernambuco. Estamos no Rio Grande do Norte, onde a administração de maior visibilidade do PSB foi justamente no Governo do Estado. O PSB potiguar, quando governou o RN, deixou marcas profundas e negativas. Foram denúncias de supostos esquemas de corrupção, as quais foram devidamente investigadas pela Polícia Federal e que constatou indícios graves de malversação dos recursos públicos.

Tem-se os exemplos das operações "Foliaduto", "Foliatir", "Hígia" e, por último, a "Sinal Fechado", na qual se constatou a tentativa de desvio de R$ 1 bilhão do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) por meio da inspeção veicular.

O que o blog quer dizer é que a candidata exagera ao falar nos problemas de Mossoró e para os quais ela, como deputada estadual e líder do governo do PSB, poderia ter ajudado a saná-los. É importante e salutar que a pessebista seja coerente e diga por quais motivos ela tem se esquivado de direcionar ajuda à administração municipal.

Outra falha que se observa é que a candidata apregoa que, se eleita, buscará parceria da governadora Rosalba Ciarlini (DEM). É a mesma governadora que vem sendo criticada nos meios de comunicações controlados pela pessebista. Mas, ao que parece, a tática é essa: ela e a sua mãe, deputada federal Sandra Rosado (PSB), orientam para a imprensa "verde" atacar e elas tratariam de "defender". É aquela coisa do morde e assopra.




quinta-feira, 16 de agosto de 2012

A visão de quem acompanhou o 1º debate em Mossoró

O primeiro debate entre os cinco candidatos a prefeito de Mossoró, que acabou agora a pouco e promovido pela OAB/Mossoró, serviu para mostrar alguns detalhes que merecem ser comentados. De cara, a confirmação de que as duas candidatas com maior projeção eleitoral levaram esse aspecto ao embate, bem como a tese de que é preciso preparo para ir a um debate que priorize uma discussão acerca dos problemas de Mossoró e de suas respectivas ações para saná-los.

É fato que os candidatos de oposição não reconhecem, e nem poderiam fazê-lo, o desenvolvimento social e econômico de Mossoró. Não seria nenhum demérito reconhecer, mas pelo simples fato do fazer oposição, esquecem esse detalhe e o qual, certamente, começa a pesar na balança que culminará com a opção do eleitor nas urnas.

As candidatas Cláudia Regina e Larissa Rosado tiveram seus momentos de confronto direto. Esperava-se, contudo, que houvesse acirramento entre elas, que apresentaram maturidade política para evitar o comum. Por outro lado, a ausência desse confronto deixou uma lacuna no debate.

Os candidatos Ednaldo Calixto (PRTB), Josué Moreira (PSDC) e Cinquentinha (PSOL) cumpriram seus papéis. Foram coerentes com o que se propuseram ao sair candidatos a prefeito. Porém, a falta de um aprofundamento das questões relacionadas à cidade em si deixou que eles ficassem no lugar comum. O que eles passaram ao telespectador foi apenas uma mensagem repetitiva do que já se viu antes, claro com alguns momentos positivos para os três.

A candidata Larissa Rosado não aparentou segurança em momentos cruciais do debate. É que ao discorrer sobre temas sérios, o sorriso não lhe saiu dos lábios. A imagem que passou foi a de que a orientação passada pelo seu marketing era esse: sorrir para o eleitor. Mostrar intimidade com a cidade e com sua gente.

A pessebista usou e abusou de uma estratégia equivocada. A frase "cuidar das pessoas" é uma das marcas da prefeita Fafá Rosado (DEM), que tem usado essa expressão em todas as entrevistas e eventos. Larissa passou a imagem de que, ao utilizar essa expressão, estaria tentando fisgar o carisma que a prefeita possui, inegavelmente e que ela, a candidata do PSB, ainda não possuiria.

Foi forçada a expressão e, na maioria das vezes, soou inoportuna e destoante do que ela é: oposição. Além disso, ao não-reconhecer avanços proporcionados pela administração atual, a candidata do PSB deixou entender que, caso seja eleita, não terá tempo suficiente para resolver os problemas que foram listados durante o debate. 

Ora, qualquer pessoa em sã consciência sabe que a meta de um prefeito é desenvolver seu município. Se a candidata do PSB não vê esse desenvolvimento, mesmo em uma administração de oito anos, como está sendo a de Fafá Rosado, como recuperar o que ela deixou entender como "tempo perdido" em apenas quatro anos?

Falha grave do marketing. Da coordenação da campanha em si.

Já a candidata Cláudia Regina, num primeiro momento, se mostrou nervosa com o primeiro debate. mas reconquistou a sobriedade ao falar sobre algo que ela conhece: a questão social de Mossoró. Além disso, o fato de Mossoró estar em alta com relação aos índices sociais, já propagados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (FIRJAN), os deixaram a democrata mais à vontade para defender suas ideias sem, contudo, reconhecer os avanços.

Mas como foi o primeiro debate entre os cinco postulantes ao Palácio da Resistência, os próximos devem ser mais emocionantes. Certamente o marketing de Larissa Rosado deve corrigir as falhas que foram percebidas claramente e, nos outros encontros, ela deverá se apresentar com um discurso mais coerente entre o que se diz e o que se vê.

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Francisco Carlos comemora aniversário com a militância


O professor Francisco Carlos, candidato a vereador pelo PV, comemora nesta sexta-feira (10), mais um aniversário. O ex-secretário municipal da Cidadania, nos sete primeiros anos do Governo Fafá Rosado, vai aproveitar a data em que completa 43 anos, o mesmo número do seu partido, junto com a militância.

“Amigos-eleitores nossos quiseram me prestar uma homenagem com um grande evento, aonde reuniremos a nossa militância em torno de nossa candidatura, que a cada dia mais cresce, graças ao esforço dessas pessoas que defendem o nosso nome e fazem a nossa proposta ser levada aos quatro cantos da cidade”, argumentou o candidato.

A comemoração do aniversário do professor será em frente à casa da sua mãe, na Rua Francisco Bernardes, 10, bairro Boa Vista, aonde nasceu e onde morou por muitos anos. “Nada melhor do que comemorar o meu aniversário aonde tudo começou. Tenho muito orgulho de ser filho de uma família pobre, mas honrada e que venceu na vida graças ao trabalho e aos estudos”, enalteceu.

Francisco Carlos é professor universitário concursado da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) e servidor público de carreira da prefeitura de Mossoró. É mestre em Economia e está cursando Doutorado.

A candidata a prefeito, Cláudia Regina (DEM), confirmou presença no evento, ao lado da prefeita Fafá Rosado (DEM), do vice Wellington Filho (PMDB) e outras lideranças. “Estamos fazendo a nossa campanha pedindo voto para mim e para Cláudia porque entendemos que Mossoró precisa continuar no caminho do desenvolvimento, ao lado de que é mais preparada para governar a cidade”, enalteceu.

Fonte: Assessoria de Imprensa

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Apenas a opinião do blog

E-mail de leitor anônimo questiona números de pesquisas divulgadas na segunda-feira e nesta terça-feira. Como o assunto é pertinente, o blog vai tecer pequeno comentário, mas avisa que a participação do leitor neste espaço é aberto. Só não se aceita comentários anônimos. É como se faltasse coragem para externar opinião e se escondesse no anonimato para expressar suas ideias. Isso não é correto. Mas vamos lá!

As duas pesquisas divulgadas - a primeira pela TCM e a segunda, pelo blog do jornalista Carlos Santos - apresentam números totalmente diferentes. E nem poderia ser o contrário. São dois institutos distintos que pesquisaram locais também diferentes. Daí essa espécie de "salada numérica" que causa estranheza.

Na visão do blog, não existe candidata ou candidato que lidere a corrida sucessória mossoroense. Claro que as duas candidatas com maior visibilidade política estão na frente. E são elas que devem traçar o resultado que se terá em 7 de outubro.

Diante disso, aqui, ali e acolá se terá divergência numérica. É totalmente inverídica a tese de que as duas liderariam em um mesmo bairro ou localidade rural. Uma ou outra, lógico, vai estar na frente, mas isso não quer dizer que haja essa liderança toda.

É claro e lógico que a candidata Larissa Rosado deve estar em pontuação mais confortável que sua adversária mais direta, a também candidata Cláudia Regina. Larissa partiu na frente e teve o nome definido bem antes da pré-campanha e teve tempo para trabalhar alianças e apoios. Mas isso também não quer dizer que ela seja favorita.

O leque de partidos que segue com a candidata do PSB possui pouca expressão política e, consequentemente, reduzido potencial eleitoral. Exceto os maiores, como o PSB, PT, PDT e outros poucos. Mas dizer que a adesão desses partidos significa migração de votos dos seus filiados, aí é outra história. O mesmo se volta à candidata Cláudia Regina.

A conquista do eleitor deve ser mérito das candidatas. Quem conseguir obter melhor resultado, aí sim, estará liderando a corrida ao Palácio da Resistência.

Frases de efeitos, declarações de apoio ou de reprovação contra os adversários são comuns neste período. E a candidata que melhor souber usar esses instrumentos da própria campanha, sem calúnia, agressão ou difamação, certamente tende a se fortalecer. É o que o blog pensa.

Diretor da Consult não crê em crescimento de Larissa

É sabido, por "A" e "B", que a candidata Larissa Rosado, da coligação "Frente Popular Mossoró mais Feliz" está em campanha há muito tempo. Os números da pesquisa Consult, contratada pelo blog Carlos Santos (www.blogdocrlossantos.com.br) mostra isso perfeitamente. É natural que a pessebista esteja na frente. Contudo, o blog reafirma o que já disse neste espaço: ela não tem gordura para queimar nos dois últimos meses da campanha eleitoral.

Essa afirmação do blog se constata pela declaração do diretor da empresa Consult, Paulo de Tarso, à jornalista e blogueira Laurita Arruda: "o máximo que a candidata Larissa pode fazer é manter seu patamar de hoje, mas não acredito em maiores crescimentos dela daqui pra frente".

Ora, se o próprio diretor da Consult faz essa afirmação, quem é o blog para questionar?

Só prova o que se viu nas duas últimas eleições à Prefeitura em Mossoró. A candidata Larissa Rosado, ao que tudo indica, não teria o perfil para o Executivo. Só pode ser essa a explicação.


segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Cláudia apresenta crescimento de 4,8%

O segundo mês da campanha eleitoral mossoroense começa bom para a coligação governista. A pesquisa TCM/Certus, divulgada às 8h desta segunda-feira, mostra que a candidata Cláudia Regina (DEM) conquistou pontos e reduziu a diferença que a separava da candidata oposicionista Larissa Rosado (PSB). São números bons, sem dúvida.

Contudo, é bom dizer que pesquisa mostra uma tendência das áreas pesquisadas. Mossoró possui pouco mais de 160 mil eleitores. Os números, porém, não devem ser descartados. Saliente-se que a candidata do PSB está em campanha desde as eleições de 2008, quando perdeu a disputa pela Prefeitura de Mossoró e se projetou para o pleito de 2010, na qual se reelegeu deputada estadual e, consequentemente, teve nova projeção para 2012.

É mais que natural que Larissa Rosado esteja na frente. Agora a dúvida é saber se ela tem "gorduras" numéricas para queimar até 7 de outubro. Até aqui, os números mostram que ela não possui esse fator. Tanto que cresceu 1,8% entre o dia 16 de agosto até hoje. Pouco para quem quer vencer. A candidata Cláudia Regina, por outro lado, conseguiu mostrar recuperação e apresentou crescimento de 3,60% no mesmo período. Isso na sondagem espontânea, na qual o eleitor diz em quem vota.

Na pesquisa estimulada, na qual o eleitor escolhe entre os nomes apresentados, Larissa Rosado caiu. Saiu de 42,6% para 42,4%. Cláudia Regina saiu de 31,4% para 36,2%. Cresceu 4,8%.

A pesquisa completa pode ser vista no portal da TCM: www.portaltcm.com.br.

sábado, 4 de agosto de 2012

Genivan Vale cita ações conquistadas


O vereador Genivan Vale (PR), candidato à reeleição, sequencia a série de entrevistas aos postulantes à Câmara Municipal de Mossoró. Em seu primeiro mandato, o parlamentar fala, nessa conversa, sobre o que o levou á política, trabalho de vereador e cita temas considerados desafios para o próximo prefeito de Mossoró. acompanhe abaixo:

O que o levou a escolher a disputa proporcional?
Sempre gostei da política, por entender que é através da mesma que podemos encontrar as soluções pra termos uma sociedade mais justa. Na década de 80 fui um dos organizadores do primeiro encontro da juventude secundarista oestana e a partir deste momento sempre pensei em fazer política partidária, o que aconteceu por convite do empresário Marcelo Rosado e deputado federal João Maia. Como a vereança é o primeiro degrau aqui estamos.

Embora o papel do vereador seja legislar (elaborar leis e fiscalizar o Executivo), algumas ações podem ser defendidas ou concretizadas por meio do mandato parlamentar. Quais setores o senhor destacaria, nesse sentido?
Falando por mim, gostaria de citar como mais importante o papel de mexermos com a inércia que hoje se abate sobre a sociedade. Pensando nisso entrei em todos os temas polêmicos que muitos em Mossoró por medo ou conveniências políticas ou empresariais não querem se envolver. Não que, eu seja mais corajoso que os demais, mas sempre entendi que não poderia ser igual a muitos e, que mesmo sofrendo perseguições de parte da imprensa teria que descortinar temas que tanto atrasam o crescimento e o desenvolvimento de Mossoró. Por exemplo: é inconcebível que não tenhamos um aeroporto com voos regulares pra os grandes centros urbanos, como São Paulo. O pior é que, o nosso além de não ajudar, ainda estava prejudicando a importante indústria da construção civil. Compramos a briga e fomos até Brasília falar com o Ministério da Aeronáutica. Outro absurdo é a Caern. Não podemos aceitar que a segunda cidade do estado tenha seu crescimento travado por falta de água, pois a caixa não libera financiamento de casas e apartamentos caso a Caern não forneça um documento de capacidade de fornecimento de água. Também cito o caso do Nogueirão. É inadmissível que não tenhamos estádio compatível com nossa cidade. Outros graves problemas que não poderia deixar de citá-los são o Hospital Tarcisio Maia que não sofre um investimento de ampliação desde que foi fundado, e já se vão 26 anos. Além disso, já dobramos nossa população. Por fim citamos a violência desenfreada e ainda ficamos discutindo se vamos ou não armar nossa guarda municipal. È muito letargia.

A disputa para a Câmara Municipal é acirrada, já que a 'briga' começa entre os candidatos do próprio partido. Como se pode vislumbrar uma concorrência leal?
Quando tivermos prisão de candidatos e de eleitores, acredito que possamos vislumbrar um pouco mais de igualdade. Não existe corruptor se não houver o corrupto. O poder econômico ainda é muito decisivo.  Infelizmente.

Na sua opinião, qual o principal desafio do próximo prefeito ou prefeita de Mossoró?
Acredito que não seja um único desafio, mas alguns. Cito alguns que entendo serem urgentes: Transporte publico, trânsito, capacitação de Mao de obra, ampliação da oferta de empregos, melhora urgente do atendimento básico da saúde, bem como do atendimento de urgência que está um caos, oferta de escolas em tempo integral e enfrentamento da epidemia de drogas, em especial, o crack.

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Governo inicia duplicação da RN-013

Trabalho começou esta semana (foto: Carlos Costa)

As obras da duplicação da RN-013, entre Mossoró e Tibau, foram iniciadas esta semana e fazem parte das ações voltadas à interiorização do turismo, área considerada importante pela governadora Rosalba Ciarlini à geração de emprego e renda no Oeste do Rio Grande do Norte.

A duplicação da estrada Mossoró/Tibau está prevista para ser concluída em 12 meses, segundo informações da Secretaria de Estado da Infraestrutura. Para a obra, o Governo do Estado está investindo pouco mais de R$ 38 milhões.

Para a governadora Rosalba Ciarlini, a duplicação da RN-013 atende reivindicação antiga dos municípios de Mossoró e Tibau. É que a cidade praiana de Tibau chega a receber até 100 mil pessoas na alta estação e o tráfego chega a ficar intenso em alguns trechos, principalmente na entrada da cidade-praia.

Com a duplicação, o tráfego fluirá sem problemas e garantirá segurança aos motoristas, além de proporcionar também segurança aos ciclistas que fazem o percurso Mossoró/Tibau/Mossoró diariamente.

Fonte: Assessoria de Imprensa